As notícias do mundo da prata em setembro

A demanda por prata física continua alta. De acordo com os dados do 2020 World Silver Survey, em 2019, a Royal Canadian Mint vendeu 25,8 milhões de onças (Moz) de produtos em barras e moedas de prata, seguida pela US Mint com 19,5 Moz e a Perth Mint com 12,7 Moz. Se olharmos para o primeiro semestre de 2020, essas três casas de moedas oficiais venderam ao todo 34,9 Moz de produtos de prata, contra 24,1 Moz durante o mesmo período do ano passado. Isso resultou em 10,8 Moz a mais vendidos em 2020, ou 45% mais do que em 2019, comparando os primeiros semestres. (fonte)

Moedas de prata soberanas

No lado da produção, a recuperação da produção de prata parou quando o suprimento das minas caiu em julho. O Peru estava a caminho de aumentar sua produção de prata, depois que o governo iniciou o fechamento das minas em abril e maio, em resposta à propagação da pandemia global. Mas, algo deve ter mudado, já que a recuperação da produção estagnou com a queda do fornecimento de minas do país em julho. Como o Peru é o segundo maior produtor de prata do mundo, o fechamento de suas minas impacta o mercado de prata muito mais do que a maioria dos países, exceto o México. No entanto, mesmo com o México sendo o maior produtor mundial, o fornecimento de suas minas de prata de março a maio caiu apenas 352 toneladas métricas (mt) em comparação com 559 mt no Peru. Parece que há muito mais problemas ocorrendo na indústria de mineração do Peru do que a mídia está relatando. Com o governo peruano tendo estendido os bloqueios até o final de agosto, isso provavelmente afetará o fornecimento da mina de prata mais do que o mercado havia previsto. (fonte)

Recentemente, o México atualizou seus números de suprimento de minas de prata de junho e, quando os somamos às perdas do Peru, descobrimos que a perda total equivale a cerca de UM TERÇO da produção global anual das minas de ouro. Enquanto o México começou o processo de reabertura de muitas de suas minas em junho, a produção se recuperou para 414 milhões de toneladas em comparação com 298 milhões de toneladas em maio. De março a junho, o México perdeu 392 milhões de toneladas de produção de prata, enquanto o fornecimento das minas do Peru diminuiu 615 milhões de toneladas. O suprimento total das minas perdido nesses dois países ao longo desses quatro meses foi de impressionantes 1.007 mt, ou 32,3 milhões de onças (Moz). (fonte)

Mineração de prata no México

Tudo isso faz com que o investimento em prata física seja uma necessidade. Devido às forças reais de SUPRIMENTO e DEMANDA no futuro, o valor da prata superará o ouro por uma larga margem. Por exemplo, nos tempos antigos, se a sociedade tinha duas vezes mais prata do que ouro, o valor do ouro era apenas o dobro do da prata. Não importava se o ouro custa dez vezes mais em energia para ser produzido; o valor era baseado na oferta total predominante de cada um na sociedade de mercado. Tudo indica que vamos experimentar a mesma dinâmica de FORNECIMENTO e DEMANDA DE PRATA novamente no futuro. De acordo com o Silver Institute’s World Silver Survey’s e o Relatório de Suprimento de Sucata de Prata Metals Focus 2015, desde 2000, os setores Industrial e Fotográfico do mercado de prata consumiram 11,5 bilhões de onças de prata. O total estimado de prata reciclada do setor industrial e fotográfico foi de aproximadamente 3,5 bilhões de onças. Nas últimas duas décadas, 8 bilhões de onças de suprimento de prata provavelmente foram perdidos para sempre. Dessa forma, 70% do consumo total da Indústria e Fotografia nos últimos 20 anos não está mais disponível para o mercado. Agora, se somarmos a demanda total de prata de 2000 a 2020, igual ou um pouco mais que 20 bilhões de onças, então, com 8 bilhões de onças dos 20 bilhões indisponíveis para o mercado, isso equivale a 40% do mercado total agora em algum lugar no CÉU DA PRATA. Compare isso com apenas 7 a 8% da oferta de ouro perdida no setor de tecnologia industrial na última década. (fonte)

