A enorme atualização do mercado de ações e a tendência do preço de prata

Enquanto o Índice Dow Jones e os mercados de ações pelo mundo tentam se recuperar, o pior ainda está por vir. Os índices do mercado de ações não caem em linha reta.

No entanto, a alavancagem, a margem e as avaliações insanas nos mercados ainda estão  a toda. Se você acha que a correção do mercado acionário acabou, então você terá um rude despertar.

Veja esta análise do Índice Dow Jones e da tendência do preço de prata no gráfico abaixo:

140218

O mercado acionário vinha se valorizando (linha preta) e sendo acompanhado pela valorização da prata (linha azul) e das commodities de maneira geral, mas assim que em 2012 o governo dos EUA iniciou uma impressão mais pesada de dinheiro fácil (Quantitative Easing 3), esse dinheiro fácil, ao invés de ir todo para a produção, foi desviado para os mercados de papéis e derivativos, empurrando as cotações das commodities para baixo e inflando as bolsas.

Infelizmente, parece que estamos sentados em cima da maior das bolhas da história. Embora seja impossível saber quando o topo exato chegará, quanto mais alto formos, maior será o tombo. Quando o Dow Jones cair, as bolsas mundiais virão junto.

E o mercado imobiliário dos EUA igualmente está vivendo um grande momento de bolha. Lembre-se, após a crise do subprime em 2008, estes derivativos de créditos podres não foram suprimidos, apenas mudaram de nome, e com o afrouxamento por Donald Trump da legislação do governo Obama que os limitava de certa forma, estão bombando novamente.

O gráfico abaixo mostra que, se o boom imobiliário fosse removido da equação e usássemos uma taxa de avaliação histórica anual de 3,6%, o preço médio dos imóveis nos EUA seria aproximadamente o mesmo:

140218b

Ocorre que esta apreciação normal de 3,6% ao ano só seria possível com o contínuo aumento proporcional na produção de petróleo (que sustenta o petrodólar), o que não é o caso.

Por tudo isso vários especialistas tem advertido que talvez estejamos a beira de um colapso ainda maior que 1929/30.

Proteja suas economias em dinheiro sólido, antes que a prata física fique cara demais!

 

Fonte.

 

 

As maiores minas de prata do mundo sofrem com a queda na pureza do minério e aumento dos custos

As duas maiores minas de prata do mundo, a Mina Cannington na Austrália e a Mina Fresnillo no México, viram sua produtividade diminuir substancialmente devido à queda da pureza de minério e ao aumento dos custos. Longe estão os dias em que as minas de prata poderiam produzir 15-20 onças por tonelada de minério. Hoje, a indústria primária de mineração de prata produz a prata com um rendimento médio de 4-5 onças por tonelada.

Resultado de imagem para silver ore

A queda de grau do minério e os crescentes custos de energia contribuíram para duplicar e triplicar os custos de produção em muitas empresas de mineração de prata. Os investidores que acreditam que ainda custa apenas US$ 5 por onça para produzir prata, como em 1999, não conseguem entender o que está ocorrendo na indústria de mineração.

Um grande problema que confundiu os investidores é o relatório da métrica “CUSTO DO DINHEIRO” pela indústria de mineração. Algumas empresas de mineração de prata podem gabar-se de que eles têm um custo inicial muito baixo, de US$ 5 por onça, mas eles chegam a esse valor deduzindo seus “créditos de subproduto”. Os créditos de subproduto são as receitas que recebem da produção de cobre, zinco, chumbo e ouro, junto com a prata.

Por exemplo, a Hecla Mining declarou seu custo de caixa de prata de US$ 0,16 por onça nos primeiros três quartos de 2017. Eles conseguiram relatar esse custo muito baixo deduzindo US$ 175 milhões de suas receitas com zinco, chumbo e ouro. As três minas de prata da Hecla tiveram receita total de US$ 278 milhões, mas deduziram US$ 175 milhões em créditos de subproduto para obter o baixo custo de $ 0,16. Eles deduziram 63% de suas receitas para chegar a esse baixo custo de caixa sem sentido.

