10 eventos chave que precederam a última crise financeira e estão acontecendo novamente agora!

Se você não acredita que estamos caminhando diretamente para outra grande crise financeira, você precisa ler este artigo. Muitos dos exatos mesmos padrões que antecederam o grande colapso financeiro de 2008, estão acontecendo de novo, diante dos nossos olhos. A História literalmente parece ser repetir, mas a maioria das pessoas parece absolutamente alheia ao que está acontecendo.

# 1 Um início de ano realmente ruim para o mercado de ações. Durante os três primeiros dias de negociação de 2015, a S & P 500 caiu um total de 2,73 por cento. Em apenas duas vezes na história este índice caiu mais de três por cento durante os três primeiros dias de negociação de um ano. Aqueles anos foram 2000 e 2008, e em ambos os anos assistimos a enormes quedas da bolsa.

# 2 Comportamento muito agitado no mercado financeiro. Em geral, os mercados calmos tendem a subir. Quando os mercados se agitam, eles tendem a ir para baixo. Por exemplo, o gráfico abaixo mostra como o índice médio do Dow Jones da indústria tem comportado desde o início de 2006 até o final de 2008. Como você pode ver, o Dow estava muito calmo, uma vez que subiu ao longo de 2006 e parte de 2007, mas ficou muito agitado assim que 2008 surgiu …

É importante que não se deixe enganar se as ações disparam em um determinado dia. Os três maiores ganhos em um único dia do mercado de ações da história foram bem no meio da crise financeira de 2008. Quando você começa a ver grandes altos e grandes baixos no mercado, é um sinal de um grande problema pela frente. É por isso que é tão alarmante quando os mercados financeiros globais começaram a tornar-se bastante agitados nas últimas semanas.

# 3 Uma corrida substancial para os rendimentos decrescentes dos títulos de longo prazo. Quando os investidores ficam com medo, tende a haver uma “fuga para a segurança”, com os investidores transferindo seu dinheiro para investimentos mais seguros. Vimos isso acontecer em 2008, e está acontecendo de novo agora. No Brasil, os ‘consultores financeiros’ não cansam em sugerir investimento nos títulos do Tesouro Direto.

A média de 10 anos de rendibilidade das obrigações dos EUA, Japão e Alemanha caiu abaixo de 1 por cento, pela primeira vez, de acordo com Steven Englander, chefe global de estratégia cambial G-10 do Citigroup Inc. No Brasil, o rendimento dos títulos públicos é artificialmente inflado pela astronômica taxa de juros paga pelo governo, necessária para que os bancos continuem financiando a gastança pública.

# 4 O preço do petróleo despenca. Enquanto você lê isso, o preço do petróleo dos EUA provavelmente já caiu abaixo de US $ 48 por barril. Mas em junho, ele estava estável a 106 dólares. Como o gráfico abaixo demonstra, houve apenas um outro momento na história em que o preço do petróleo caiu para menos de US $ 50 em menos de um ano …

# 5 Queda dramática no número de plataformas de petróleo e gás em operação. Agora, plataformas de petróleo e gás estão saindo fora de operação a um ritmo assustador. Durante o quarto trimestre de 2014, 93 plataformas de petróleo e gás ficaram ociosas, e está sendo projetado que outras 200 serão encerradas neste trimestre. Isso também é algo que aconteceu durante a crise financeira de 2008 e continuou até 2009.

# 6 O preço da gasolina nos EUA leva um enorme tombo. Milhões de americanos estão comemorando que o preço da gasolina caiu nas últimas semanas. Eles também estavam comemorando quando aconteceu em 2008. Mas é claro que descobriu-se que não havia nada para comemorar em 2008. Em pouco tempo, milhões de americanos perderam seus empregos e suas casas. Assim, o gráfico abaixo definitivamente não é “boa notícia” …

Gas-Price-2015-425x282

 

 

 

 

 

 

 

 

# 7 Uma ampla gama de commodities industriais começa a declinar no preço. Quando as commodities industriais vão para baixo, é um sinal de que a atividade econômica está diminuindo. E, assim como em 2008, é o que estamos vendo no palco mundial no momento. O que se segue é um trecho de um artigo recente CNBC

Do níquel ao óleo de soja, da madeira compensada ao açúcar, os preços globais de commodities têm estado em um declínio constante, quando a economia do mundo perdeu seu momentum.