Prata reciclada

No campo macroeconômico, os bancos centrais em todo o mundo estão envolvidos na maior e mais flagrante transferência de riqueza da história, que foi exacerbada pela pandemia de Covid-19. No Brasil não foi diferente, e os temores de que o BC extrapole a gastança tem agitado o mercado. Tanto é que o real brasileiro está entre as moedas mais desvalorizadas de 2020. Desde março a moeda acumula depreciação de 29,6% em relação ao dólar americano, ficando atrás somente do bolívar venezuelano. Um dos fatores é a dívida pública do país que vem aumentando significativamente. No ano passado, por exemplo, a dívida bruta do Brasil chegou a 75,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019, um número consideravelmente alto para uma economia emergente. Agora, a tendência é que a dívida só aumente. Em maio, por exemplo, a dívida já estava em 81,9% do PIB. Além disso, com o avanço do vírus, o governo aumentou os gastos para tentar mitigar os efeitos da recessão no orçamento empresarial e familiar, o que promoverá um maior endividamento do país (fonte). Seu dinheiro de papel está perdendo valor a cada dia que passa…

Dinheiro de papel

Os bancos centrais abandonaram qualquer pretensão de responsabilidade fiduciária monetária e simplesmente aumentaram a velocidade das máquinas de impressão. Junto com o aumento da liquidez, as legislaturas nacionais adicionaram suas próprias medidas de emergência. Esses trilhões de dólares estão indo principalmente para os cofres e os preços das ações das empresas. Quem se beneficia disso? As pessoas que possuem essas empresas. Os já muito ricos. E a resposta oficial de nossos ‘líderes’ no governo à ameaça de pandemia foi: ‘Resgatar os mercados a todo custo’! Por aqui, o patrimônio dos super-ricos brasileiros cresceu US$ 34 bilhões durante a pandemia (fonte).

Portanto, os bancos centrais garantiram que a pandemia Covid-19 resultasse em um boom para a elite, enquanto o restante de nós está passando por uma depressão econômica que pode durar anos. Com os bancos centrais decididos a apoiar os ricos enviando os preços de todos os ativos financeiros ainda mais para a estratosfera, a inflação alta / descontrolada é o próximo estágio natural a partir daqui. Será que aqueles que se preocupam com um crash sistêmico devido a toda a intervenção e deformação estão errados? (fonte)

Tire suas próprias conclusões, e considere proteger suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais!

O que foi notícia no mercado da prata em agosto

Neste mês de agosto os papéis de prata consolidaram seus novos níveis, com alguns momentos passando os 28 US$, e contrariando aqueles que acham que o momento era passageiro. E da mesma forma, os preços da prata física continuam mostrando um grande descolamento das cotações de papel, passando dos 37 US$ por onça troy nos EUA, por exemplo, uma diferença de mais de 30% hoje.

01092020a

Cotação dos papéis de prata em 02/09/2020

01092020b

Adicione a esse valor a cotação comercial do US$, mais os impostos e custos de importação, que dobram o preço, e os impostos sobre as vendas no Brasil, e veja o preço que a prata física chega hoje. Há bem poucos anos, vendíamos a prata física a R$ 120 a onça troy, e hoje ela está por cerca de R$ 440 para pedidos em maiores quantidades. Quem comprou a prata mais barata já teve uma boa valorização de suas reservas! E tudo indica que a escalada não vai parar por aí.

A CBS News, por exemplo, não conseguiu descobrir o que fez o preço disparar, chamando-o de “mistério”. Isso levou Jim Bianco, da Bianco Research, a zombar sarcasticamente: “Acho que trilhões em impressão de dinheiro também é um mistério”. E Bianco não está sozinho em jogar seu peso sobre os metais. Escreve a Forbes: ‘Em declarações à Bloomberg TV na sexta-feira, o investidor de mercados emergentes Mark Mobius pediu aos telespectadores que comprem ouro agora e “continuem a comprar”, já que as taxas de juros permanecem perto de zero e COVID-19 continua impactando a produção das minas.’ O Goldman Sachs diz que níveis de $ 30 para os papéis de prata estão no radar. Voltando à Forbes, Frank Holmes acredita que a recente corrida pela prata está apenas começando: ‘A prata tem historicamente um beta maior do que o ouro. Quando o ouro sobe 10%, a prata sobe 15%. O inverso também foi verdadeiro: quando o ouro caiu 10%, a prata caiu 15%.’ Para dar suporte a essa ideia, o Goldman Sachs acaba de aumentar sua projeção para o preço da prata em 36%, para $ 30 (fonte).

