O recado dos suíços ao Euro, o corte russo de gás à Europa, o abandono do petrodolar: a guerra cambial aumenta.

PAMP5ozv   Não temos o hábito aqui em PrataPura.com de noticiar fatos muito sensacionalistas ou alarmantes demais, mas penso que chegamos a um momento em que é necessário alertar nossos clientes, especialmente aqueles que não estão muito atentos ao contexto geopolítico que se desenvolve no mundo.

Algumas atitudes estão sendo desenroladas no palco mundial que podem levar a uma catástrofe sem precedentes.

O corte no fornecimento de gás à Europa

Há poucos dias a Rússia cortou seu suprimento de gás natural para a Europa, “que mergulhará o continente em uma crise energética dentro de horas, como uma disputa com a Ucrânia aumentando“, segundo o Daily Mail.

O ex-secretário do Tesouro norte-americano Paul Craig Roberts tinha avisado com antecedência da ocorrência de um “Evento Cisne Negro“, como a Rússia cortar de fornecimento de energia para as nações europeias, como um prelúdio para a guerra.

A Europa depende fortemente de fornecimento de gás natural da Rússia, que é canalizado para a região através da Ucrânia. Isto é especialmente impactante no inverno, quando o gás é necessário para o aquecimento.

O abandono do petrodólar

Além de cortar o fornecimento de gás natural para a Europa, a Rússia também “caiu fora dos petrodólares”, relata o site ZeroHedge.

A história cita Bloomberg.com afirmando que a Rússia “pode torrar seus 88 bilhões de US$ em Fundos de Reserva e converter algumas de suas participações em moeda estrangeira para rublos”. E de fato, isso vem acontecendo.

Isso é explicado por Mac Slavo em SHTFplan.com: “O que estamos vendo são os movimentos estratégicos que acabarão catalisando a próxima grande guerra. E não se enganem, isto é exatamente o que está reservado para o mundo se essas escaladas continuarem. ”

Uma escalada para a guerra?

O que está acontecendo aqui é uma escalada radical da guerra cambial global em que Rússia e China estão tentando derrubar o dólar e, finalmente, destruir o império norte-americano.

Parte dessa estratégia envolve despejar os petrodólares como moeda de reserva global e reverter para moedas alternativas apoiadas por algo mais do que apenas o ar. Outra evidência dessa estratégia é encontrada nas explicações sobre o KingWorldNews, que afirma que a China está se movendo para lastrear sua moeda, o Yuan, com ouro.

Isso explica por que a China tem estado a comprar todos os suprimentos de ouro físico do mundo. Os EUA, por sua vez, tem os cofres vazios de ouro e uma moeda de papel fiat apoiada em nada mais que ar, promessas vazias e uma dívida interminável. O mundo inteiro sabe disso, e nações como a Rússia estão se posicionando para tirar vantagem do colapso que está finalmente chegando ao dólar.

O recado dos suíços

Há poucos dias, o franco suíço disparou 30% em poucos minutos, ao mesmo tempo em que os bancos centrais que controlam o Euro se aproximam de anunciar seu próprio esquema de impressão maciça de dinheiro (similar ao QE dos EUA), que irá inundar os mercados globais com Euros de papel. Como a  Associated Press escreveu: “Curvando-se ao inevitável, a Suíça cavou uma política muito cara para limitar a elevação do franco suíço minando suas exportações. Uma decisão que impulsionou a moeda a gritantes 30 por cento a mais em relação ao Euro em poucos minutos”.

Muitos economistas na mídia de massa tem criticado a decisão e dito que foi um movimento que eles não compreendem, e custará caro à Suíça. Você acha que os banqueiros suíços fariam uma bobagem impensada e  perderiam montanhas de dinheiro num momento destes, como nunca antes fizeram em sua história? Com a instalação das máquinas de imprimir euros de papel e a inundação dos mercados, virá inflação, e a escalada na guerra cambial. O recado dos suíços para o Euro foi esse: nós vamos pular fora dessa antes que a coisa fique pior, e preservar nossa moeda!