De acordo com as demonstrações financeiras da Hecla, eles apenas fizeram US$ 4,2 milhões de lucro líquido no total de $ 417 milhões na receita total nos primeiros três quartos de 2017 (incluindo US$ 140 milhões da Mina de Ouro Casa Berardi). Assim, o lucro líquido foi de apenas 1% de suas receitas totais. Quão ruins as perdas da Hecla seriam se deduzissem US$ 175 milhões de sua suposta receita com subprodutos de sua linha de base? Que tal uma perda de US$ 171 milhões? Então, ignore a métrica do custo de caixa, pois não tem sentido. A contabilidade de custo em dinheiro não faz nada para determinar a rentabilidade de uma empresa de mineração.

Como a indústria de mineração de prata continua a sofrer com a queda do grau do minério, os custos só aumentarão no futuro. No entanto, o maior impacto na indústria de mineração de prata será o declínio da produção global de petróleo. Falaremos mais sobre isso no futuro.

Proteja suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais! Lembre-se: aquilo que você não pode tocar com as mãos, não é realmente seu!

 

Fonte.

 

 

“Um terremoto se aproxima”, avisa investidor bilionário veterano!

Muitas pessoas pagarão o preço como em 1929

O investidor bilionário Carl Icahn falou com a CNBC por telefone em 06/02 e fez algumas advertências muito ameaçadoras após o que ele viu nos últimos dias.

Refletindo sobre os movimentos do mercado de ações recentemente, Icahn chocou os âncoras dizendo:

Isso é algo que nunca vimos antes … Não lembro de ter visto um mercado com esse tipo de volatilidade ao longo de duas semanas“.

O mercado tornou-se um lugar muito mais perigoso [devido a fundos de índice e ETFs] … é como 2008, onde todos estavam comprando hipotecas e CDS“.

Concluindo que: “O investimento passivo é a bolha agora“.

Haverá uma grande, grande, grande correção“.

Esta é uma manifestação de um verdadeiro problema profundo que temos em nossos mercados“.

“Há uma enorme bolha de dinheiro passivo fluindo … uma espécie de euforia, e muitas pessoas vão pagar o preço exatamente como em 1929.”

Icahn elevou seu aviso:

Eu acho que o mercado vai se recuperar, mas esses são apenas os rumores antes do terremoto“.

O mercado está lhe dizendo algo … está dizendo que está muito perigoso … está muito alavancado“.

E essa é uma razão pela qual Icahn teme …

Eventualmente, haverá um problema maior do que 2009 e 1929, eventualmente. Uma tempestade importante está chegando, pode ser em 5 anos, pode ser em 5 meses“.

Icahn acabou por notar que “ninguém pode dizer o que o mercado vai fazer – é quase ridículo pensar que você pode predizer“, mas acrescentou que isso é o que ele pensou que aconteceria, com base em sua análise.

070218

Icahn já havia advertido anteriormente:

Ainda estou preocupado que um dia você verá uma pausa como tivemos há algumas semanas … mas não isso vai voltar“.

A CNBC, é claro, teve o cuidado de fornecer uma cobertura para seus anunciantes, observando que, enquanto Icahn disse que “esse cassino está em anabolizantes – o mercado é um cassino em esteróides“, eles acrescentaram que o veterano observador do mercado disse que esse não é “o tempo explosivo“.

De fato, é difícil prever o timing correto, mas vários analistas, ao redor do mundo, estão alardeando o risco de uma quebra geral dos mercados financeiros, há alguns meses.

Não é demais prevenir, proteja suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais!

Fonte.

Como o investidor mudou fundamentalmente o mercado de prata

Desde que os governos retiraram a prata da cunhagem oficial, há mais de 50 anos, o mercado foi complementado por vários bilhões de onças de prata pelos governos. A maior parte desse fornecimento se esgotou.

A razão pela qual os países deixaram de produzir cunhagem de prata oficial não se deveu a nenhuma conspiração monetária. Em vez disso, ele se baseou em um problema direto: oferta versus demanda. Como o consumo industrial de prata subiu rapidamente após a Segunda Guerra Mundial, o mercado de prata teria sofrido grandes déficits se os Bancos Centrais não vendessem sua prata ao mercado.

Era bastante simples, não havia prata suficiente para todos. Assim, os governos começaram a reduzir, depois eliminaram a prata da sua cunhagem na década de 1960. Muito dessa prata foi comprada pelos investidores ou reciclada e vendida no mercado. Embora não haja nenhuma forma de saber o quanto da antiga prata permanece no mercado, a maioria foi reciclada para o abastecimento da indústria, tão necessário.