O aumento do preço da prata foi alimentado por seu status inerente de porto seguro, temores de inflação, taxas de juros extremamente baixas e contínuos aumentos de liquidez pelos bancos centrais. O salto no preço reflete o interesse renovado de investidores institucionais e de varejo na prata como veículo de investimento. Os produtos globais negociados em bolsa ‘lastreados’ em prata registraram recordes históricos em 2020, atualmente em 1,25 bilhão de onças, tendo aumentado em 296 milhões de onças desde 1º de janeiro até hoje. A demanda por moedas de ouro de prata é robusta, com um aumento de procura de mais de 60 por cento até essa data. A proporção ouro: prata – a quantidade de onças de prata necessárias para comprar uma onça de ouro – atingiu 127: 1 em 18 de março e agora está em 72: 1, uma redução de 43 por cento (fonte).

E a demanda industrial por prata tende a aumentar muito, principalmente com o incremento de fontes de energia renováveis, e baterias para o seu uso cotidiano. Se você acha que a disponibilidade de barras de prata é um problema agora … ainda não viu nada. Infelizmente, a grande maioria dos investidores ainda não tem ideia sobre como adquirir barras e moedas de prata física. O enorme aumento na demanda por barras de prata é principalmente de investidores de metais preciosos costumazes e um novo pequeno grupo de compradores que foram perseguidos pela família e amigos durante anos para entrar nos metais (fonte).

Há evidências crescentes de que o rápido aumento no preço da prata se deve à compra física, não à especulação com papel. Podemos ver isso na tendência de queda da posição vendida líquida comercial, já que o preço da prata continua a subir. Normalmente, no passado, quando o preço da prata aumentava, isso ocorria à medida que os especuladores aumentavam sua posição líquida a descoberto. No entanto, parece … que desta vez é realmente diferente.

A título de ilustração, a Casa da Moeda dos EUA vende outro milhão de Silver Eagles em um dia, em 18 de agosto. Este é o maior aumento nas vendas em um dia em seis meses. As vendas totais de Silver Eagles em 2020 já são de 16,3 milhões contra 14,8 milhões de oz em 2019 e 15,7 milhões em 2018. Então, com mais quatro meses restantes no ano, parece que as vendas de Silver Eagles vão rapidamente ultrapassar 20 milhões, e possivelmente 25 milhões de onças troy. Provavelmente, agora estamos vendo um vislumbre da enorme demanda que virá por produtos em barras de prata e ouro nos próximos anos, à medida que o Fed e os bancos centrais no mundo continuam a sustentar a economia global com enorme estímulo monetário e liquidez (fonte).

E o aumento maciço de importação de ouro pelos EUA sinaliza GRANDES PROBLEMAS para o sistema financeiro. Os EUA importaram uma quantidade recorde de barras de ouro em abril durante o contágio global e o fechamento de muitas economias. Os Estados Unidos importaram mais ouro em abril do que durante todo o ano passado. Embora o grande aumento nas importações de barras de ouro dos EUA durante o mês de abril tenha sido principalmente devido a interrupções no fornecimento, é um SINAL IMPORTANTE que nem tudo está bem no Sistema Financeiro Global. O pânico para obter mais ouro para as bolsas dos EUA sugere que há muita alavancagem do ouro de papel no sistema. O sistema de comércio de ouro altamente alavancado tem funcionado bem por décadas devido a um fator importante não considerado pela maioria da comunidade de metais preciosos … é o aumento da produção global de petróleo. O crescimento do PIB mundial está vinculado ao crescimento da produção global de petróleo. Embora alguns outros analistas tem afirmado isso, Jean-Marc Jancovici já explicou isso a um grande grupo da OCDE. Assim, com o contágio global puxando para baixo a demanda global de petróleo em 25% em abril, forçou os investidores a um porto seguro de ouro. Infelizmente, como há muitos contratos de ouro de papel negociados com poucas barras de ouro, os investidores exigiram metal durante uma das maiores interrupções no fornecimento de ouro que causou estragos no sistema. Enquanto os governo aumenta sua dívida para continuar sustentando a economia e os mercados, a única coisa que ele não podem fazer é imprimir barris de petróleo (fonte).