# 8 Um colapso dos títulos podres. Assim como em 2008, estamos testemunhando o começo de um colapso dos títulos podres. A dívida elevada relacionada com a indústria de energia está na borda deste colapso, mas nas últimas semanas temos visto os investidores começarem a se livrar de uma ampla gama de títulos de alto risco.

# 9 A inflação nos países desenvolvidos desacelera significativamente. Quando a atividade econômica desacelera, o mesmo acontece com a inflação. Isso é algo que nós testemunhamos em 2008, isso também é algo que está a acontecer mais uma vez. Na verdade, está sendo projetado que a inflação mundial está prestes a cair para o nível mais baixo que temos visto desde a Segunda Guerra Mundial …

# 10 Uma crise de confiança dos investidores. Pouco antes da última crise financeira, a confiança que os investidores, que seria capaz de evitar um colapso do mercado de ações nos próximos seis meses, começou a diminuir significativamente. E adivinha o que? Isso é outra coisa que está acontecendo mais uma vez …

 

Você está começando a ver o quadro?

 

Há toda uma série de vozes proeminentes que estão avisando agora sobre o perigo financeiro iminente.

Hoje, eu gostaria de acrescentar mais um nome à lista. Ele é respeitado autor James Howard Kunstler, e o que ele prediz que está chegando em 2015 é absolutamente arrepiante …

Aqui estão as minhas previsões financeiras para 2015:

– No início de 2015, o BCE propõe um programa de QE coxo e risível. Os mercados europeus desabam.

– As eleições gregas, em janeiro, produzem um governo que se levanta contra a UE e o BCE e provoca uma derrapagem fatal na fé na capacidade do projeto para continuar.

– No segundo semestre de 2015, o resto do mundo se rebela e contra-ataca o dólar.

– Os mercados de títulos na Europa implodem no primeiro semestre e o contágio se espalha para os EUA com o medo e a desconfiança que se eleva sobre a viabilidade do status dos EUA como porto seguro.

– Os derivativos associados a moedas, taxas de juros e títulos de alto risco desencadeiam um banho de sangue em credit default swaps (CDS) e o aparecimento de inúmeros buracos negros por meio do qual a dívida e “riqueza” desaparecem para sempre.

– Os mercados acionários norte-americanos continuam a apontar para cima no primeiro semestre de 2015; uma cratera no Q3 corrói a fé em papel. DJA e S & P caiem 30 a 40 por cento no colapso inicial, em seguida, ainda mais em 2016.

– O ouro e a prata declinam no primeiro semestre, em seguida decolam assim que a dívida e os mercados acionários afundam, a fé em instrumentos abstratos evapora, a fé na onipotência do banco central se dissolve, e os cidadãos de todo o mundo buscam desesperadamente a segurança em face a guerra cambial.

– Goldman Sachs, Citicorp, Morgan Stanley, Bank of America, Deutschebank, Société Générale, todos sucumbem à insolvência. Funcionários do governo americano e do Federal Reserve não se atrevem na tentativa de resgatá-los novamente.

– Até o final de 2015, os bancos centrais em todos os lugares estão em descrédito geral. Nos EUA, o mandato do FED é publicamente debatido e revisto de volta à sua missão original como emprestador de última instância. É proibido a envolver-se em novas intervenções e um novo mecanismo menos secreto é elaborado para regular as taxas básicas de juros.

