Algumas previsões para a Prata em 2023

Para onde estará indo o preço da prata em 2023? E para onde ela estará indo nos próximos 5 anos?

Aqui compilamos previsões de preços de prata de vários analistas, dentro e fora da indústria de metais preciosos. Isso vai ser divertido, então vamos lá!

Há alguns comentários interessantes que acompanham essas previsões.

David Morgan: “A prata tende a superar 3:1 em mercados de alta. Assim que a prata ultrapassar US$ 30-50, o próximo movimento pode subir para US$ 70-US$ 100.”

Investing Haven: “A prata subirá em 2023 porque esperamos que o topo do dólar americano seja confirmado. Além disso, nossa previsão de preço da prata para 2023 é apoiada por indicadores importantes, como expectativas de inflação e o relatório CoT de prata (posições de mercado futuro de prata). Uma vez que a prata seja negociada perto de $ 36, será uma questão de tempo até que ela ataque os recordes históricos. Também indicamos a prata como o metal precioso a ser comprado em 2023.”

Avi Gilburt: “A longo prazo, estou procurando que a prata chegue a US$ 50, mas isso pode levar alguns anos. Os preços podem facilmente dobrar em 2023 e no primeiro semestre de 2024.”

Wells Fargo: “As commodities estão em um superciclo desde 2020, com a prata procurando desempenhar um papel especial, especialmente considerando o quão barato está em relação a outras commodities. Quando você está em um superciclo, geralmente descobre que as jogadas beta altas se saem melhor. Entre 1999-2011, a prata se saiu muito melhor do que o ouro.”

Commerzbank: “A prata deve se beneficiar do fim dos aumentos das taxas de juros do Fed e da especulação sobre os cortes nas taxas de juros que começarão a partir de então. A recuperação econômica esperada após o fim da recessão deve beneficiar adicionalmente a prata como metal precioso com alto uso industrial. Com a flexibilização das restrições da coroa na China, a demanda por prata deve receber um novo impulso, já que a China é o maior consumidor de prata.”

Philip Newman, diretor administrativo da Metals Focus: “A demanda industrial por prata atingiu um recorde em 2022, atingindo 539 milhões de onças. Com tantos países focados na segurança energética, a prata viu uma nova demanda vir de instalações de painéis solares, que atingiram novos recordes este ano. O setor automotivo também contribuiu para a procura adicional, nomeadamente a eletrificação de viaturas. O teor médio de prata por veículo está aumentando.”

OANDA Corp: “Uma recessão poderia prejudicar a demanda industrial, mas não o suficiente para tornar a prata uma vítima da recessão. Vai se sair bem no ano que vem, assim como o ouro.”

Philip Newman/Metals Focus: “Em 2022, 60% da prata foi entregue por via aérea, o que não tem precedentes. A prata geralmente viaja por frete marítimo. [O frete aéreo agora é] possível devido ao alto prêmio. A demanda é tão insaciável que eles não querem esperar dois ou três meses para chegar um contêiner marítimo.”

Bank of America: “Embora a alta possa ser limitada no curto prazo, a oferta da mina é restrita, portanto, uma recuperação das compras comerciais deve elevar os preços. [A oferta] também deve ser apoiada pelo aumento da demanda de painéis solares e veículos elétricos, já que a comunidade global se concentra no combate às mudanças climáticas.”

Você pode ver que, embora muitos sejam moderadamente a fortemente otimistas, há alguma disparidade entre as previsões. Então, como fazer uma previsão razoável sobre o preço da prata?

Considerando que a prata é um metal híbrido, com utilização industrial e para investimento, muitas coisas podem impactar o preço da prata – a economia, o dólar americano, as expectativas de inflação, entre outras – mas historicamente essas três têm a maior influência…

Com base na demanda de investimento antecipada… Devemos esperar preços mais altos em 2023!

É interessante como Leigh Goehring, da Goehring & Rozencwajg Associates, vê o futuro do preço da prata. “A prata aumentará substancialmente devido a razões monetárias. O dólar americano não sobreviverá em sua forma atual. Aqui não tem almoço grátis. A dívida não é sustentável e nunca poderá ser paga. E com taxas mais altas o governo americano não conseguirá pagar os juros crescentes dessa dívida sem imprimir dinheiro. O ouro está indo para a faixa de $ 10.000; eles vão destruir o dólar. O ouro vai liderar a prata, mas a prata vai superá-lo, e a proporção atingirá 20 novamente”, referindo-se à quase baixa que a proporção ouro-prata atingiu em 1980. Isso implica um preço de longo prazo da prata de US$ 500.