Parece que o que vimos alertando há anos pode estar começando a acontecer no mercado de metais preciosos. Devido ao enorme estímulo monetário e à liquidez dos bancos centrais, os investidores estão agora profundamente preocupados com o sistema financeiro e o valor das moedas globais. E eles devem estar mesmo. Quando o governo dos EUA aumenta sua dívida pública em US $ 3 trilhões em cinco meses, já ultrapassamos o ponto sem retorno para o sistema financeiro. No mercado, o preço da prata está superando o preço do petróleo, já que o colapso na demanda global de petróleo afetou severamente o sistema financeiro e a economia. O esquema Ponzi típico só precisa perder uma pequena porcentagem dos investidores para que todo o castelo de cartas desmorone. É o mesmo para o esquema Financeiro Global de Ponzi, que só pode se sustentar com o crescimento da produção de petróleo… não com um declínio. Assim, com apenas 5 a 10% da demanda global de petróleo agora desativada, há uma ruptura catastrófica no sistema financeiro. Atualmente, a prata é muito mais cara em termos de preço do petróleo do que era em 2011. Esta é uma mudança fundamental na dinâmica do mercado de energia. Sem energia, não há Economia, Dinheiro ou Sistema Financeiro. Os investidores precisam IMPRIMIR essa frase em suas mentes (fonte).

O mercado finalmente perceberá que a prata é um investimento melhor quando as bolhas financeiras mundiais começarem a estourar em todos os lugares. Isso fará com que o preço da prata alcance níveis que farão o último recorde de $ 50 parecer relativamente insignificante. Não é uma questão de se, é apenas uma questão de quando (fonte).

Estamos caminhando para uma transferência massiva de riqueza quando os investidores saem de bolhas financeiras altamente especulativas para ativos sólidos reais. No entanto, o número de ativos sólidos em que vale a pena investir não é muito grande. Como os metais preciosos são os ativos sólidos da mais alta qualidade no mercado, muitos investidores escolherão a prata em vez do ouro devido ao seu baixo preço e natureza especulativa. Infelizmente, a grande maioria dos investidores não entende o verdadeiro valor da riqueza real. Hoje, a riqueza é baseada em ativos financeiros e imóveis. Ambos os ativos financeiros são imóveis derivam seu valor do crescimento econômico. O crescimento econômico só é possível com o aumento da produção global de petróleo. Se o crescimento da produção de petróleo diminuir, o valor dos ativos financeiros e dos imóveis também cairá. Sem o crescimento da produção de petróleo, o sistema financeiro global baseado em dívida altamente alavancado começará a se desfazer. Assim, os ativos financeiros e imobiliários serão os mais atingidos. Os investidores inteligentes começarão a fazer a transição desses ativos de bolha financeira altamente especulativa para metais preciosos para proteger a riqueza. Quando o preço da prata atingir os TRÊS DÍGITOS ou mais, os investidores que possuem apenas 5.000 a 10.000 onças de prata se tornarão os novos Milionários de Prata (fonte).

Proteja suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais!

 

 

Direto da Câmara dos Deputados: proposta acaba com papel-moeda e exige transação financeira apenas por meio digital

Você achava que era ‘teoria da conspiração‘? Maluquice de exagerados? Pois sim, mesmo em terras tupiniquins, o sistema está prestes a fechar suas garras sobre sua liberdade!

A história tem mostrado, e pudemos experimentar isso mesmo agora, que momentos de crise intensa fazem a população aceitar, até de bom grado, a retirada de suas liberdades individuais.

Nesse momento de pandemia, por exemplo, muitos estão percebendo que pode ser mais ‘higiênico’ não usar tanto dinheiro de papel, e usar mais os meios digitais de pagamento. E até aceitarão de bom grado a migração para o mundo financeiro totalmente digital. A mídia de massa está colaborando muito para que a população aceite isso com naturalidade…

Como dizia Rousseau, a ‘liberdade é a capacidade de dispor de sua vida de conformidade com seus instintos, sem nenhuma limitação além daquela imposta pela própria natureza…. Em certo momento na história, alguém passou a escravizar outros homens, utilizando a força, criando a propriedade privada, o Estado e suprimindo a sua liberdade natural…’

Veja a seguinte notícia, e tire suas conclusões:

O Projeto de Lei 4068/20 determina a extinção do papel-moeda no País. Pelo texto em tramitação na Câmara dos Deputados, todas as transações financeiras ocorrerão apenas em meio digital. Será permitida a posse de cédulas para fins de registro histórico.