– Os preços do petróleo rastejam de volta para a faixa de US $ 65 –  70 por maio de 2015. Não é o suficiente para parar a destruição no xisto, alcatrão, e os setores de águas profundas. Como a contração da economia global não cessa, o óleo afunda de volta para a faixa de 40 dólares em outubro …

– A menos que o mal no Oriente Médio (em particular, o Estado Islâmico mexendo com a Arábia Saudita) levem para uma bruta e talvez fatalmente permanente interrupção nos mercados mundiais de petróleo – e então todas as apostas perderam, tanto para a continuidade das economias avançadas como para a paz entre as nações … “

 

Mesmo que você não concorde com todas essas previsões, estamos nos movendo para um momento de extremo perigo para a economia global.

Ao longo dos últimos dois anos, temos sido muito abençoados por sermos capazes de desfrutar de uma bolha de relativa estabilidade. Mas este período de estabilidade tem enganado muitas pessoas a pensarem que os problemas econômicos do mundo tinha sido resolvidos, quando na realidade eles só têm piorado.

Nós consumimos muito mais riqueza do que produzimos, os nossos níveis de dívida estão em patamares recordes e estamos no fim da cauda da maior bolha financeira em toda a história.

É inevitável que estamos caminhando para uma conclusão trágica de tudo isso. É apenas uma questão de tempo.

 

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

A manipulação ilegal dos mercados de ouro e prata pelo Poder Público

O FED e seus agentes bancários estão usando ativamente contratos futuros a descoberto para manipular ilegalmente os preços dos metais preciosos, a fim de manter as cotações artificialmente abaixo da taxa de mercado. O objetivo da manipulação é apoiar o status de reserva do dólar norte-americano em um momento em que o dólar deveria estar em declínio a partir do excesso de oferta criado por QEs infinitos e de déficits comercial e orçamentário.

Historicamente, o papel do ouro e da prata tem sido o de funcionar como um meio de troca e reserva de riqueza durante períodos de turbulência econômica e política. Uma vez que o mercado de lingotes começou a decolar no final de 2000, subiu quase sem parar até março de 2008, à frente da grande crise financeira, que começou com o colapso do Bear Stearns. Quando o Bear Stearns entrou em colapso, o ouro foi empurrado para baixo ao longo dos próximos sete meses a partir de $ 1035 até US $ 680, ou seja, -34%; a prata, de US $ 21 até US $ 8, ou seja, -62%. A queda mais violenta ocorreu quando o Lehman entrou em colapso e o Goldman Sachs estava prestes a entrar em colapso. Esta queda ocorreu durante um período de tempo em que o ouro deveria ter ido para uma parabólica no preço. O preço do ouro finalmente decolou no final de outubro 2008 de R $ 680 até 1.900 dólares a onça, enquanto o Governo e o Fed estavam a imprimir dinheiro, ocupados em salvar os bancos. Enquanto o preço do ouro subiu cerca de 300% a partir do final de 2008 a setembro de 2011, o dólar perdeu mais de 17% de seu valor, passando de 89 no índice do dólar para 73,50.

A queda atual do ouro a partir de $ 1900 a $ 1.200 ocorreu durante um período de tempo em que a fraude financeira e política e a corrupção torna-se pior e mais flagrante a cada dia. Junto com isso, a intensidade e a abertura com que os metais são sistematicamente derrubados parece crescer a cada dia.

Os contratos futuros da Comex TRADE por 23 horas por dia através de um sistema informatizado de negociação global são conhecidos como Globex. O período mais pesado de negociação ocorre quando as operações reais de piso estão abertos somente pela Comex , o que ocorre em 8h20-13:30 EST. Todos os outros contratos futuros são comercializados pela Comex TRADE eletronicamente via Globex. O ouro e a prata são esmagados principalmente durante os períodos em que somente a Globex está aberta para negociação, quando o volume global de negócios é muitas vezes nulo.

Este gráfico das negociações de futuros na Comex em 16 de dezembro mostra a queda repentina no preço da prata.

Comex_12-2014

A segunda etapa da queda de preço acentuado começa às 1:30 horas, horário do Leste, após o que a operação de pregão Comex foi fechada para o dia. Isto é tipicamente um dos períodos mais baixos de volume de negociação, durante o qual as ordens de compra ou venda podem causar perturbações de preço significativas para o mercado. Não houve notícias ou eventos que teriam desencadeado a venda repentina de contratos futuros de ouro, e nenhum dos outros mercados experimentaram movimentos incomuns enquanto o preço do ouro e da prata foi rapidamente mergulhando.