Mike Maloney , fundador da GoldSilver.com , também espera ver a relação ouro/prata cair abaixo de 20 . “O dia em que as pessoas correrem de volta ao ouro e à prata como ativos monetários será o dia em que você verá a proporção voltar ao seu mínimo de 1980, de 14, dando a você uma enorme alavancagem.”

Como a maioria dos analistas espera que o ouro suba em 2023 , podemos razoavelmente esperar que a prata o supere. Se não este ano, então 2024. De qualquer forma, isso sugere que os preços da prata têm mais probabilidade de subir em 2023 do que cair.

Se essas previsões funcionarem como esperado, acumular prata agora seria sensato. (fonte: GoldSilver.com Newsletter, 18.01.2023)

Na PrataPura.com, fazemos o que fazemos porque acreditamos que riqueza de verdade é aquela que você tem em sua mão, fisicamente, e que não tem risco de evaporar por um clique num computador, ou pela falta de empatia dos governantes e donos do mundo.

Queremos ajudar nossos clientes a protegerem sua riqueza, seu dinheiro duramente conquistado, neste mundo constantemente ameaçado pelo caos, e terem controle total sobre seu patrimônio.

Nosso propósito é facilitar a formação de reservas de riqueza seguras pelos nossos clientes em face das incertezas globais e a irresponsabilidade dos emissores de dinheiro de papel, intermediando a troca de metal precioso físico por valores fiduciários a medida das suas necessidades. Somos a empresa pioneira no Brasil em vender, além de prata física, também barras certificadas de platina para reserva de valor, de forma legal.

Entre no seleto grupo de pessoas que pensam no futuro, a frente do seu tempo, e protegem sua riqueza de forma que ela dure para sempre!

Visite nossa loja online: www.loja-pratapura.com

A Prata será um dos melhores investimentos em 2023

As commodities, incluindo ouro e prata, devem ser a melhor classe de ativos em 2023 pelos principais grupos financeiros globais e empresas de pesquisa.

O mercado de ações, no entanto, é classificado como uma classe de ativos de risco este ano.

O relatório da principal empresa indiana de pesquisa do mercado de commodities Prithvi Finmart classificou ouro, prata e metais industriais como as commodities de melhor desempenho em 2023 devido à fraqueza do índice do dólar, possibilidades de pausa nos ciclos de alta das taxas de juros do Fed e demanda da China após a reabertura de sua economia.

“Ouro e prata são meus principais favoritos para 2023. Espero que o ouro ultrapasse US$ 2.000 por onça troy e a prata também possa testar os níveis de US$ 28-30 por onça troy [este ano]”, disse Manoj Jain, diretor da Prithvi Finmart, à Arabian Business.

A Kedia Commtrade and Research, outra empresa líder no mercado indiano de commodities, disse que o ouro pode se beneficiar de um dólar mais fraco em 2023.

“Em uma reversão da tendência dos últimos 12 meses, espera-se que outras moedas se fortaleçam à medida que o dólar enfraquece em 2023, em grande parte devido à política monetária”, disse Ajay Kedia, diretor administrativo da Kedia Commtrade and Research, à Arabian Business.

O relatório da empresa também projetou os preços da prata cruzando US$ 32, já que a demanda industrial parece estar melhorando em relação à oferta de estoques residenciais.

O JP Morgan disse que há boas e más notícias para os mercados de ações e classes de ativos de risco mais amplo em 2023. “A boa notícia é que os bancos centrais provavelmente serão forçados a girar e sinalizar cortes nas taxas de juros no próximo ano, o que deve resultar em uma recuperação sustentada dos preços dos ativos e, posteriormente, da economia até o final de 2023.

“A má notícia é que, para que esse pivô aconteça, precisaremos ver uma combinação de mais fraqueza econômica, aumento do desemprego, volatilidade do mercado, queda nos níveis de ativos de risco e queda da inflação. É provável que tudo isso cause ou coincida com o risco de queda no curto prazo”, disse Marko Kolanovic, estrategista-chefe de mercados globais e co-chefe de pesquisa global do JP Morgan, no relatório. (fonte)

E você, já se posicionou para encarar a nova realidade dos mercados?