A manipulação no preço do petróleo

Como parte do esforço dos EUA para entrar em guerra com a Rússia, os preços do petróleo têm sido artificialmente reduzidos, com a ajuda dos sauditas (que têm fortes laços com a família Bush e cuja realeza foi magicamente evacuada dos EUA em jatos particulares durante os ataques terroristas de 9/11) e que trabalham em conjunto com as forças dos EUA. O objetivo é devastar a economia russa, prejudicar a moeda russa e até mesmo causar danos à países como a Venezuela e o Irã (e talvez ao Brasil), sendo que no primeiro o abastecimento de alimentos já está aniquilado e as mercearias estão sendo vigiadas por militares do governo armados.

É claro que você não vai ouvir uma palavra sobre isso a partir da hipnótica e monótona grande mídia, que lhe diz que está tudo bem. Não, não está. Estratégias geopolíticas maciças e grandes esquemas estão sendo desencadeados agora, nos bastidores, e uma guerra cambial está em curso nos seus níveis mais altos.

Você lembra como  o Japão foi trazido à II Guerra Mundial?

Você pode ou não lembrar que foi um bloqueio de energia (no caso petróleo)  liderado pelos Estados Unidos contra o Japão na década de 1940 que ao final forçou o Japão a lançar o seu ataque surpresa a Pearl Harbor, pois os japoneses simplesmente não tinham alternativa. Em um padrão semelhante, os EUA e a NATO estão atualmente forçando sanções econômicas devastadoras à Rússia, deixando rapidamente àquela nação um leque cada vez mais restrito de opções defensivas, uma das quais inclui a opção de armamento nuclear. Os russos já avisaram recentemente que não vão hesitar em utilizar armas nucleares táticas para defender seu país de qualquer agressão.

A situação está mais do que séria.

Você ainda acha que o mundo não está caminhando para uma nova guerra mundial de fato?

Lembre-se da história, lembre-se de como os povos dos países em guerra sofreram também com a hiperinflação, como usavam seu dinheiro de papel apenas para fazer fogo, enquanto não conseguiam comprar o mínimo para sua sobrevivência. Especialmente nessas épocas, possuir reservas de dinheiro de verdade, como ouro ou prata física, pode fazer uma enorme diferença para o seu bem-estar…

Proteja suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

, , , , ,

Deixe um comentário

10 eventos chave que precederam a última crise financeira e estão acontecendo novamente agora!

Se você não acredita que estamos caminhando diretamente para outra grande crise financeira, você precisa ler este artigo. Muitos dos exatos mesmos padrões que antecederam o grande colapso financeiro de 2008, estão acontecendo de novo, diante dos nossos olhos. A História literalmente parece ser repetir, mas a maioria das pessoas parece absolutamente alheia ao que está acontecendo.

# 1 Um início de ano realmente ruim para o mercado de ações. Durante os três primeiros dias de negociação de 2015, a S & P 500 caiu um total de 2,73 por cento. Em apenas duas vezes na história este índice caiu mais de três por cento durante os três primeiros dias de negociação de um ano. Aqueles anos foram 2000 e 2008, e em ambos os anos assistimos a enormes quedas da bolsa.

# 2 Comportamento muito agitado no mercado financeiro. Em geral, os mercados calmos tendem a subir. Quando os mercados se agitam, eles tendem a ir para baixo. Por exemplo, o gráfico abaixo mostra como o índice médio do Dow Jones da indústria tem comportado desde o início de 2006 até o final de 2008. Como você pode ver, o Dow estava muito calmo, uma vez que subiu ao longo de 2006 e parte de 2007, mas ficou muito agitado assim que 2008 surgiu …

É importante que não se deixe enganar se as ações disparam em um determinado dia. Os três maiores ganhos em um único dia do mercado de ações da história foram bem no meio da crise financeira de 2008. Quando você começa a ver grandes altos e grandes baixos no mercado, é um sinal de um grande problema pela frente. É por isso que é tão alarmante quando os mercados financeiros globais começaram a tornar-se bastante agitados nas últimas semanas.