Para colocar em perspectiva os 9.767 contratos de prata vendidos em 15 minutos, o volume total negociado na Comex de prata para o período de comércio global de 23 horas terminando as 5:00 em 15 de dezembro foi de 149.964 contratos, ou seja, uma média de 6.520 contratos por hora. O único tipo de participante do mercado que poderia despejar quase 10.000 contratos em um período de 15 minutos é um único vendedor, cuja única motivação é empurrar o preço da prata o mais baixo possível. A entidade que pode se dar ao luxo de usar seu capital dessa forma é o Federal Reserve, porque o Fed pode criar o seu próprio capital,  usando a prensa de papel.

No fundo, os mercados financeiros estão sendo cada vez mais pressionados, por declínios das moedas de mercados emergentes, governos soberanos insolventes – incluindo os EUA, e talvez uma crise de derivativos renovada desencadeada pelo colapso do preço do petróleo. A queda do preço do petróleo poderia resultar em problemas para derivativos maiores do que o subprime hipotecário da crise de 2008.

A manipulação escada abaixo dos preços dos metais preciosos impede o “sistema de transmissão de aviso de crise” de funcionar corretamente. Mais importante, a queda no preço do ouro / prata contra o USD transmite a ilusão de que o dólar está forte no momento em que, de fato, o dólar deveria estar sob pressão do excesso de emissão de dólares e dívida denominada em dolar.

O que estamos vivenciando desde a crise de 2008 não é apenas a subordinação da política econômica dos EUA para as necessidades dos bancos “grandes demais para falir“, mas também a subordinação da lei e dos órgãos reguladores financeiros para os interesses de alguns bancos privados. A manipulação dos mercados de ouro é ilegal, seja por particulares ou por entidade pública, e por isso temos o espetáculo de o governo dos EUA apoiar um punhado de bancos através de meios ilegais. Não só a responsabilidade econômica foi posta de lado, mas também a responsabilidade legal.

Assim como Washington se põe acima de leis que proíbem a tortura e agressão nua e crua para a realização de sua “guerra ao terror” auto-declarada e acima da Constituição, a fim de construir um estado policial doméstico, Washington se coloca acima das leis que proíbem a manipulação do mercado.

Obviamente, a afirmação de que o governo representa o Estado de Direito é tão falsa como todas as suas outras reivindicações. O fedor de corrupção e hipocrisia que emana de Washington é o cheiro de um país moribundo.

E assim não é diferente em Brasília. E lembre-se: quando a economia norte-americana finalmente entrar em colapso, ou provocar uma nova guerra mundial para tentar se manter debilmente sobre a corda-bamba, o mundo inteiro irá sentir as consequências.

Entendemos que a maioria da população sequer compreende os conceitos aqui desenvolvidos. Mas você, cliente de Pratapura.com, tem a oportunidade única de conservar, ao menos parte, suas economias em um ativo físico, intangível, como a prata.

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

 

 

Fonte.

16 de novembro de 2014, o dia em que seu dinheiro no banco foi roubado.

Com a cúpula do G-20, chegando neste fim de semana em Brisbane, na Austrália, pode valer a pena pensar se você deve manter muito dinheiro no banco, ou, ou mesmo qualquer dinheiro no banco!

A partir desta data todas as nações que pertencem ao G20 deverão imediatamente apresentar e aprovar uma legislação que vai cumprir um novo programa de investimentos. Este novo programa cria um novo paradigma e um conjunto de regras segundo as quais os bancos deixarão de reconhecer os seus depósitos como dinheiro.

Você se identifica nessa imagem?

Você se identifica nessa imagem?