Na PrataPura.com, fazemos o que fazemos porque acreditamos que riqueza de verdade é aquela que você tem em sua mão, fisicamente, e que não tem risco de evaporar por um clique num computador, ou pela falta de empatia dos governantes e donos do mundo.

Queremos ajudar nossos clientes a protegerem sua riqueza, seu dinheiro duramente conquistado, neste mundo constantemente ameaçado pelo caos, e terem controle total sobre seu patrimônio.

Nosso propósito é facilitar a formação de reservas de riqueza seguras pelos nossos clientes em face das incertezas globais e a irresponsabilidade dos emissores de dinheiro de papel, intermediando a troca de metal precioso físico por valores fiduciários a medida das suas necessidades. Somos a empresa pioneira no Brasil em vender, além de prata física, também barras certificadas de platina para reserva de valor, de forma legal.

Entre no seleto grupo de pessoas que pensam no futuro, a frente do seu tempo, e protegem sua riqueza de forma que ela dure para sempre!

Visite nossa loja online: www.loja-pratapura.com

Especialista diz que os mercados estão caminhando para um “potencial caos” em 2023

O famoso investidor Bill Gross disse que espera grandes problemas pela frente caso o Federal Reserve continue elevando as taxas de juros.

“A economia foi impulsionada por enormes quantias de trilhões de dólares em gastos fiscais, mas, no final das contas, quando isso acabar, acho que teremos uma recessão moderada e, se as taxas de juros continuarem subindo, teremos mais do que isso”, disse Gross no “Halftime Report” da CNBC.

“Temos um caos potencial nos mercados financeiros”, disse ele.

Um aperto na política monetária perturbaria ainda mais os mercados de capitais, de acordo com Gross. O chamado rei dos títulos e cofundador da Pimco apontou para o movimento de terça-feira nos rendimentos dos títulos globais após a decisão do Banco do Japão de ampliar o rendimento de seus títulos do governo japonês de 10 anos.

Enquanto isso, um aumento nas taxas de juros significa problemas futuros para o setor imobiliário comercial, que pode enfrentar “potenciais inadimplências” no futuro, disse Gross. No entanto, ele espera que os imóveis residenciais se saiam um pouco melhor e não sejam atingidos na medida em que foram durante a Grande Recessão.

“Acho que, daqui para frente, se o Fed continuar a aumentar as taxas, a capacidade de equiparar parte do mercado imobiliário, que está caindo de preço, será severamente limitada e, portanto, servirá como um alerta”, disse Gross. “Mas em termos de desastre imobiliário, como em 2007, 08, não acho que estamos indo para lá.” (fonte)

Porém, como já alertamos aqui, há outros buracos muito mais profundos no sistema, como os derivativos.

Cinco razões para comprar prata em 2023

Para aqueles de nós que se mantêm atualizados sobre as notícias mundiais e o sistema financeiro global, 2022 não teve falta de surpresas. Aumento da inflação? Qualquer um poderia ter previsto isso, e a resposta dos BCs (mesmo que seja um pouco tarde demais) saiu direto dos manuais dos bancos centrais. Na verdade, praticamente todas as economias desenvolvidas estão fazendo a mesma coisa.

O pior início de ano para as ações desde 1970? O pior ano para títulos desde 1842? Novamente, qualquer pessoa familiarizada com a história econômica poderia ter previsto isso.

Quem poderia esperar a invasão russa da Ucrânia, no entanto – e as sanções maciças de retaliação do Ocidente que esmagaram os mercados globais de energia? A mutação Omicron da incrível contagiosidade de Covid e o bloqueio nacional da China em resposta? A administração Liz Truss de um mês no Reino Unido e o retorno dos vigilantes de títulos? O euro caindo para a paridade com o dólar (e a libra esterlina quase fazendo o mesmo)?

Pessoal, este foi um ano agitado. Aqueles de meus leitores regulares que diversificaram suas economias com metais preciosos físicos há um ano provavelmente estão se dando tapinhas nas costas agora…

Até agora neste ano, o ouro superou as ações em 20,4% e superou os títulos em 16%. A prata se saiu ainda melhor, quase 4,5% a mais que o ouro.

Agora, pare-me se você já ouviu isso: o desempenho passado não é garantia de resultados futuros. Na verdade, várias pessoas com quem conversei recentemente expressaram frustração por terem “perdido” por não comprar ouro e prata há um ano.

Desempenho acumulado no ano do SP 500, mercado de títulos amplos (Bonds), ouro e prata em 28.12.2022

Aqui estão os 5 principais motivos pelos quais você deve considerar a compra de prata física agora, especialmente se ainda não diversificou com metais preciosos físicos.

