O homem que previu o sequestro dos depósitos do povo grego diz que outro colapso é iminente!

Arrow graph going down

James Turk:   “Tudo o que precisamos fazer é olhar ao redor, para concluir que um colapso financeiro como a que vimos em 2008 está se aproximando rapidamente. Está escrito em toda a parede, e está lá para qualquer pessoa disposta a abrir os olhos ….

A queda livre recente dos preços das ações chinesas e em todo o mundo é uma bandeira vermelha, para não mencionar que os preços dos imóveis estão pendurados por um fio e prontos para seguir em queda, com os investidores procurando liquidez e segurança.

Então é claro que é a Grécia, e, mais geralmente, os problemas das economias fracas e as cargas pesadas de dívida na zona do euro, assim como em outros estados de bem-estar altamente endividados fora da Europa.

Nós podemos tirar duas conclusões a partir do que vemos: em primeiro lugar, a intervenção do governo nos mercados é um processo destrutivo que no final faz uma confusão de coisas. Este processo termina, inevitavelmente, em um desastre, porque as decisões são tomadas como são percebidas como politicamente convenientes em vez de serem fundamentadas como deveriam em finanças e economia.

Tome a Grécia como um exemplo óbvio, acho que por volta de maio de 2010, quando a incapacidade da Grécia para pagar suas dívidas tinha atingido uma fase crítica pela primeira vez. O presidente do Banco Central Europeu na época era Jean-Claude Trichet, que foi incansável em afirmar que o BCE como instituição era independente dos políticos e não seria o veículo para socorrer a Grécia.

Ele não fez essas declarações depois que políticos europeus, liderados pela chanceler Angela Merkel, decidiram em uma reunião de fim de semana, em seguida, que a Grécia deveria ser socorrida e o BCE iria fazê-lo. Como conseqüência, o BCE tem agora um problema de 115.000.000.000 de €, que é o montante da dívida grega em seus livros.

Por que os políticos não apenas deixaram a Grécia ir há cinco anos quando os problemas do país eram menores e, portanto, mais facilmente gerenciáveis? Porque os políticos não são orientados para os negócios. Eles não podiam perder a face, deixando seu amado ‘projeto europeu‘ arrebentar pelas costuras, o que pode acontecer a qualquer momento agora de qualquer maneira, uma vez que o BCE é fundamentalmente insolvente porque o papel inútil grego que detém é superior ao seu patrimônio líquido.

Os políticos não entendem a responsabilidade financeira nem as conseqüências de suas ações quando eles interveem. Lembre-se, a história tem mostrado que os governos destroem mercados muito antes que possam entender como o processo do mercado e do capitalismo funcionam. E na Europa, vemos esse desfecho em andamento.

O segundo ponto é que o sistema bancário como é praticado hoje é fundamentalmente falho. Aqui eu estou me referindo às duas funções dos bancos – empréstimos e processamento de pagamentos. A maioria da atividade econômica hoje é feita com moeda de depósito. Em outras palavras, o dinheiro em depósito nos bancos circula como moeda no comércio do ordenante para o beneficiário com transferências bancárias, cartões de plástico, pagamentos eletrônicos e com o antiquado, mas ainda amplamente utilizado talão de cheques. Se um banco falir porque ele tem feito empréstimos ruins, tudo isso é perdido.

Mesmo que um banco não falir, mas simplesmente parar de funcionar, como estamos vimos na Grécia, a economia sofre uma parada, que é a difícil situação da Grécia, enquanto seus bancos estão fechados. As ramificações são profundas quando a maioria do comércio para. As empresas que não estão preparadas entram em colapso junto com a economia, e se eles têm empréstimos em aberto, seu colapso piora as perspectivas para os bancos. Além disso, a receita fiscal do governo sofre uma parada, tornando ainda mais difícil lidar com a carga da dívida do país.

A resposta para isso, a forma imprudente em que o sistema bancário é praticado, é a de separar os bancos de crédito – aqueles que fazem empréstimos – dos bancos de comércio – aqueles que são responsáveis por pagamentos. A melhor maneira de fazer pagamentos é usar ouro, porque quando se utiliza um ativo tangível como moeda, você elimina o risco da contraparte. Eliminar o risco da contraparte é agora a melhor coisa que poderia acontecer para a economia global.

Há um último ponto para falar sobre a Grécia. Quando os bancos foram fechados na Grécia, as pessoas já não tinham acesso ao seu ouro e prata armazenados em cofres. Por esta razão, eu sempre recomendo não armazenar qualquer coisa em qualquer banco ou qualquer cofre de banco. Não corra riscos com o seu ouro físico e prata, que é o ativo base na carteira de todos. ”

 

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

 

 

Fonte.

Deixe seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s