Russell Napier declara o 16 de novembro de 2014 como o “dia dinheiro em que o morreu“, e isso constitui a manchete de hoje do site Zero Hedge. De acordo com a Hedge Zero, Napier diz que o G-20 irá anunciar “que os depósitos bancários são apenas parte da estrutura dos bancos de capital comercial, e também que eles estão longe de ser a parte mais importante da estrutura.” Preste muita atenção, isso significa que após uma quebra de banco, “um depósito bancário não é mais dinheiro na forma que uma nota é.

Esta legislação do G20 irá formalmente empurrar para baixo as contas bancárias através da estrutura de capital para uma posição de ser mero capital de risco material em qualquer instituição que quebrar. Em nossa última crise financeira, os depósitos foram de fato garantido pelo Estado, mas a partir de 16 de novembro os titulares de depósitos em grande escala serão apenas mais um credor lutando para recuperar a sua parte dos ativos de um banco falido. E quanto seu ex-dinheiro irá valer quando você for fazer o seu pedido? Se você tiver $ 100.000 em uma conta bancária, você vai levar para casa apenas $ 1.200! É por isso que nos últimos 18 meses muitos vem avisando para não depositarem o seu dinheiro no banco. A coisa prudente a fazer é apenas colocar dinheiro suficiente no banco para pagar suas contas básicas e fazer outras coisas com o restante do dinheiro, como pagar a sua hipoteca ou pagar seus empréstimos de carro. Se você não estiver fazendo isso, então você está quase fora do tempo para os banksters terem roubado sua conta bancária.

No Brasil, assim como na Europa, esse assunto já vem sendo debatido abertamente desde 2013, seguindo o rumo dos EUA, Canadá  e outros. Recentemente o governo brasileiro se decidiu em levar essa proposta adiante.

Muitos acreditam que o confisco que ocorreu em Chipre tenha sido um ensaio para a escala global que está por vir.

A Islândia, por outro lado, não seguir a receita do FMI e está muito bem, obrigado. Afinal, se um banco quebra, por quê o governo tem que salvar o banqueiro falido com o dinheiro dos seus impostos? E pior, por quê você teria que salvar o banqueiro com o dinheiro de suas economias? Naturalmente o caso da Islândia desapareceu da grande mídia há tempo….

Você pensava que seu suado dinheiro está seguro investido no banco? Pense de novo….

 

Proteja suas economias em prata física, antes que ela fique cara demais, e enquanto você ainda tiver dinheiro para investir!

 

Fonte.

Enquanto a bolsa sobe e as economias mundias desandam, os ultra-ricos desatam a comprar metais preciosos…

gold   Você sabia que o número de barras de ouro que está sendo comprado por indivíduos ultra-ricos aumentou 243 % até agora este ano? Se as ações estão se mantendo em alta, por que eles estão fazendo isso?

Na quinta-feira, o índice Dow Jones e o S&P500 fecharam ambos em recorde mais uma vez. É um padrão que parece nunca ter fim, e há um monte de pessoas realmente felizes em Wall Street nos dias de hoje. Mas aqueles que são exigentes percebem que testemunharam exatamente o mesmo tipo de comportamento de bolha durante o boom das pontocom e durante a corrida até a última crise financeira em 2007.

A exuberância irracional que estamos testemunhando agora não pode continuar para sempre. E quanto maior essa bolha fica, mais doloroso vai ser quando ela finalmente explodir. Aqueles que saírem no pico do mercado são os que geralmente acabam fazendo muito dinheiro. Aqueles que entram no fim do caminho são os que geralmente acabam ficando totalmente exterminados.

De muitas maneiras, os fundamentos econômicos dos EUA apenas continuaram a piorar. A posse do negócio pequeno nos Estados Unidos está no ponto mais baixo, a taxa de participação da força de trabalho é a menor em 36 anos, e a dívida nacional cresceu mais de um trilhão de dólares ao longo dos últimos 12 meses.

No Brasil não é diferente. A economia do país deve crescer somente 0,3 % esse ano (se crescer), segundo algumas projeções. A dívida externa cresceu 48% e está em meio trilhão de US$, e a dívida interna está em 2,2 trilhões de dólares.