No entanto, em 2014, este suprimento dos governos secou. Nos últimos quatro anos, não houve vendas de prata pelos governos.

070118a

Outro aspecto interessante deste gráfico é a quantidade decrescente de fornecimento de sucata de prata. Mesmo que o preço da prata durante o período 2015-2017 tenha sido muito maior que entre 2000 e 2007, o estoque de sucata é consideravelmente menor. Por exemplo, o preço da prata em 2000 foi de US $ 4,95, enquanto o suprimento global de sucata foi de 181 Moz. No entanto, o preço da prata foi três vezes maior entre 2015-2017, mas a fonte média de sucata foi de 140 Mo.

Além disso, o suprimento total de vendas líquidas dos governos e a sucata reciclada em 2000 foi de 241 Moz … mais de 100 Moz do que entre 2015-2017. Esta é uma mudança fundamental significativa no mercado de prata. A desmonetização da prata pelos governos foi um passo necessário para atender a insaciável demanda global da indústria. Infelizmente, o efeito colateral negativo desta decisão política oficial foi a eliminação da prata como dinheiro ou reserva de valor oficial, para funcionar apenas como uma mera mercadoria (commodity) …. a prata é avaliado com base em seu custo de produção e fatores de oferta e demanda.

No entanto, algo mudou em 2008, quando o mundo enfrentou o colapso do seu sistema financeiro. À medida que os investidores ficaram preocupados com o aumento exponencial da dívida e da impressão de dinheiro, as compras de prata como um investimento aumentaram. De acordo com o World Silver Survey de 2017, a demanda de moedas e barras de prata triplicou de 62 Moz em 2007 para 197 Moz em 2008. Além disso, as vendas oficiais de moedas de prata também aumentaram tremendamente após 2007.

070118b

Agora, o que é importante entender sobre as vendas oficiais de moedas de prata é que esse montante de investimento provavelmente nunca será reciclado como sucata para abastecer o mercado industrial.

Embora seja verdade que as moedas e barras de prata oficiais serão vendidas de volta ao mercado, elas serão recompradas por outros investidores no varejo. Assim, a maior parte do inventário de investimento em prata está preso em relação à uma futura fonte de fornecimento para a demanda global da indústria.

De acordo com o relatório Metals Focus 2015 sobre o mercado de sucata de prata, apenas 3,5% do estoque total de sucata em 2015 era de moedas recicladas. E a maioria desse suprimento de moedas de sucata veio de moedas de prata oficiais antigas não vendidas. Do fornecimento total de sucata de prata em 2015, 55% eram de sucata industrial reciclada, 17% de prataria, 14% de fotografia e 10,5% de jóias.

O que é bastante interessante é que a maioria das jóias de prata não é reciclada. O preço baixo das jóias de prata não motiva os detentores a levá-lo para o prego por dinheiro. Por exemplo, apenas 8% da demanda total de jóias de prata em 2015 foi reciclada. No entanto, a reciclagem industrial de prata representou 18% do consumo total de prata industrial em 2015. Se incluímos a prata reciclada de uso fotográfico, o valor total aumenta para 20%.

Em conclusão, o investidor retirou uma boa quantidade de prata do mercado. Uma grande porcentagem (95-97%) provavelmente nunca será reciclada e usada como fonte futura para a demanda global de fabricação. Assim, qualquer aumento na fabricação mundial de prata no futuro será atingido por estagnação ou queda do estoque, já que a produção mundial das minas continua a diminuir, enquanto o estoque de sucata permanece subjugado.

Desde 2007, o mercado de prata experimentou uma mudança profunda. Os investidores preocupados com a crescente quantidade de dívida dos governos e com a alavancagem no sistema decidiram adquirir investimentos físicos. Embora a demanda por barras e moedas de prata tenha diminuído este ano, ainda é muito maior que o que era antes da crise de imobiliária e bancária nos EUA em 2007.