A produção, a circulação e o uso de notas com valor superior a R$ 50 ficarão proibidos até um ano após a aprovação da futura lei. Para as cédulas de valor inferior, o prazo será de até cinco anos.

Além disso, a Casa da Moeda do Brasil passará a ter entre as suas atribuições o desenvolvimento de tecnologias para transações financeiras.

“A tecnologia proporciona todas as condições para pagamentos sem a necessidade de dinheiro em espécie”, afirmou o autor da proposta, deputado Reginaldo Lopes (PT-MG).

“Terroristas, sonegadores, lavadores de dinheiro, cartéis de drogas, assaltantes e corruptos estariam muito mais facilmente na mira do controle financeiro”, avaliou.’

Mas e você, vai colocar todas as suas suadas reservas como meros números nos computadores dos grandes bancos? E num momento de crise, guerra, queda de energia, ou uma pane na internet, ou no ‘sistema’ do banco? Como você vai garantir a sua comida?

Bom, a não ser que você confie plenamente nos políticos, no governo, e nos banqueiros… 

Proteja suas economias em prata física, antes que seja tarde demais!

As últimas notícias do mundo da prata

Julho foi um mês bem agitado novamente para a prata, e aqui fazemos um resumo das principais notícias que afetaram o mercado.

Primeiro, foi marcante o rali dos papéis de derivativos de prata atingindo sua cotação recorde, após a enorme queda  com a crise da COVID19. Isso acabou afetando também os preços da prata física, cujos preços já estavam bem descolados dos papéis, e tiveram que ser reajustadas nos revendedores, proporcionalmente, em cerca de 35% este mês.

01082020a

Cotações dos contratos futuros de prata em 01 de agosto de 2020 (https://silverprice.org/silver-price-usa.html)

Alguns analistas acreditam que os papéis já superaram um nível de suporte significativo, podendo avançar ainda mais, o que vai pressionar de maneira muito mais intensa os preços da prata física (fonte).

01082020b

Com a prata subindo mais de 35% no mês, o metal brilhante agora está de volta ao radar da mídia de massa. Sim, já se passaram sete longos anos desde que a prata foi negociada a US$ 24, mas agora parece que ela está apenas nos estágios iniciais de uma nova alta.

Se não bastasse o cenário de alta procura, a produção de prata continua caindo ao redor do mundo.

De acordo com um artigo da Reuters, a produção de mineração do México deve encolher 17% em 2020: … isso pode afetar consideravelmente a oferta de prata, já que o México é o maior produtor de prata do mundo. Os bloqueios das minas afetarão pelo menos dois meses de fornecimento de prata. A maior parte do suprimento global de minas afetada pelo contágio mundial ocorreu no México e na América Latina, onde a maior parte da prata é produzida. Mesmo depois que as economias mundiais começaram a reabrir, junto com a indústria de mineração, muitos danos foram causados a essas economias; também afetará o PIB global na segunda metade de 2020 e provavelmente até 2021. Isso reduzirá a mineração de metais básicos, de onde 55% da prata vem… como subproduto da produção de cobre, chumbo e zinco (fonte).

01082020e

Percentuais de produção de metais impactados pelos ‘lockdowns’ na crise COVID19

E particularmente, os dois maiores produtores de prata do mundo cortaram drasticamente sua produção em abril. Com o México finalmente divulgando seus dados de fornecimento de minas de abril, os dois principais produtores de prata viram sua produção combinada de prata diminuir em 53%. Para se ter uma ideia da quantidade de suprimento perdido de minas de prata do México e Peru, foi mais do que toda a produção global de ouro naquele mês. Na verdade, foram 1,5 meses em produção mundial de minas de ouro.

A produção de prata em abril no México caiu para 301 toneladas, em comparação com 500 toneladas em março. Acabou sendo um declínio de 40%. Parece que o México pode ter encerrado um número menor de minas de prata que o Peru. O Ministério de Minas e Energia do Peru registrou um declínio de 74% na produção de prata do país em abril (fonte).

E faltando prata no mercado, a produção de barras e moedas cai. Devido às medidas adotadas, por exemplo, pela Casa da Moeda de West Point para proteger os trabalhadores contra o vírus, a produção de moedas de ouro e prata será reduzida nos próximos 12 a 18 meses. Ao promulgar essas mudanças na política dos trabalhadores, a Casa da Moeda dos EUA não poderá produzir moedas de ouro e prata ao mesmo tempo. Assim, se a demanda continuar forte por ouro e prata, poderemos ver prêmios mais altos no futuro (fonte).