Enquanto isso, o ultra-ricos estão fazendo movimentos para se proteger do caos inevitável que está por vir. Por exemplo, o Telegraph relatou recentemente que as vendas de barras de ouro para clientes ricos estão até 243 % maiores até agora em 2014 …

Será que eles sabem algo que nós não sabemos?

O ultra-ricos são capazes de ficar ultra-ricos por uma razão.

Eles estão geralmente um ou dois passos à frente da maioria do resto de nós.

E qualquer pessoa racional deve ser capaz de ver que esta bolha financeira vai acabar mal, muito mal.

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

O teatro dos bancos centrais

À medida que a cortina subiu no palco econômico, revelou políticos e banqueiros centrais de mãos dadas, prontos para encenar uma farsa.

Um artigo de 23 de junho na Bloomberg constituiu a primeira revisão. Abriu: “a Alemanha decidiu que seu ouro está seguro em mãos americanas.” O ouro em questão é a enorme reserva alemã que supostamente está sendo armazenado no Banco da Reserva Federal de Nova Iorque (NY Fed). Em 16 de janeiro de 2013, o banco central a Alemanha, o Bundesbank – ou BuBa para seus críticos – anunciou a intenção de repatriar uma parte considerável de seu ouro do NY Fed até 2020. Mas, agora, porta-voz do orçamento do governo Norbert Barthle declarou: “os norte-americanos estão cuidando bem do nosso ouro. Objetivamente, não há absolutamente nenhuma razão para desconfiança“.

Objetivamente, não há nenhuma razão para a confiança. A repatriação foi pedida precisamente porque os líderes populares da oposição estão convencidos de que os cofres de NY estão deficientes ou vazios. O povo alemão concorda com a oposição e em voz alta pediu para ver a prova. Além disso, o próprio governo alemão tem mostrado uma profunda desconfiança em relação à América. Por exemplo, a Alemanha se recusou a renovar seu contrato com a gigante das telecomunicações Verizon recentemente. Tobias Plate, um porta-voz do Ministério do Interior alemão, explicou: “Há indícios de que a Verizon está legalmente obrigada a fornecer certas coisas para a NSA.” Especificamente, o governo suspeita que a Verizon irá monitorar as comunicações de altos funcionários da mesma maneira que a chanceler Angela Merkel foi “interceptada” pela NSA.

A história abismal de repatriação de ouro deve ser outra fonte de ceticismo. Em um artigo de 16 de junho, intitulado “Estaria o maior reservatório de ouro do mundo vazio?“. A revista financeiro do Reino Unido Moneyweek explicou: “Quando o governo alemão pediu recentemente para ver as cerca de 1.536 toneladas de ouro alemão armazenados naquele cofre, o que equivale a cerca de metade das reservas de Berlim, Der Spiegel relata que o FED se recusou a permitir que inspetores alemães as visualizarem. “A razão citada? A inspeção não era “do interesse da segurança e do processo de controle.”

O artigo continua: “[Os] EUA concordaram que 674 toneladas seriam repatriados ao longo de oito anos. Isso é uma taxa anual de cerca de 84 toneladas por ano. “Ele deveria ter sido repatriados sob demanda. Não deveria ter havido nenhum problema. Os EUA são, supostamente, o maior detentor mundial de ouro com mais de 8.000 toneladas próprias; o ouro alemão foi supostamente armazenados intacto. Houve um problema. Apesar da passagem de mais de 18 meses, os EUA só conseguiram repatriar cinco toneladas de ouro de volta para a Alemanha.

A lógica normal deveria levar as autoridades alemãs a gritar “jogo sujo!” Em vez disso, a lógica do governo levou-os a proclamar a confiança no Fed de NY. As razões para isso são tanto políticas quanto econômicas.

Pagamento político para ‘confiar’ nos Yankes

Merkel não confia nos EUA. O Parlamento alemão continua a investigar o monitoramento da NSA dos seus funcionários, apesar dos pedidos dos EUA para encerrar o assunto. E há um crescente apelo para conceder asilo ao delator Edward Snowden. No entanto, os benefícios políticos acumulam como se as promessas dos Estados Unidos não fossem tão tênues como o papel de seus dólares.