1. Não há pouso suave à frente…

Em outubro, 98% dos CEOs dos EUA relataram esperar uma recessão. Isso significa maior desemprego, uma desaceleração maciça da atividade econômica e um golpe correspondente no mercado de ações. (O CEO do Bank of America, Brian Moynihan, prevê uma queda de 25% no mercado.)

Em média, durante uma recessão, o S&P 500 cai 29% – durante a Grande Recessão, caiu 55%.

Com base no índice Shiller PE, as ações devem cair cerca de 40% para retornar à sua avaliação média histórica. Isso está dividindo quase exatamente a diferença entre uma recessão padrão e a pior crise econômica desde a Grande Depressão.

2. Porque os bancos centrais do mundo estão comprando!

Os bancos centrais em todo o mundo acumularam ouro em um ritmo inédito desde 1967 (quando o dólar americano ainda era lastreado em ouro). De acordo com o FMI, há dois fatores principais por trás da onda de compras de ouro do banco central:

-Uma fuga para ativos mais seguros em meio à inflação escaldante
-Para diversificar ativos (a maioria dos bancos centrais detém muitas reservas em moeda estrangeira)

3. Vinte meses consecutivos de aumentos de preços superando os salários

Os salários estão subindo – viva! A única coisa subindo mais rápido? Todo o resto…. Em outubro, a inflação ultrapassou o crescimento dos salários por 18 meses seguidos. Isso significa que o salário aumentou no papel – e ainda assim podemos pagar menos do que podíamos um mês, um ano ou um ano e meio atrás.

Se você não se lembra de mais nada deste artigo, lembre-se disso: sempre compare as taxas de “crescimento econômico” com as taxas de inflação. Os resultados podem ser francamente desanimadores…

Não é de admirar que as pessoas estejam, cada vez mais, buscando uma forma de dinheiro à prova de inflação. A boa notícia é que isso já existe! É chamado de ouro e prata físicos.

4. A crescente dívida dos países já é incontrolável…

A dívida dos países cresceu mais rápido do que o PIB desde 1981. Este não é um problema do qual nossos governos possam apenas tributar para se livrar.

Além disso, temos mais dois anos de administração Biden pela frente. Você deve se lembrar que, sob a presidência de Biden, os EUA tomarão emprestados outros US$ 4,8 trilhões (a partir de setembro). O orçamento preliminar para 2023 é 7,4% superior ao de 2022…

Pode ser tarde demais para a sanidade fiscal salvar as nações da moratória da dívida. Mas muitos não pensam assim.

No entanto, a dívida não é o único problema associado aos gastos deficitários. Lembre-se de que cada dólar recém-impresso não aumenta a riqueza – em vez disso, reduz o poder de compra de todos os outros dólares do mundo.

Isso torna urgente que todo americano possua alguns ativos cujo valor não esteja vinculado ao sucesso ou fracasso do dólar americano. O ouro e a prata são uma escolha ideal. Como diz Ray Dalio:

Há um velho ditado que diz que ‘o ouro (e a prata) é o único ativo financeiro que não é passivo de outra pessoa’. Quando você recebe moedas de ouro (ou de prata) de um comprador, pode derretê-las e trocar o metal e ainda receber quase o mesmo valor como se as tivesse gasto, ao contrário de um ativo de dívida como o papel-moeda, que é uma promessa de entrega de valor (que é não é uma grande promessa, dada a facilidade de impressão).”

5. Ouro e prata são historicamente subvalorizados

Vários investidores e analistas acreditam firmemente que o ouro e a prata são extremamente, até mesmo historicamente, subvalorizados… Ainda mais quando consideramos a análise de Urban Jermann sobre os mal-entendidos do valor do ouro como um investimento. (Para resumir, Jermann diz que o preço do ouro subestima a demanda mundial por ouro (e prata) – quando os preços caem, sempre há um comprador, ao contrário de praticamente todos os outros ativos financeiros.)

Posso diversificar minhas economias com metais preciosos físicos a ponto de ficar completamente indiferente ao próximo anúncio do Fed – Powell não pode me tornar rico e não pode me tornar pobre. Tudo o que ele pode me fazer é frustrar.