# 3 Uma corrida substancial para os rendimentos decrescentes dos títulos de longo prazo. Quando os investidores ficam com medo, tende a haver uma “fuga para a segurança”, com os investidores transferindo seu dinheiro para investimentos mais seguros. Vimos isso acontecer em 2008, e está acontecendo de novo agora. No Brasil, os ‘consultores financeiros’ não cansam em sugerir investimento nos títulos do Tesouro Direto.

A média de 10 anos de rendibilidade das obrigações dos EUA, Japão e Alemanha caiu abaixo de 1 por cento, pela primeira vez, de acordo com Steven Englander, chefe global de estratégia cambial G-10 do Citigroup Inc. No Brasil, o rendimento dos títulos públicos é artificialmente inflado pela astronômica taxa de juros paga pelo governo, necessária para que os bancos continuem financiando a gastança pública.

# 4 O preço do petróleo despenca. Enquanto você lê isso, o preço do petróleo dos EUA provavelmente já caiu abaixo de US $ 48 por barril. Mas em junho, ele estava estável a 106 dólares. Como o gráfico abaixo demonstra, houve apenas um outro momento na história em que o preço do petróleo caiu para menos de US $ 50 em menos de um ano …

# 5 Queda dramática no número de plataformas de petróleo e gás em operação. Agora, plataformas de petróleo e gás estão saindo fora de operação a um ritmo assustador. Durante o quarto trimestre de 2014, 93 plataformas de petróleo e gás ficaram ociosas, e está sendo projetado que outras 200 serão encerradas neste trimestre. Isso também é algo que aconteceu durante a crise financeira de 2008 e continuou até 2009.

# 6 O preço da gasolina nos EUA leva um enorme tombo. Milhões de americanos estão comemorando que o preço da gasolina caiu nas últimas semanas. Eles também estavam comemorando quando aconteceu em 2008. Mas é claro que descobriu-se que não havia nada para comemorar em 2008. Em pouco tempo, milhões de americanos perderam seus empregos e suas casas. Assim, o gráfico abaixo definitivamente não é “boa notícia” …

Gas-Price-2015-425x282

 

 

 

 

 

 

 

 

# 7 Uma ampla gama de commodities industriais começa a declinar no preço. Quando as commodities industriais vão para baixo, é um sinal de que a atividade econômica está diminuindo. E, assim como em 2008, é o que estamos vendo no palco mundial no momento. O que se segue é um trecho de um artigo recente CNBC

Do níquel ao óleo de soja, da madeira compensada ao açúcar, os preços globais de commodities têm estado em um declínio constante, quando a economia do mundo perdeu seu momentum.

# 8 Um colapso dos títulos podres. Assim como em 2008, estamos testemunhando o começo de um colapso dos títulos podres. A dívida elevada relacionada com a indústria de energia está na borda deste colapso, mas nas últimas semanas temos visto os investidores começarem a se livrar de uma ampla gama de títulos de alto risco.

# 9 A inflação nos países desenvolvidos desacelera significativamente. Quando a atividade econômica desacelera, o mesmo acontece com a inflação. Isso é algo que nós testemunhamos em 2008, isso também é algo que está a acontecer mais uma vez. Na verdade, está sendo projetado que a inflação mundial está prestes a cair para o nível mais baixo que temos visto desde a Segunda Guerra Mundial …

# 10 Uma crise de confiança dos investidores. Pouco antes da última crise financeira, a confiança que os investidores, que seria capaz de evitar um colapso do mercado de ações nos próximos seis meses, começou a diminuir significativamente. E adivinha o que? Isso é outra coisa que está acontecendo mais uma vez …

 

Você está começando a ver o quadro?

 

Há toda uma série de vozes proeminentes que estão avisando agora sobre o perigo financeiro iminente.