As moedas American Silver Eagle, assim como as Canadian Maple Leaf, estão entre as mais procuradas pelos investidores, e por isso, as que tem uma maior diferença de preço em relação aos preços dos papéis.

Devido à alta demanda por Silver Eagles, os prêmios pelas moedas ainda são os mais altos em relação aos concorrentes. Com o aumento dos preços da prata, os revendedores de metais preciosos também precisam aumentar seus prêmios. No entanto, os percentuais de prêmios das moedas Silver Eagle 2020 começaram a subir mais do que o aumento no preço da prata.

Desde o início de julho, o prêmio médio das Silver Eagle dos quatro principais revendedores online em 2020 nos EUA representava 43% do preço spot da prata e, em seguida, diminuiu para 40% na terça-feira, 21 de julho. No entanto, nos próximos três dias, o prêmio médio das Silver Eagle dos quatro concessionários líderes em 2020 aumentou para uma alta mensal de 45% (fonte).

Curiosamente, a proporção de vendas da Silver Eagle (623.500 oz) versus vendas da Gold Eagle (77.500 oz) em julho é de apenas 8 para 1. A média nos últimos quatro anos (2016-2019) foi de cerca de 64-1. Como a Casa da Moeda dos EUA ainda está lutando para produzir as Águias de Prata, bem como os investidores que mudaram para outras moedas oficiais de prata soberanas de menor prêmio, como o Krugerrand de Prata, a Maple Leaf de Prata, a Filarmônica de Prata e a Britannia de Prata, as vendas das Silver Eagles foram muito menores do que de costume (fonte).

01082020d

 

Proteja suas economias em dinheiro de verdade, antes que a prata física fique cara demais!

 

 

FATOR PRINCIPAL PARA INVESTIR EM PRATA: Cinco bilhões de onças de suprimento de minas economicamente perdidas na década passada

A prata provavelmente será um investimento melhor do que o ouro, devido à raridade do metal e à falta de oferta disponível no futuro. Embora o ouro tenha roubado o show recentemente, aposto que meu dólar de prata será melhor que o ouro durante a próxima crise financeira.

Um dos pontos a se observar é que a prata ainda é de longe o metal de investimento mais adquirido, em onças troy. De 2010 a 2019, a demanda total global de investimentos em prata física foi de 2,3 bilhões de onças contra 345 milhões de onças de ouro. Certamente, a quantidade de ouro em investimento em dólar era muito maior, mas onça por onça, a prata é o maior mercado de investimento em metal físico do mundo.

Dito isso, os investidores de prata devem ficar felizes em saber que 5 bilhões de onças de suprimento mundial de minas na última década provavelmente serão perdidos para sempre. O termo que eu uso para esse suprimento de prata perdido é metal “ECONOMICAMENTE PERDIDO”.

Alguns analistas de metais preciosos, como Jan Nieuwenhuijs da Voima Gold, afirmaram que havia muito mais prata acima do solo no mundo do que o que o Instituto Silver divulga como “estoques acima do solo identificáveis”. Jan argumenta que existem 1,6 milhão de toneladas ou 51 bilhões de onças de estoques acima do solo no mundo, 20 vezes mais do que os citados 2,5 bilhões de onças de estoques de prata para investimento físico da GFMS na Pesquisa Mundial de Prata de 2019.

O que Jan parece ignorar convenientemente é que uma grande porcentagem dessa prata está “economicamente perdida” para sempre. Quão realista é incluir a maior parte da prata usada para fins industriais que ainda estão em lares antigos, eletrodomésticos, eletrônicos ou em aterros sanitários em todo o mundo? Não podemos incluir essa prata “economicamente perdida” como estoques acima do solo em algum cálculo tolo de “estoque para fluxo”. É puro lixo.

Se observarmos o mercado de prata na última década, meus cálculos sugerem que pelo menos 5 bilhões de onças de suprimento de minas de prata foram economicamente perdidas. Eu deduzi esse número determinando a quantidade de prata reciclada em cada categoria anualmente e depois calculei a quantidade total perdida. Primeiro, comecei com o suprimento total de mina de prata de 2010 a 2019 e subtraí a quantia estimada economicamente perdida:

19062020a

Produção de ouro e prata de 2010 a 2019 – suprimento das minas versus a perda estimada

Aproximadamente 60% ou 5 bilhões de onças do total de 8,35 bilhões de onças de suprimento de mina de prata de 2010 a 2019 foram economicamente perdidas. Agora, compare isso com as estimadas 123 milhões de onças ou apenas 12% da oferta de mina de ouro perdida na última década. Assim, mais de 88% do bilhão de onças de ouro extraídas no mesmo período ainda podem ser contadas como estoques acima do solo. A maior parte do ouro que foi economicamente perdido em 2010-2019 foi no setor de tecnologia. Segundo o Conselho Mundial do Ouro, nesses dez anos, o consumo de ouro no setor de tecnologia foi de 116 milhões de onças. Enquanto parte desse ouro de alta tecnologia é reciclada, 90% da reciclagem global de ouro vem de jóias com sucata de ouro (Fonte: World Gold Council).

Infelizmente, a maioria das pessoas que compra jóias de prata acaba jogando fora no lugar de vendê-las para reciclagem de sucata. Não vale a pena o esforço e o tempo para ir à loja de penhores para vender jóias de prata entre US $ 10 e US $ 25. Portanto, a maioria das jóias de prata fabricadas nos últimos 50 anos provavelmente nunca será reciclada. Claro, se o preço da prata subir para US $ 100, podemos ver mais reciclagem de jóias de prata, mas duvido que veremos bilhões de onças voltando ao mercado.

19062020b

Total de prata reciclada de 2010 a 2019

Por exemplo, na última década, dos 1,86 bilhão de onças do total mundial de reciclagem de prata, o suprimento de sucata de jóias representou apenas 12% desse total. Assim, do total de 1,87 bilhão de onças de jóias de prata demanda 2010-2019, determinei que em 15% conservadores, apenas 281 milhões de onças podem ser recicladas. Não, não é um erro de digitação. A reciclagem total de prata desse período de dez anos foi de 1,86 bilhão de onças contra 1,87 bilhões de onças de demanda de jóias de prata. A fonte para reciclagem de prata e fornecimento de minas vem das Pesquisas de Prata do Silver Institute.

Agora, se adicionarmos o suprimento mundial total de minas de prata de 2010 a 2019, será igual a 8,35 bilhões de onças:

19062020c

Suprimento anual das minas de prata de 2010 a 2019

Eis por que a prata será um ativo de investimento com melhor desempenho no futuro do que o ouro.

Como apenas 8% da demanda mundial de ouro está no setor de tecnologia (2010-2019) versus aproximadamente 50% no consumo industrial de prata, a maior parte do suprimento das minas de prata está economicamente perdida para sempre. Durante o período de dez anos, 4,8 bilhões de onças de prata foram consumidas no setor industrial. Em média, apenas 20% da demanda industrial anual de prata é reciclada. Assim, menos de 1 bilhão de onça desse total de 4,8 bilhões consumido no setor industrial provavelmente será recuperado.

Assim, somando a possível reciclagem aos 8,35 bilhões de suprimento das minas de prata, e somando-a à demanda física de investimento em prata (assumida com 100% de reciclagem), cheguei a aproximadamente 3,3 bilhões de onças de prata NÃO PERDIDAS ECONOMICAMENTE. Ao subtrair os dois, consegui 5 bilhões de onças de suprimento de prata economicamente perdido.

Novamente, este é apenas um cálculo simples. Agora, alguns podem dizer: “Se a cotação da prata subir para US $ 50, isso não traria muito mais reciclagem de sucata de prata?” Pode ser. No entanto, em 2011, quando a cotação da prata atingiu US $ 50, o valor total reciclado foi de 230 milhões de onças. Mesmo se dissermos 250 milhões de onças por ano ao longo de uma década, isso seria apenas 2,5 bilhões de onças de reciclagem. Isso ainda está muito abaixo dos 8,35 bilhões de onças do fornecimento total global de mina de prata durante esse período.

Os investidores em prata estão realizando um excelente investimento que poucos entendem de sua poderosa dinâmica fundamental. Eu digo, deixe os bancos continuarem imprimindo trilhões para sustentar os mercados. Quanto mais dinheiro eles imprimem e mais dívida é adicionada ao sistema, melhores os fundamentos para possuir metais preciosos, especialmente prata.

Proteja suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.