Às vezes, as pessoas me perguntam: “Como faço para escolher entre ouro e prata?” Agora há uma boa resposta! A Oxford Economics identificou recentemente uma alocação “ideal” para a prata como uma porcentagem das economias de qualquer investidor:

Ao longo de uma janela de dez anos, a alocação ideal para a prata deve depender da tolerância ao risco geral do indivíduo: 5,6% para baixo risco, 6% para médio risco e 5,8% para alto risco.”

Isso torna agora um ótimo momento para começar a diversificar com metais preciosos físicos. (fonte)

E você, já está se preparando para o Grande ‘Reset’?

Na PrataPura.com, fazemos o que fazemos porque acreditamos que riqueza de verdade é aquela que você tem em sua mão, fisicamente, e que não tem risco de evaporar por um clique num computador, ou pela falta de empatia dos governantes e donos do mundo.

Queremos ajudar nossos clientes a protegerem sua riqueza, seu dinheiro duramente conquistado, neste mundo constantemente ameaçado pelo caos, e terem controle total sobre seu patrimônio.

Nosso propósito é facilitar a formação de reservas de riqueza seguras pelos nossos clientes em face das incertezas globais e a irresponsabilidade dos emissores de dinheiro de papel, intermediando a troca de metal precioso físico por valores fiduciários a medida das suas necessidades. Somos a empresa pioneira no Brasil em vender, além de prata física, também barras certificadas de platina para reserva de valor, de forma legal.

Entre no seleto grupo de pessoas que pensam no futuro, a frente do seu tempo, e protegem sua riqueza de forma que ela dure para sempre!

Visite nossa loja online: www.loja-pratapura.com

A mãe de todos os colapsos está chegando em 2023

À medida que o sistema financeiro global começar a quebrar, o colapso será repentino…

Os sinais da próxima contração econômica já estão presentes e óbvios, mas o quadro econômico geral provavelmente não será reconhecido pela mídia de massa até que a situação se torne muito pior.

É um problema que surge no início de toda crise financeira histórica – os principais economistas e comentaristas de notícias a cabo deliberadamente enganam o público sobre a gravidade dos desafios e as chances de recuperação. Eles alimentam seu público com falsas garantias na esperança de embalar as pessoas de volta ao sono.

Mesmo agora, com a inflação atingindo a família média, eles nos dizem que não há nada com que se preocupar.

Considere a Grande Crise Financeira de 2008

Em 2007, pouco antes do épico colapso dos derivativos que derrubou o Lehman Brothers e o Bear Sterns, quando os especialistas da mídia aplaudiam o mercado imobiliário dos EUA e previam altas ainda maiores nas vendas e nas avaliações. Um “platô permanente”, que espalharia generosamente a riqueza por todo o país.

Parecia que eles estavam tentando enganar o público na esperança de que, se as pessoas acreditassem com força suficiente que tudo estava bem, a fantasia poderia se manifestar em realidade. A ciência até desenvolveu um termo para isso: o efeito Tinkerbell. Infelizmente, não é assim que a economia funciona.

Aqui estão alguns conselhos gratuitos que a maioria das pessoas aprende da maneira mais difícil: quanto mais seu futuro financeiro depender da esperança, em vez de princípios econômicos básicos, maior será a probabilidade de decepcioná-lo. As forças fundamentais que fazem os mercados, oferta e demanda, dívida e crédito, velocidade do dinheiro e inflação – não podem ser ignoradas.

Se o sistema estiver desequilibrado, ele vai desmoronar e não há nada que alguém, incluindo os bancos centrais, possa fazer a respeito. (Na verdade, há momentos em que eles projetam deliberadamente o colapso – embora não o chamem assim).

Veja como a economia de hoje está desequilibrada

Esta é a situação em que estamos hoje, quando 2022 chega ao fim. Os Bancos Centrais ao redor do mundo estão no meio de um cronograma de aumento de juros bastante agressivo, tentando subjugar a crise inflacionária de hoje. A parte absurda de tudo isso? A inflação de hoje foi criada deliberadamente por eles, por meio de anos de medidas de estímulo fiduciárias.

É como o enredo de Frankenstein de Mary Shelley. O brilhante cientista cria uma obra-prima – um super-humano vivo e respirante! Mas a criatura não segue as ordens de seu mestre, então ele passa o resto do livro tentando matá-la. Até agora, as taxas de juros mais altas não estão reduzindo significativamente os preços, nem estão diminuindo a especulação maníaca no mercado de ações. O dinheiro fácil está entrincheirado há muito tempo, o que significa que um “pouso forçado” (que é como as autoridades chamam de colapso) é o cenário mais provável.