Por fim, a razão de investimento em prata não mudou, mesmo que o baixo preço não reflita a enorme quantidade de dívida e impressão de dinheiro emitida pelo Fed e outros bancos centrais na última década. Sim, é verdade que ações, títulos, imóveis e bitcoin são onde as massas têm se reunido atualmente, mas seus valores altamente inflacionados são um fenômeno temporário.

Proteja suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

PRODUÇÃO MUNDIAL DE PRATA: 3 gráficos que você não verá em qualquer outro lugar

A taxa em que a produção de prata global aumentou ao longo do século passado é bastante surpreendente. Quando Colombo chegou na América (1492), o mundo só produzia 7 milhões de onças de prata por ano. Hoje, a maior mina de prata primária do mundo, Fresnillo’s Sauicto Mine, produziu três vezes esse valor em apenas um ano (22 milhões de onças, 2016).

Se olharmos para o quadro a seguir, podemos ver como a produção mundial de prata aumentou nos últimos 500 anos:

06012018a

No período atual, 2000-2017, o mundo produziu 103 vezes mais prata por ano do que de 1493-1600. No entanto, o próximo gráfico mostra a produção total de prata para cada período.

06012018b

Agora, a razão pela qual a última barra à direita do gráfico é menor do que a anterior tem a ver com a comparação de 18 anos de produção de prata (2000-2017) versus 50 anos (1950-2000). Foram necessários 50 anos para produzir 17,061 Moz durante 1950-2000 contra 13,000 Moz nos 18 anos de 2000 a 2017.

Curiosamente, mais de metade dessa prata foi consumida em aplicações industriais.

O último gráfico é bastante interessante. Se voltarmos um pouco mais de um século, os Estados Unidos eram o maior produtor de prata do mundo. Em 1915, os EUA produziram 75 Moz de prata do total de 189 Moz extraído no mundo naquele ano:

06012018c

No entanto, a produção de prata nos EUA em 2017 será de apenas 34 Moz versus o estimado de 870 Moz globalmente. Assim, a produção de prata dos EUA apenas representa 4% do abastecimento mundial de minas versus 40% em 1915. Que mudança em 100 anos…

Por fim, os EUA importam aproximadamente 22% da produção mundial de minas a cada ano. Isso dá 193 Moz do total de 870 Moz em 2017. Enquanto o fornecimento de minas domésticas é de apenas 34 Moz, os Estados Unidos precisam importar mais de um quinto da produção global de minas para atender a demanda do mercado de prata

Proteja suas economias antes que a prata física fique cara demais!

 

Fonte.

Um economista assassinado por dizer a verdade

Josef Stalin o chamou de homem mais perigoso da União Soviética.

Tão perigoso, de fato, que ele o condenou a 10 anos de prisão. Mas quando Stalin percebeu que as prisões não podiam impedi-lo de revelar seu segredo, ele deu a ordem de o matar.

Quem era esse homem quieto e libertário? E o que ele sabia que o tornou uma ameaça para o regime soviético? O nome dele era Nicolai Kondratieff. Ele era um economista. E ele descobriu um padrão cíclico na economia global que previu que a União Soviética iria cair no final da década de 1980.

Mas aqui está a parte assustadora:

O mesmo padrão cíclico também prevê a ruína financeira dos Estados Unidos até 2022.

E adivinhe como isso começa!

Começa com uma estranha corrida no mercado de ações em 2017-2018, levando o índice Dow Jones para 45 mil pontos antes de ele colapsar em um acidente cataclísmico.

É o que já foi previsto por vários analistas. E isso é exatamente o que está acontecendo.

Então, se você já se perguntou, por que o mercado de ações subiu como um louco recentemente … QUANDO ele vai desabar …

Nicolai Kondratieff explicou tudo em 1935. Vou explicar-lhe agora. Nicolai foi baleado por revelar esse fato. Não espero ser baleado. Mas não estou me arriscando com meu dinheiro. E você também não deveria.

E a maioria das pessoas nem consegue ver o tsunami chegar.

É chamado “K-Wave” ou “The Long Wave”.

E suas chances de serem atingidas pelo “K-Wave” são 100%.

Nikolai Kondratieff escreveu um livro chamado “The Long Waves in Economic Life“. Tão ameaçador à União Soviética que ele foi condenado a dez anos de prisão com trabalho forçado. Em 17 de setembro de 1938, Nikolai foi baleado por um esquadrão de fuzilamento.