Hoje, eu gostaria de acrescentar mais um nome à lista. Ele é respeitado autor James Howard Kunstler, e o que ele prediz que está chegando em 2015 é absolutamente arrepiante …

Aqui estão as minhas previsões financeiras para 2015:

- No início de 2015, o BCE propõe um programa de QE coxo e risível. Os mercados europeus desabam.

- As eleições gregas, em janeiro, produzem um governo que se levanta contra a UE e o BCE e provoca uma derrapagem fatal na fé na capacidade do projeto para continuar.

- No segundo semestre de 2015, o resto do mundo se rebela e contra-ataca o dólar.

- Os mercados de títulos na Europa implodem no primeiro semestre e o contágio se espalha para os EUA com o medo e a desconfiança que se eleva sobre a viabilidade do status dos EUA como porto seguro.

- Os derivativos associados a moedas, taxas de juros e títulos de alto risco desencadeiam um banho de sangue em credit default swaps (CDS) e o aparecimento de inúmeros buracos negros por meio do qual a dívida e “riqueza” desaparecem para sempre.

- Os mercados acionários norte-americanos continuam a apontar para cima no primeiro semestre de 2015; uma cratera no Q3 corrói a fé em papel. DJA e S & P caiem 30 a 40 por cento no colapso inicial, em seguida, ainda mais em 2016.

- O ouro e a prata declinam no primeiro semestre, em seguida decolam assim que a dívida e os mercados acionários afundam, a fé em instrumentos abstratos evapora, a fé na onipotência do banco central se dissolve, e os cidadãos de todo o mundo buscam desesperadamente a segurança em face a guerra cambial.

- Goldman Sachs, Citicorp, Morgan Stanley, Bank of America, Deutschebank, Société Générale, todos sucumbem à insolvência. Funcionários do governo americano e do Federal Reserve não se atrevem na tentativa de resgatá-los novamente.

- Até o final de 2015, os bancos centrais em todos os lugares estão em descrédito geral. Nos EUA, o mandato do FED é publicamente debatido e revisto de volta à sua missão original como emprestador de última instância. É proibido a envolver-se em novas intervenções e um novo mecanismo menos secreto é elaborado para regular as taxas básicas de juros.

- Os preços do petróleo rastejam de volta para a faixa de US $ 65 –  70 por maio de 2015. Não é o suficiente para parar a destruição no xisto, alcatrão, e os setores de águas profundas. Como a contração da economia global não cessa, o óleo afunda de volta para a faixa de 40 dólares em outubro …

- A menos que o mal no Oriente Médio (em particular, o Estado Islâmico mexendo com a Arábia Saudita) levem para uma bruta e talvez fatalmente permanente interrupção nos mercados mundiais de petróleo – e então todas as apostas perderam, tanto para a continuidade das economias avançadas como para a paz entre as nações … “

 

Mesmo que você não concorde com todas essas previsões, estamos nos movendo para um momento de extremo perigo para a economia global.

Ao longo dos últimos dois anos, temos sido muito abençoados por sermos capazes de desfrutar de uma bolha de relativa estabilidade. Mas este período de estabilidade tem enganado muitas pessoas a pensarem que os problemas econômicos do mundo tinha sido resolvidos, quando na realidade eles só têm piorado.

Nós consumimos muito mais riqueza do que produzimos, os nossos níveis de dívida estão em patamares recordes e estamos no fim da cauda da maior bolha financeira em toda a história.

É inevitável que estamos caminhando para uma conclusão trágica de tudo isso. É apenas uma questão de tempo.

 

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

, , ,

Deixe um comentário

Avisos de um “colapso econômico em escala global”

A maioria das pessoas não entende que esta é a verdadeira ameaça que enfrentamos

O ex-república soviética rica em energia do Turcomenistão, em 01/01/2015 desvalorizou sua moeda em relação ao dólar em 18%, de uma só vez, como nota a AFP, no mais recente sinal de contágio entre os vizinhos da Rússia do rublo caindo (após 17% de queda no Kirguistão em 2014 e 14%  no Cazaquistão ). No entanto, como Martin Armstrong avisa, isso é sintomático de um contágio deflacionário que “contribuirá para forçar o dólar mais para o alto … Estamos em um grande colapso econômico em escala global. A maioria das pessoas não entende que esta é a verdadeira ameaça que enfrentamos. ”

Ok, nós sabemos, nós sabemos, “pequeno demais para ser notícia” … “desvalorização contida” … etc etc etc … nada importa até que tudo importa, lembre-se … e a carga em cima deste burro está começando a ficar muito pesada.