No início dos anos 2000, os BCs estavam envolvidos em taxas de juros artificialmente baixas que inflaram a bolha imobiliária e de derivativos. Em 2004, eles mudaram para um processo de aperto. As taxas em 2004 nos EUA estavam em 1% e em 2006 subiram para mais de 5%. Foi quando as rachaduras começaram a aparecer nos mercados de crédito, com 4,5% a 5,5% sendo o ponto de corte mágico antes que a dívida se tornasse muito cara para os mercados manterem a farsa. Em 2007-08, a nação norte-americana testemunhou uma implosão exponencial de crédito e dívida – que então entrou em colapso total, desencadeando a maior bonança de impressão de dinheiro na história dos EUA para salvar o sistema bancário global. Pelo menos por enquanto.

Agora, lembre-se, apesar de seu papel essencial na economia do país, o Fed só pode realmente fazer duas coisas: expandir ou contrair a oferta de dinheiro (imprimir ou destruir dólares), tornar a dívida mais barata ou mais cara (diminuir ou aumentar as taxas de juros). É isso. Esses são os limites da política monetária.

O outro componente importante da saúde econômica, a política fiscal (como uma nação escolhe investir ou gastar seu dinheiro), bem, isso não é um problema dos BCs. E particularmente aqui no Brasil, vale lembrar que as perspectivas não são nada boas…

Como nada foi realmente corrigido após a Grande Crise Financeira de 2007-08, continuarei a usar a taxa de fundos de 5% como um marcador para quando podemos esperar ver a próxima grande contração. Mas desta vez é diferente.

Os BCs não tem a opção de inundar a economia com mais dinheiro recém-impresso, não sem desencadear imediatamente uma espiral estagflacionária. Quando isso acontecer, apenas aqueles que tiveram a clarividência de investir em metais preciosos físicos, especialmente ouro e prata, poderão evitar a dor de ver seu poder de compra ser destruído em questão de meses.

Os principais comentaristas financeiros querem acreditar que o Fed em particular vai capitular porque querem desesperadamente que a festa nos mercados de ações continue, mas a festa acabou. Claro, haverá momentos em que os mercados se recuperarão com base em nada mais do que uma ou duas palavras de um funcionário do Fed plantando falsas esperanças, mas isso se tornará raro. No final das contas, o Fed tirou a tigela de ponche e não vai voltar. Eles têm a desculpa perfeita para matar a economia e os mercados na forma de um desastre estagflacionário que ELES CAUSARAM. Por que eles inverteriam o curso agora?

A economia dos EUA deve ser esmagada

O FED tem uma agenda global que exige o declínio da economia americana. Eles estão conseguindo exatamente o que querem e estão perfeitamente conscientes do que estão fazendo. Espera-se que o Fed diminua os aumentos das taxas para 50 pontos-base em dezembro, mas isso não está garantido com o mercado de trabalho ainda aquecido com US $ 8 trilhões em estímulos da Covid nos últimos dois anos (principalmente empregos de varejo e serviços com salários mais baixos). Na reunião de fevereiro de 2023, o Fed estará em taxas de juros de 5% ou muito próximas, o que, acredito, ajudará a desencadear uma queda considerável nos mercados e subsequentes demissões em massa.

Há outros fatores a considerar, no entanto. Uma questão menos conhecida é o novo imposto especial de consumo de 1% sobre recompras de ações plantado na Lei de Redução da Inflação de Biden. A medida, que entra em vigor em janeiro do ano que vem, não reduzirá os preços da maioria dos produtos. Dito isso, as recompras de ações ainda são a principal forma de as grandes corporações manterem os preços de suas ações altos. Na última década, as recompras foram financiadas por dinheiro emprestado de bancos ou diretamente do Fed a juros próximos de zero. Ajustados pela inflação, esses empréstimos eram essencialmente dinheiro de graça.

Agora, a festa do dinheiro fácil está prestes a terminar. O imposto especial de consumo de 1% adicionado a uma taxa de fundos do Fed de 5% cria uma pedra de moinho de 6% em qualquer dinheiro emprestado para financiar novas recompras de ações. Dinheiro grátis é coisa do passado. Posteriormente, as recompras irão essencialmente parar. Isso remove uma importante fonte de novos fundos dos mercados de ações, que também farão uma pausa, antes de começar uma queda de parar o coração.

Agora, provavelmente levará dois ou três meses até que o imposto e os aumentos das taxas criem um efeito visível nos mercados. Isso colocaria nosso cronograma de contração em torno de março ou abril de 2023.

A inflação não vai a lugar nenhum tão cedo, no entanto. O problema subjacente dos preços da energia precisa ser considerado, pois eles contribuem para aumentar ainda mais o estresse na cadeia de suprimentos. Pense nisso por um momento: a atual redução nos preços do petróleo e da energia é artificial e impulsionada pelo governo, não pela oferta e pela demanda. Os preços do petróleo nos EUA estão sendo mantidos baixos pelos constantes despejos de oferta do presidente Biden das reservas estratégicas. Eventualmente, não haverá mais petróleo para cair nos mercados e a nação terá que reabastecer essas reservas estratégicas a um custo muito mais alto.

Além disso, os preços do petróleo e da energia estão sendo mantidos baixos por causa da bizarra política Zero Covid da China, que está desacelerando sua economia e reduzindo o uso de petróleo ao mínimo. Com a escalada dos tumultos públicos, o PCCh provavelmente tentará aliviar as condições financeiras como um meio de reprimir a dissidência. Uma reabertura em fevereiro ou março está a caminho, com vários controles ainda em vigor, é claro. Assim que a China reabrir, os preços do petróleo dispararão novamente no mercado global.

Depois, há a guerra na Ucrânia e as sanções em curso contra a Rússia. A Europa está prestes a enfrentar o pior inverno em décadas, com o fornecimento de gás natural severamente limitado e o custo da energia para fabricação insustentável. Centenas de fábricas na Alemanha e no norte da Europa já estão ociosas. Sua única esperança é um inverno ameno. Se a tendência atual continuar, a fabricação na Europa continuará a despencar, causando mais caos na cadeia de suprimentos global. (Não se esqueça – a Alemanha é a quarta maior nação exportadora do mundo, um fato que muitas vezes é esquecido por muitos economistas. A Alemanha é um fornecedor crucial de máquinas de geração de energia nuclear, veículos, eletrônicos, produtos farmacêuticos, equipamentos médicos – a lista é longa…)

Os altos preços da energia e as interrupções na cadeia de suprimentos significarão preços altos constantes ou preços crescentes de bens e serviços até 2023, mesmo com uma contração nos mercados de trabalho e de ações.

Aqui está o que fazer

Sugiro fortemente que os leitores se certifiquem de que estão preparados para enfrentar uma calamidade econômica. Isso significa possuir ouro e prata à prova de inflação, um estoque de provisões e medicamentos necessários, um suprimento de outras necessidades (combustível, por exemplo) e organizar redes de apoio mútuo dentro de suas comunidades locais antes de abril próximo.

Isso soa drástico? Na minha opinião, o custo de preparação para tal desastre é mínimo. Você sempre pode vender ouro e prata, sempre pode comer essas provisões, usar a medicação e o combustível. O tempo investido na organização de sua comunidade renderá enormes dividendos – você nunca sabe quando precisará de um vizinho útil para ajudar em um projeto.

O custo de não se preparar para tal evento? O custo de não estabelecer uma base sólida de autossuficiência e apoio mútuo não é medido em dólares. É medido em sonhos desfeitos e vidas arruinadas. (fonte)

Na PrataPura.com, fazemos o que fazemos porque acreditamos que riqueza de verdade é aquela que você tem em sua mão, fisicamente, e que não tem risco de evaporar por um clique num computador, ou pela falta de empatia dos governantes e donos do mundo.

Queremos ajudar nossos clientes a protegerem sua riqueza, seu dinheiro duramente conquistado, neste mundo constantemente ameaçado pelo caos, e terem controle total sobre seu patrimônio.

Nosso propósito é facilitar a formação de reservas de riqueza seguras pelos nossos clientes em face das incertezas globais e a irresponsabilidade dos emissores de dinheiro de papel, intermediando a troca de metal precioso físico por valores fiduciários a medida das suas necessidades. Somos a empresa pioneira no Brasil em vender, além de prata física, também barras certificadas de platina para reserva de valor, de forma legal.

Entre no seleto grupo de pessoas que pensam no futuro, a frente do seu tempo, e protegem sua riqueza de forma que ela dure para sempre!