Kondratieff provou que as economias atuam exatamente como ondas no mundo físico. Além disso, as ondas econômicas vêm em ciclos que facilitam a previsão de mudanças.

O que Kondratieff chamou de “The Long Wave” – que mais tarde foi chamado “The K-Wave” em sua homenagem – mostra os ciclos alternativos de influência privada e pública na economia.

Durante o ciclo privado, a livre iniciativa leva ao aumento do crescimento e da prosperidade. Eventualmente, a onda atinge uma crista e começa a entrar em colapso. Esse colapso é desencadeado por uma queda no mercado de ações, no mercado imobiliário ou uma corrida aos bancos.

Neste ponto, a onda econômica entra em uma fase de influência pública. O governo intervém na economia ao imprimir mais dinheiro. Manipulando as taxas de juros. Aumentando os empregos do governo, o bem-estar e os auxílios.

Por um tempo, tudo parece funcionar bem. Mas esta fase, também, leva a uma quebra. Porque mesmo os governos devem obedecer as leis da economia.

E a lei mais básica é esta: Você não pode continuar gastando dinheiro que não possui!

Foi assim que Kondratieff sabia que o comunismo na União Soviética seria substituído pelo capitalismo. Ele previu isso em 1926. Sessenta e um anos antes de acontecer.

De acordo com Kondratieff, o K-Wave tem uma frequência de 47 a 64 anos. E se você olhar para trás através da história, você verá o quão preciso é o K-Wave:

K_wave

O K-Wave previu cada grande aumento econômico e queda desde o início da revolução industrial. A era de ouro das ferrovias e do aço. O início da engenharia elétrica e química. A era do automóvel e do petróleo. E, mais recentemente, a era da informação que atingiu o auge das ações da Internet em 2000.

Se o K-Wave estiver correto, a maioria das economias do mundo logo entrará em um período de recessão profunda, até depressão, que pode durar até 23 anos e incluir mudanças sísmicas no tecido da sociedade.

Nikolai Kondratieff não estava sozinho. Ao longo dos anos, outros economistas confirmaram suas teorias. Joseph Schumpeter mostrou que o ciclo de Kondratieff coincide com o ciclo de inovação. Então Juglar e Kuznets descobriram que há um ciclo de 18 anos que prevê “fundos de pânico” no mercado de ações.

E mais recentemente, Martin Armstrong desenvolveu um modelo que quebra o K-Wave em seis ciclos mais curtos, prevendo pânico a cada 8,6 anos, ou 3.141 dias.

O que realmente é assustador é que TODOS esses ciclos agora estão apontando na mesma direção.

Como comentamos aqui, os metais preciosos são o paraíso de reserva de valor, especialmente em tempos de crise, quando seu preço dispara.

Assim, reiteramos nosso lema: proteja suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

 

 

 

A melhor oportunidade de compra desde 1971

Este é o texto de uma entrevista de Doug Casey sobre commodities, que ele acredita estar nos primeiros degraus de um enorme mercado ascedente.

Douglas R. Casey é um escritor americano e o fundador e presidente da Casey Research. Ele se descreve como um anarco-capitalista influenciado pelas obras do romancista Ayn Rand. Casey é um investidor imobiliário, bem como um conselheiro sobre como tirar proveito das distorções do mercado e períodos de turbulência econômica.

O artigo explica por que o cenário está posto para uma corrida monstruosa em commodities. Doug discute a necessidade de produtos básicos para viver; nanotecnologia, exploração espacial e a inteligência artificial que se aproxima; a natureza altamente cíclica e volátil das commodities; os custos de produção; a oportunidade anterior para commodities; criptografia; opções e commodities; o furacão financeiro de 2007; por que a oportunidade atual das commodities parece estar pairando sob o radar; demanda de commodities; e as forças poderosas que criam volatilidade no mercado de commodities.

Best Buying Opportunity Since 1971 | BullionBuzz

Assim segue a entrevista:

“Bem, deixe-me começar dizendo que as commodities estiveram caindo nos últimos 5.000 anos. O preço real das commodities, quer se trate de gado, grãos, energia ou metais, vem caindo desde o início da civilização. E essa tendência continuará.