No Brasil não é diferente. Nos últimos 24 meses, o dólar passou de R$ 2,03 para R$ 2,70; uma desvalorização do Real em 33% (ou seja: 16,5% ao ano). E essa tendência continua… Isso lhe dá também uma noção melhor da inflação real que corrói seu poder de compra, uma vez que o US Dollar ainda é a moeda de reserva mundial.

Cotação do Dolar dos EUA frente ao real nos últimos 24 meses (Fonte: Infomoney.com.br)

Cotação do Dollar dos EUA frente ao real nos últimos 24 meses (Fonte: Infomoney.com.br)

Proteja suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais!

 

, ,

Deixe um comentário

Pratapura.com apresenta sua nova marca!

Pratapura.com, sempre com o objetivo de superar as expectativas de nossos clientes, orgulhosamente apresenta sua nova identidade visual:

PrataPura.com

 

Temos a consciência de que somos líderes no mercado brasileiro no segmento de venda de moedas e barras de prata pura, de alta qualidade. De forma a fazer jus à nossa reputação e à qualidade das peças que fornecemos, buscamos também refletir em nossa identidade visual a seriedade e profissionalismo com que trabalhamos.

Novidades em nosso website deverão surgir em breve.

Conte sempre conosco!

 

Equipe Pratapura.com

 

, , , , , ,

1 comentário

A manipulação ilegal dos mercados de ouro e prata pelo Poder Público

O FED e seus agentes bancários estão usando ativamente contratos futuros a descoberto para manipular ilegalmente os preços dos metais preciosos, a fim de manter as cotações artificialmente abaixo da taxa de mercado. O objetivo da manipulação é apoiar o status de reserva do dólar norte-americano em um momento em que o dólar deveria estar em declínio a partir do excesso de oferta criado por QEs infinitos e de déficits comercial e orçamentário.

Historicamente, o papel do ouro e da prata tem sido o de funcionar como um meio de troca e reserva de riqueza durante períodos de turbulência econômica e política. Uma vez que o mercado de lingotes começou a decolar no final de 2000, subiu quase sem parar até março de 2008, à frente da grande crise financeira, que começou com o colapso do Bear Stearns. Quando o Bear Stearns entrou em colapso, o ouro foi empurrado para baixo ao longo dos próximos sete meses a partir de $ 1035 até US $ 680, ou seja, -34%; a prata, de US $ 21 até US $ 8, ou seja, -62%. A queda mais violenta ocorreu quando o Lehman entrou em colapso e o Goldman Sachs estava prestes a entrar em colapso. Esta queda ocorreu durante um período de tempo em que o ouro deveria ter ido para uma parabólica no preço. O preço do ouro finalmente decolou no final de outubro 2008 de R $ 680 até 1.900 dólares a onça, enquanto o Governo e o Fed estavam a imprimir dinheiro, ocupados em salvar os bancos. Enquanto o preço do ouro subiu cerca de 300% a partir do final de 2008 a setembro de 2011, o dólar perdeu mais de 17% de seu valor, passando de 89 no índice do dólar para 73,50.

A queda atual do ouro a partir de $ 1900 a $ 1.200 ocorreu durante um período de tempo em que a fraude financeira e política e a corrupção torna-se pior e mais flagrante a cada dia. Junto com isso, a intensidade e a abertura com que os metais são sistematicamente derrubados parece crescer a cada dia.