Visite nossa loja online: www.loja-pratapura.com

Dicas para 2023 sobre a prata

  1. A diferença entre a oferta e a demanda anual de prata aumentou, criando o maior déficit em décadas. A oferta na LBMA também está caindo vertiginosamente. Veja por que a diferença repentina e o que isso pode significar para os preços.
  2. A prata poderia realmente atingir $ 500 ?! Veja o que um veterano da indústria tem a dizer. Ele até dá um cronograma.
    • Diz Leigh Goehring, de Goehring & Rozencwajg: Devido a um aumento na demanda industrial ou talvez problemas de oferta/demanda? “Não. Embora os políticos de todo o mundo continuem a promover a agenda de energia, que requer prata.” Por “razões monetárias. O dólar americano não sobreviverá em sua forma atual. A dívida não é sustentável e nunca poderá ser paga. E com taxas mais altas, o governo dos EUA não conseguirá pagar os juros crescentes dessa dívida sem imprimir dinheiro. O ouro está indo para a faixa de $ 10.000”, declarou ele, quase como se fosse uma conclusão precipitada. “Eles vão destruir o dólar. Acho que as pessoas não entendem o que isso significa.” E é assim que a prata chega a $ 500? “Direita. O ouro vai liderar, mas a prata vai superá-lo, e a proporção atingirá 1:20 novamente”, disse ele, referindo-se à baixa que a proporção ouro-prata atingiu em 1980. Quando essa onda descontrolada começa? “Todo mundo me pergunta isso. Talvez 2024 ou 2025, 2026, o mais tardar. Certamente antes de 2030. Será um mundo diferente então, monetariamente.” (fonte)
  3. Por quanto tempo a prata pode permanecer barata? Não muito mais, diz esta pista dos principais produtores de prata.
    • O custo médio de manutenção geral (AISC) dos produtores é atualmente de US$ 19,33 por onça (com base ponderada). O preço da prata estava na casa dos US$ 20 até junho deste ano, mas desde então a média foi de apenas US$ 19,55, pouco acima do custo médio de produção do setor.
    • Reduzir significativamente a média da indústria é quase impossível, especialmente quando agora temos inflação alta, o que obviamente afeta o setor de mineração como todos os outros. Há exceções, mas geralmente os custos estão aumentando. O preço da prata deve eventualmente subir para explicar isso.
    • Além disso, um número de mineradores buscou o alto teor, uma prática em que extraem as porções de alto teor de seus depósitos, em um esforço para gerar uma receita melhor. Eles também não podem fazer isso para sempre e, para aqueles que confiam nisso, uma dura realidade está à frente: as porções de baixo teor de seus depósitos podem não ser viáveis se o preço da prata permanecer baixo, porque o baixo teor só funciona se o material de alta qualidade está disponível para misturar com ele.
    • Isso novamente destaca que o preço da prata deve ser mais alto para que a indústria opere com lucro.
    • É verdade que três em cada quatro onças vêm de minas de prata não primárias. Eles não exigem um alto preço de prata; a prata é um subproduto e apenas compensa seus custos totais de produção. Mas pode naturalmente causar problemas de rentabilidade. E eles provavelmente não esperavam que a prata custasse em média de US$ 20 a onça durante a alta inflação. Portanto, esses produtores também esperam (e, em alguns casos, precisam) um preço de prata mais alto.
    • Em última análise, o preço da prata DEVE subir. A indústria não pode funcionar dessa forma indefinidamente. A alta inflação persistente também exige isso. Os mineradores estão insinuando que está chegando uma mudança para cima no preço da prata. (fonte)

Na PrataPura.com, fazemos o que fazemos porque acreditamos que riqueza de verdade é aquela que você tem em sua mão, fisicamente, e que não tem risco de evaporar por um clique num computador, ou pela falta de empatia dos governantes e donos do mundo.

Queremos ajudar nossos clientes a protegerem sua riqueza, seu dinheiro duramente conquistado, neste mundo constantemente ameaçado pelo caos, e terem controle total sobre seu patrimônio.

Nosso propósito é facilitar a formação de reservas de riqueza seguras pelos nossos clientes em face das incertezas globais e a irresponsabilidade dos emissores de dinheiro de papel, intermediando a troca de metal precioso físico por valores fiduciários a medida das suas necessidades. Somos a empresa pioneira no Brasil em vender, além de prata física, também barras certificadas de platina para reserva de valor, de forma legal.

Entre no seleto grupo de pessoas que pensam no futuro, a frente do seu tempo, e protegem sua riqueza de forma que ela dure para sempre!

Visite nossa loja online: www.loja-pratapura.com