Porque, nos tempos primitivos, só possuíamos palitos e pedras cruas e animais e plantas selvagens. Se você encontrasse um pequeno pedaço de ferro metálico de um meteorito, você seria o equivalente a um homem bilionário. Se você pudesse encontrar o cadáver de um veado morto, você poderia evitar a fome por mais uma semana. Se você encontrasse um arbusto com frutas, seria alto tão grande quanto possuir um supermercado hoje.

Você precisava de mercadorias (commodities) para viver, mas eram raras e não processadas. Todo o caminho da civilização desde o fim da última era do gelo há 12 mil anos foi desenvolver tecnologias para aumentar os montantes e reduzir os custos das commodities. As commodities são as matérias-primas da civilização.

Mas agora, coisas como a nanotecnologia, a exploração espacial e a inteligência artificial (AI) estão se aproximando. Eles vão fazer as matérias-primas super abundantes, e super baratas. Essas novas tecnologias irão causar o colapso dos preços das commodities. Elas basicamente estão indo para o zero.

Então, por que apostar nas commodities? Porque, de fato. É um paradoxo aparente. Estamos fazendo isso, no entanto, porque as commodities são altamente cíclicas. E altamente voláteis.

É verdade que os preços das commodities caíram nos últimos 5.000 anos, e essa tendência continuará. Mas isso não é relevante para o que acontecerá nos próximos cinco anos. Por que não? Porque a maioria não está apenas vendendo sobre o custo de produção, mas também com uma baixa cíclica clara. As commodities estão muito baratas. Em termos absolutos e relativos. Além disso, há a possibilidade de vários acidentes financeiros e força maior aparecerem nos mercados. As perturbações políticas e as guerras tipicamente fazem as commodities disparar. Condições climáticas ou doenças podem criar escassez. Estas estão entre as razões macro que penso que as commodities irão liderar nos próximos cinco anos.

Eles estveram no topo em 2011. Muitas ainda estão 50% mais baixas. Elas poderiam cair mais? Tudo é possível, é claro – podemos ter uma deflação por colapso de crédito, por exemplo. Mas isso é improvável com a política monetária massivamente inflacionária de hoje, que exerce pressão sobre todos os preços.

O que as impede que estejam mais baratas?

Os custos de produção são o fator limitante para a queda maior. No momento, a maioria dos produtores de commodities estão apenas a empatar ou perder dinheiro.

Isso é um problema e não pode continuar por muito tempo. Afinal, as commodities são os blocos de construção da civilização. Você precisa deles para sobreviver. E o mundo usa mais delas todos os anos. Em parte porque a população mundial ainda está crescendo. Mas em parte porque milhares de novos usos são encontrados para todas elas, todos os anos.

Existem 92 elementos que ocorrem naturalmente na tabela periódica. Tudo no universo é feito com eles. Um século atrás, apenas metade deles tinha uso; agora todos eles têm muitos usos.

Curiosamente, a American Chemical Society publicou recentemente um artigo que diz que uma dúzia ou mais está em falta já crítica. Eles disseram que outros 30 elementos ou mais poderiam ficar escassos até o final do século.

Artigo bobo, de uma perspectiva histórica. Eu suspeito que eles tiveram um major inglês que é um membro do Green Party a escrevê-lo. Eu discordo fortemente. Isso porque a “abundância” e a “escassez” em uma economia avançada são funções da economia muito mais do que da química. Mas a percepção geralmente cria realidade nos mercados. Einstein estava certo quando disse que, após o hidrogênio, a coisa mais comum no universo é estupidez.

Mas talvez eles estejam certos. Se assim for, é um outro argumento para olhar as commodities agora.

Então, basicamente, os preços das commodities são muito baixos para suportar a produção. Portanto, eles devem se levantar. Caso contrário, as luzes se apagam e nada é construído.

E não só isso, todos os governos estão imprimindo unidades monetárias aos borbotões. Mas quase nenhum desses novos fundos acabou em commodities até agora. Eles são basicamente o único recurso que ainda está barato.

Ninguém se importa com commodities agora. Eles não são “gostosos”. Bitcoin, ações de tecnologia e as coisas dessa natureza são o sabor do dia.

Você pode ver o que quero dizer nos gráficos abaixo, que mostram o número de fundos de investimento novos lançados no mercado para investimento em commodities e nas criptomoedas, nos ultimos anos.