Os contratos futuros da Comex TRADE por 23 horas por dia através de um sistema informatizado de negociação global são conhecidos como Globex. O período mais pesado de negociação ocorre quando as operações reais de piso estão abertos somente pela Comex , o que ocorre em 8h20-13:30 EST. Todos os outros contratos futuros são comercializados pela Comex TRADE eletronicamente via Globex. O ouro e a prata são esmagados principalmente durante os períodos em que somente a Globex está aberta para negociação, quando o volume global de negócios é muitas vezes nulo.

Este gráfico das negociações de futuros na Comex em 16 de dezembro mostra a queda repentina no preço da prata.

Comex_12-2014

A segunda etapa da queda de preço acentuado começa às 1:30 horas, horário do Leste, após o que a operação de pregão Comex foi fechada para o dia. Isto é tipicamente um dos períodos mais baixos de volume de negociação, durante o qual as ordens de compra ou venda podem causar perturbações de preço significativas para o mercado. Não houve notícias ou eventos que teriam desencadeado a venda repentina de contratos futuros de ouro, e nenhum dos outros mercados experimentaram movimentos incomuns enquanto o preço do ouro e da prata foi rapidamente mergulhando.

Para colocar em perspectiva os 9.767 contratos de prata vendidos em 15 minutos, o volume total negociado na Comex de prata para o período de comércio global de 23 horas terminando as 5:00 em 15 de dezembro foi de 149.964 contratos, ou seja, uma média de 6.520 contratos por hora. O único tipo de participante do mercado que poderia despejar quase 10.000 contratos em um período de 15 minutos é um único vendedor, cuja única motivação é empurrar o preço da prata o mais baixo possível. A entidade que pode se dar ao luxo de usar seu capital dessa forma é o Federal Reserve, porque o Fed pode criar o seu próprio capital,  usando a prensa de papel.

No fundo, os mercados financeiros estão sendo cada vez mais pressionados, por declínios das moedas de mercados emergentes, governos soberanos insolventes – incluindo os EUA, e talvez uma crise de derivativos renovada desencadeada pelo colapso do preço do petróleo. A queda do preço do petróleo poderia resultar em problemas para derivativos maiores do que o subprime hipotecário da crise de 2008.

A manipulação escada abaixo dos preços dos metais preciosos impede o “sistema de transmissão de aviso de crise” de funcionar corretamente. Mais importante, a queda no preço do ouro / prata contra o USD transmite a ilusão de que o dólar está forte no momento em que, de fato, o dólar deveria estar sob pressão do excesso de emissão de dólares e dívida denominada em dolar.

O que estamos vivenciando desde a crise de 2008 não é apenas a subordinação da política econômica dos EUA para as necessidades dos bancos “grandes demais para falir“, mas também a subordinação da lei e dos órgãos reguladores financeiros para os interesses de alguns bancos privados. A manipulação dos mercados de ouro é ilegal, seja por particulares ou por entidade pública, e por isso temos o espetáculo de o governo dos EUA apoiar um punhado de bancos através de meios ilegais. Não só a responsabilidade econômica foi posta de lado, mas também a responsabilidade legal.

Assim como Washington se põe acima de leis que proíbem a tortura e agressão nua e crua para a realização de sua “guerra ao terror” auto-declarada e acima da Constituição, a fim de construir um estado policial doméstico, Washington se coloca acima das leis que proíbem a manipulação do mercado.

Obviamente, a afirmação de que o governo representa o Estado de Direito é tão falsa como todas as suas outras reivindicações. O fedor de corrupção e hipocrisia que emana de Washington é o cheiro de um país moribundo.

E assim não é diferente em Brasília. E lembre-se: quando a economia norte-americana finalmente entrar em colapso, ou provocar uma nova guerra mundial para tentar se manter debilmente sobre a corda-bamba, o mundo inteiro irá sentir as consequências.

Entendemos que a maioria da população sequer compreende os conceitos aqui desenvolvidos. Mas você, cliente de Pratapura.com, tem a oportunidade única de conservar, ao menos parte, suas economias em um ativo físico, intangível, como a prata.

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

 

 

Fonte.

, , , ,

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: