Como os Investidores se Protegem da Inflação

Com o espectro sombrio da inflação retornando no ano passado para desencadear crises de custo de vida em grande parte do mundo, os bancos centrais se mostraram em grande parte impotentes para conter os preços descontrolados até agora. A inflação continua a subir, o que significa que o poder de compra do dinheiro em muitos países continua a ser significativamente corroído.

Os investidores devem, assim, proteger-se contra este ataque ao poder de compra, identificando os investimentos que oferecem as coberturas mais eficazes contra a inflação. Esses investimentos normalmente mantêm ou aumentam seus valores durante o crescimento de preços em espiral, evitando assim perdas substanciais de portfólio.

Uma possibilidade

Entre os hedges mais eficazes contra a inflação estão os títulos do Tesouro. À medida que a inflação aumenta, os títulos aumentam de valor, geralmente por meio de um aumento nos juros pagos aos detentores de títulos. Isso significa que eles podem até superar outros títulos do governo durante períodos de inflação pronunciada.

E porque o governo os apóia, os títulos estão entre os investimentos mais seguros do mundo do ponto de vista do risco de crédito. Eles tendem a pagar juros aos investidores duas vezes por ano e normalmente são emitidos com vencimentos de 5 anos, 10 anos e 30 anos.

Metais preciosos

Historicamente considerados ativos de refúgio, seus preços tendem a ser não correlacionados ou fracamente correlacionados com os de classes de ativos mais tradicionais, como ações e títulos; metais preciosos, incluindo ouro, prata, platina e paládio, normalmente mantêm seus valores durante períodos de elevada incerteza no mercado.

Historicamente, isso tem ocorrido em grande parte porque os metais preciosos são imunes a mudanças nas políticas macroeconômicas, como aumentos das taxas de juros, bem como outros fatores que podem desencadear a inflação. E, devido a seus suprimentos físicos fixos e finitos, os metais preciosos não perdem valor com a impressão de mais dinheiro, como foi o caso durante a pandemia – um período que viu trilhões de dólares sendo injetados na economia global por meio de ações quantitativas. programas de flexibilização, uma política que, sem dúvida, contribuiu para este surto de inflação em curso.

Devido ao seu uso industrial mais amplo, a prata pode ser uma proteção ainda mais eficaz contra a inflação do que o ouro, de acordo com o Morgan Stanley. “Historicamente, tanto o ouro quanto a prata obtiveram ganhos sólidos quando a inflação está subindo, em parte porque o aumento dos custos de bens e serviços geralmente coincide com um dólar mais fraco”, explicou o banco dos EUA em seu site em setembro de 2021. “Ambos os metais são avaliados em dólares americanos, portanto, quando o dólar cai de valor, o ouro e a prata geralmente aumentam porque se tornam menos caros para comprar usando outras moedas. Dada a maior demanda industrial, a prata tende a subir mais do que o ouro com o aumento da inflação e a queda do dólar.” (fonte)

Uma carteira de investimento ideal deve incluir 4 a 6 % de prata, de acordo com relatório

A prata como uma classe de ativos distinta deve ser considerada como uma alocação estratégica de investimento dentro de um portfólio global de vários ativos, de acordo com uma nova pesquisa da Oxford Economics, uma empresa líder de consultoria econômica independente. A empresa informa que os investidores se beneficiariam de uma alocação média de prata de 4 a 6 por cento em seu portfólio, significativamente maior do que as atuais participações de prata da maioria dos investidores institucionais e individuais.

O novo relatório, “A Relevância da Prata em um Portfólio Global de Multiativos”, foi encomendado pelo Silver Institute para explorar os retornos ajustados ao risco de carteiras modelo com diferentes níveis de exposição à prata.

Para examinar os potenciais benefícios de longo prazo de manter a prata em um portfólio, a Oxford Economics comparou o desempenho histórico da prata com uma série de classes de ativos tradicionais, incluindo ações, títulos, ouro e outras commodities, de janeiro de 1999 a junho de 2022. Entre as descobertas , a prata mostrou ter uma correlação histórica relativamente baixa com outras classes de ativos além do ouro, sugerindo o valioso potencial de diversificação da prata em carteiras de investimento.

Além disso, a empresa realizou um teste mais rigoroso para determinar se a prata deve ter uma alocação consistente ao lado do ouro em um portfólio de vários ativos, executando simulações dinâmicas de otimização de portfólio. Essas simulações foram executadas com o objetivo de maximizar os retornos ajustados ao risco de uma carteira de ativos mistos sob várias restrições projetadas para refletir as diferentes preferências de risco dos investidores. Ao longo do período histórico da amostra, os autores descobriram que a alocação ideal média para prata estava na faixa de 4-5 por cento para uma carteira com um período de detenção de cinco anos.

Embora os movimentos de preços da prata estejam frequentemente correlacionados com o ouro, a análise da Oxford Economics sugere que as características de retorno da prata são suficientemente diferentes do ouro para torná-la uma valiosa ferramenta de diversificação que merece seu próprio compromisso de portfólio. Com mais da metade da demanda global de prata usada em aplicações industriais, o preço da prata tende a ser mais sensível do que o ouro às tendências do ciclo industrial global, contribuindo para sua maior volatilidade. Além disso, a prata provavelmente se beneficiará de uma perspectiva de demanda estrutural cada vez mais positiva no médio prazo, devido ao seu uso em muitas tecnologias verdes, indicando que podemos estar entrando em um período em que a relação preço do ouro-prata muda novamente em favor da prata.

Com base em suas projeções para retornos de ativos, a Oxford Economics investigou o comportamento potencial da prata em relação a outras classes de ativos e seu papel em um portfólio ideal na próxima década. Essa análise sugere que uma alocação de portfólio ideal ainda maior para prata de cerca de 6% seria garantida durante esse período. (fonte)

Na PrataPura.com, fazemos o que fazemos porque acreditamos que riqueza de verdade é aquela que você tem em sua mão, fisicamente, e que não tem risco de evaporar por um clique num computador, ou pela falta de empatia dos governantes e donos do mundo. Prata física sempre foi, e sempre será, uma reserva de valor tangível em sua mão, imune à inflação e a choques econômicos ou sociais.

Queremos ajudar nossos clientes a protegerem sua riqueza, seu dinheiro duramente conquistado, neste mundo constantemente ameaçado pelo caos, e terem controle total sobre seu patrimônio.

Nosso propósito é facilitar a formação de reservas de riqueza seguras pelos nossos clientes em face das incertezas globais e a irresponsabilidade dos emissores de dinheiro de papel, intermediando a troca de metal precioso físico por valores fiduciários a medida das suas necessidades. Somos a empresa pioneira no Brasil em vender prata física para reserva de valor, de forma legal.

Entre no seleto grupo de pessoas que pensam no futuro, a frente do seu tempo, e protegem sua riqueza de forma que ela dure para sempre!

Visite nossa loja online: www.loja-pratapura.com

Deixe seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s