Mas se você quer ganhar dinheiro, você deve comprar chapéus de palha no inverno. Você precisa comprar guarda-chuvas quando está ensolarado, não quando está chovendo.

Todos os mercados financeiros rodam. Todos são cíclicos. Mas as commodities são, de longe, as mais cíclicas de todos os mercados.

Esse é o argumento básico para comprar commodities agora. Em cinco anos, espero estar dizendo que é hora de vendê-las. E, quando os preços das commodities estarão em níveis maníacos, mais dinheiro pode ser feito – e muito mais rápido.

A última vez que uma oportunidade esteve madura assim provavelmente foi em 1971, antes do padrão-ouro do US Dollar cair. Depois disso, cada mercadoria decolou. Grãos, gado, energia e metais.

Foi então um fenômeno monetário. E o mesmo está acontecendo novamente, embora com algumas reviravoltas. O ouro, por exemplo, está cerca de três vezes mais caro, em termos reais, do que em 1971. O equivalente a US $ 120 naquela época. Mas a situação financeira do mundo é muito, muito, mais instável.

Eu suspeito que uma razão é porque muitas pessoas que normalmente compram ouro estão comprando ativos alternativos. Centenas de bilhões de dólares entraram somente na  criptografia. Muitas pessoas que normalmente compram ouro estão comprando criptos em vez disso.

Eu gosto de comprar coisas quando são demonstravelmente baratas. Isso não é mais verdade para a bitcoin. Mas é verdade para as commodities agora.

Basta olhar para este gráfico abaixo. Ele diz tudo o que você precisa saber. Ele mostra a relação do índice S&P GSCI, uma medida líder dos movimentos gerais dos preços e inflação na economia mundial que serve de referência para o investimento nos mercados de commodities e como medida do desempenho das commodities ao longo do tempo. O gráfico mostra (destacado nos círculos verdes) os momentos com preços das commodities em baixa e os momentos de grande crise com as commodities em alta (circulos vemelhos).

É arriscado investir agora? Certo. Isso porque qualquer coisa pode acontecer. Mas no mundo de hoje é uma das melhores proposições de risco / recompensa por aí.

Hoje em dia, as pessoas costumam lidar com dígitos na Net, no Ether, na nuvem. É como uma realidade artificial. O mundo deixa de existir se perderem o iPhone. Eles só apreciam o mundo digital e empresas como o Facebook e a Amazon.

As pessoas de commodities, no entanto, vivem no mundo físico. Eles estão brincando ao sol com vacas, sujeira, óleo e grandes máquinas amarelas. É aqui que existe a realidade, muito mais do que em um dispositivo plástico.

Mas e do lado da demanda? Qual é o apetite para as mercadorias?

Três quartos das pessoas neste planeta são pobres. E elas querem todas as coisas que os americanos e os europeus têm. Eles querem comer muito mais carne e pão. Elas querem geladeiras, aparelhos de ar condicionado, carros e tudo mais que temos por certo. Isso requer muita matéria-prima.

Os preços das commodities irá subir se tivermos uma grande guerra. E o relógio na parede está me dizendo que um grande conflito está nos planos. Eu não estou falando sobre outra guerra por esporte como as que os EUA têm tido nos últimos anos. E isso é bom para as commodities.

Por outro lado, a tecnologia continua melhorando. As coisas sempre tendem a se tornar mais eficientes. Eu costumava fazer dez milhas por galão no meu carro nos velhos tempos. Agora, os carros fazem 15, 20, até 30 milhas por galão.

Não só isso, é preciso muito menos material para produzir um produto. A fabricação é muito mais eficiente. Tudo hoje é menor e mais leve. Desde a década de 1960, a produção de tudo, desde grãos a gado, tornou-se eficiente. Um acre típico produz muito mais grãos e carne bovina hoje do que na década de 1960.

E a produtividade aumentará ainda mais com a revolução genética que está acontecendo. Então, essas coisas indicam baixas para commodities no longo prazo. Nós não nos importamos. Você pode jogar as tendências em ambos os sentidos.

E qual força é mais poderosa?

É a do conflito. Isso cria volatilidade. E isso, por sua vez, cria oportunidade. Neste momento, é uma grande oportunidade para cima.”

Proteja suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.