OURO, PRATA e os MERCADOS: O que vem a seguir em 2019

Curiosamente, o ouro e a prata estão muito mais perto de seus níveis de preço de base do que os mercados mais amplos. É por isso que não acredito que veremos uma queda nos preços dos metais preciosos junto com os mercados. No entanto, se o preço do petróleo continuar caindo, o que parece provável, ele poderá puxar para baixo os preços do ouro e da prata um pouco mais no curto prazo.

Entretanto, parece que a principal diferença entre os metais preciosos e os mercados mais amplos é que os fundamentos terão impacto oposto entre si.

Enquanto os preços do ouro e da prata estão próximos de seus níveis básicos de suporte, devido ao custo de produção, as avaliações mais amplas do mercado estão em território de bolha e provavelmente começarão a se corrigir violentamente em 2019. Assim, conforme os mercados quebrem, o MEDO vai motivar os investidores a cair fora das ações e títulos e se abrigar em metais preciosos.

Com muito poucos ativos para proteger a riqueza, a quantidade de negociantes, investidores, fundos de hedge e instituições se movendo para ouro e prata (e os mineradores) levará seus valores a novos patamares recordes.

 

A demanda por investimento ainda é o maior setor no mercado da prata

Embora o interesse em metais preciosos tenha caído nos últimos anos, a demanda de investimento ainda é o maior setor em crescimento no mercado de prata. Sim, pode ser difícil de acreditar, mas o investimento físico em prata cresceu mais desde a crise financeira de 2008 em comparação com os outros setores. E enquanto os usuários industriais consomem a maior quantidade de prata no mercado global anualmente, sua demanda total caiu durante a última década.

Além disso, um novo estudo mostra que a demanda solar global diminuirá em 40% nos próximos cinco anos. No entanto, eu queria me concentrar na demanda física de investimento de prata porque a comunidade de mídia alternativa parece ter essa ideia de que a PRATA ESTÁ MORTA … E NÃO ESTÁ. Embora seja verdade que a demanda por investimento tenha caído significativamente em relação ao pico há alguns anos, ainda é muito maior do que antes da crise financeira de 2008.

É interessante notar que a demanda por barras e moedas de prata parece aumentar mais quando os preços estão caindo, e não quando estão subindo. Isso ocorreu em 2015, quando a demanda global por moedas e barras de prata atingiu o recorde de 292 milhões de onças (Moz), com o preço da prata caindo para US$ 15,68 contra 161 Moz em 2012, quando o preço médio foi de US$ 31,15:

silverdemand2007-2018

Agora, de acordo com o Relatório Provisório do Silver Institute, a demanda total de moedas e barras cairá para 125 Moz em 2018, abaixo dos 142 Moz durante o ano anterior. Assim, embora a demanda física de investimento em prata tenha caído mais da metade em 2015, é significativamente mais alta do que em 2007, antes que o inferno se instalasse no sistema financeiro e na economia.

Analisando os dados das Pesquisas Mundiais de Prata anteriores (encontradas no Silver Institute), a demanda por moedas e barras variou de 50 a 60 Moz durante 2000-2007. No entanto, as coisas ficaram realmente interessantes no mercado de prata, quando o preço saltou para US $ 20 em 2008, devido à desintegração do mercado bancário e imobiliário. A demanda por moedas e barras de prata mais que triplicou em 2008, para 192 Moz.

Mas, em 2017 e 2018, os baixos preços em curso fizeram com que a demanda global por moedas e barras de prata caísse para níveis mais baixos, com os investidores focados nos mercados mais voláteis e mais amplos, o Bitcoin e outras Cryptos. Não obstante, acredito que a vida retornará aos metais preciosos em 2019, à medida que o medo entra no mercado.

Como mencionado, a demanda física de investimento de prata é o maior setor de crescimento em todo o mercado se usarmos a crise financeira de 2008 como uma diretriz. A demanda por moedas e barras de prata aumentou 123%, de 56 Moz em 2007 para 125 Moz previstos este ano (Thomson Reuters GFMS Team). Agora, o único outro setor que apresentou um aumento geral no mesmo período é a demanda por joias de prata, que cresceu 8% contra um declínio de 11% no uso industrial, seguido por uma queda de 8% no setor de artigos de prata.

Analistas que continuam a se gabar da crescente demanda por prata industrial não parecem prestar atenção aos números. A demanda por prata industrial atingiu o pico em 2011 em 661 Moz e a previsão é que caia mais 2% este ano, para 585 Moz abaixo dos 596 Moz em 2017. Eu afirmei repetidas vezes que a demanda por prata industrial não é o principal fator de preço. Por quê? Em 2012, quando o preço da prata foi superior a US $ 31, a demanda por prata industrial foi menor, para 600 Moz, em comparação a 634 Moz, em 2009, quando o preço era de apenas US $ 20.

Dito isto, a demanda industrial da prata provavelmente continuará a se contrair, à medida do declínio da produção de petróleo. Mesmo se desconsiderarmos a queda na oferta de petróleo e seu impacto no mercado global, um novo estudo intitulado O Papel da Prata na Revolução Verde (do Silver Institute), afirma que a demanda de prata na Indústria Solar Fotovoltaica está prevista para diminuir em 40% até 2024.

Na minha pesquisa em curso, descobri que as forças de oferta e demanda não são bons indicadores primários do preço da prata. Parte da razão pela qual os fundamentos da oferta e da demanda desempenham um papel menos importante com a prata tem a ver com os 2,5 bilhões de oz de prata guardada armazenada em depósitos pelo mundo. Além disso, como afirmei, a maior demanda por moeda e barra física de prata de 292 Moz em 2015 foi devido a redução de 50% do preço de venda em relação a 2012. Então, há fatores muito complicados que impulsionam o mercado de prata.

Minha mais recente análise trouxe uma nova compreensão do que guia o preço de mercados de ações, commodities, metais, etc. No entanto, o custo de produção é o fator primordial que fornece um andar no preço da maioria das coisas. Não estou dizendo que isso é 100%, mas os custos de produção são os principais indicadores de preço quando todas as coisas são iguais. E com isso quero dizer que, quando o mercado está equilibrado, o custo de produção é normalmente o preço mínimo sobre o qual as forças de oferta e demanda reagem.

Segundo a minha análise, o principal condutor do preço da prata, durante um longo período de tempo, tem sido o preço do petróleo.

petroleoxprata_2018

O preço da prata acompanhou bem o preço do petróleo desde 1900. A prata subiu mais na década de 70 do que no petróleo porque havia muito mais “inflação de preços ao consumidor” enquanto a década de 2000 experimentava muito mais “inflação de ativos” (ações, títulos, e imobiliário). Além disso, a demanda física de prata teve um impacto maior no preço da prata na década de 1970, enquanto os mercados de papel foram o principal motor, pelo menos, nas últimas duas décadas.

Assim, quando o preço do petróleo subiu de US $ 19 em 2000 para US $ 110 em 2011, isso teve um impacto tremendo no custo para produzir prata.

Assim, com todas as forças globais de oferta e demanda ao longo do século passado, acho bastante surpreendente que o preço da prata tenha subido e descido com o preço do petróleo. Por quê? Porque o preço do petróleo é o principal motor da economia e define a taxa de inflação e os custos de produção da maioria das coisas. Eu não me importo se o mercado ou os indivíduos criam a demanda por prata e os mineiros produzem o suprimento … eles não podem determinar o CUSTO DE PRODUÇÃO… que é baseado na termodinâmica de um sistema altamente complexo.

Sim, é verdade que se ninguém no planeta quisesse prata, então o bom senso ditaria que seu valor seria ZERO. No entanto, se as pessoas desejarem bens e serviços, elas terão que pagar o preço para cobrir o CUSTO DE PRODUÇÃO. É tão simples assim.

Teremos mais artigos sobre o que é e qual será o NOVO DRIVER do preço da prata no futuro. Muitos perguntam se o preço do petróleo vai cair, e se os preços da prata estarão muito mais altos no futuro. BEM, AÍ ESTÁ A QUESTÃO DE UM TRILHÃO DE DOLARES.

Mas, para simplificar, os enormes US$ 247 trilhões em dívidas globais proporcionaram uma ilusão temporária de altos preços de ativos de ações, bônus e imóveis. Basicamente, a dívida explodiu esses valores de ativos. No entanto, o ouro e a prata não estão sendo apoiados por dívidas. Quando a dívida implode, a maioria dos preços dos ativos vai se esvaziar na fossa. E com a queda da produção mundial de petróleo, a situação será a pior possível. O crescimento da produção mundial de petróleo permitiu que a dívida aumentasse, mas isso vai para o outro lado quando o suprimento de petróleo virar a esquina.

Quando os investidores observarem como seus ativos continuam a ir de RUIM, para PIOR e para o TERRÍVEL, eles vão correr para o ouro e a prata para proteger a sua riqueza. Este será o momento em que as forças de FORNECIMENTO & DEMANDA de metais preciosos finalmente decolarão.

Por fim, a próxima fase do mercado em que entraremos é a PRESERVAÇÃO DE RIQUEZA. Assim, quando os investidores se familiarizarem com os metais preciosos durante esta fase, não precisaremos mais nos preocupar se a PRATA está ou não morta.

 

Proteja suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais!

 

Fonte 1, Fonte 2.

2 comentários sobre “OURO, PRATA e os MERCADOS: O que vem a seguir em 2019

  1. Parabéns acompanho sempre sua opinião sobre este mercado, no Brasil acho que só temos você. Obrigada

Deixe uma resposta para Olga Claussen Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s