1) Merkel e seu governo podem evitar o constrangimento público por terem sido enganados pela América … de novo. Merkel tem sido chanceler da Alemanha desde 2005. Ela já presidiu o Conselho Europeu e presidiu o G8. Durante várias crises financeiras, incluindo o resgate da Grécia, Merkel ganhou o apelido de “a decisiva” devido ao poder financeiro que Alemanha exerce. O apelido seria Merkel ‘ganha’ se ela estivesse exposta como a vítima de um golpe que faz com que os nigerianos sejam insignificantes em comparação. Após o constrangimento público, é claro, viria a raiva pública que poderia culminar com um governo de coalizão estável.

2) O artigo da Bloomberg que citou “O ouro alemão permanece em Nova York em Repulsa ao Euro céticos.” O euro-céticos e -críticos são adversários inflexíveis da União Europeia e de Merkel, que considera que a UE seja o seu legado. Rejeitando os críticos, deve ser profundamente gratificante para “Mutti” (MOM), outro dos apelidos de Merkel.

3) A declaração de confiança cega irá percorrer um longo caminho para a cura de uma rixa política entre as duas nações. Quando a Alemanha exigiu seu ouro de volta, o Fed reagiu com fúria. Ele finalmente concordou em repatriar o ouro ao longo de um período de sete anos – uma promessa em que se espetacularmente renegou, entregando uma pequena fração do que foi prometido para a primeira entrega.

Razões econômicas para não exigir o Ouro de volta 

O governo alemão e o BuBa precisam parecer confiar na América, porque todo o sistema das finanças internacionais é um castelo de cartas. Se uma carta é retirada, em seguida, toda a estrutura entra em colapso. Cada banco central vai mentir, enganar e falsificar registros, a fim de sustentar um sistema sobre o qual a sua sobrevivência depende.

Eles precisam proteger uma prática chamada “leasing de ouro.” Em termos extremamente simplistas, é assim que funciona. Os bancos centrais alugam ouro para bancos de ouro (por exemplo, Goldman Sachs, JP Morgan) por uma pequena taxa de retorno; o ouro supostamente volta em uma data acordada. Enquanto isso, os bancos de ouro vendem o ouro físico a taxas de mercado e usam o dinheiro para comprar títulos do Tesouro que dão uma taxa muito mais elevada de retorno do que está sendo pago para alugar. Os bancos centrais continuam a listar o ouro em seus balanços como um ativo. Isso significa que a quantidade de ouro é artificialmente inflado e o preço de cada grama de verdade é suprimido.

Enquanto isso, os bancos cobrem o risco de ter que devolver o ouro a um preço desvantajoso comprando contratos futuros. Quando expira o tempo de concessão, os bancos podem devolver o ouro ou o seu equivalente em dinheiro e embolsar um lucro líquido. Ou o período de concessão pode ser prorrogado para se tornar um empréstimo permanente de fato. Esta é a estrutura básica do que é chamado de carry trade ouro. (Há outras expressões no mercado, tais como swaps de ouro entre os bancos centrais, que inflam ainda mais a quantidade de ouro real disponível.)

Governos gostam do sistema porque ele sustenta o preço dos títulos e lhes permite inflar a moeda, mantendo as taxas de juros baixas. Se o sistema alimentado pelo crédito dura, todo mundo faz dinheiro … enquanto “todos” é definido como governos e bancos. Mas a bolha depende de manter a mentira de quanto ouro físico os bancos estão segurando.

O mito de que o ouro alemão é seguro nos cofres americanos faz parte de suprimir os preços do ouro, porque a descoberta da ausência do ouro poderia causar outros cofres a inspecionar a escassez geral de ouro físico a ser revelado. Em seguida, a opinião pública pode forçar um governo e o banco central a exigir o ouro de volta. Um banco teria que comprar o ouro físico que precisa retornar, o que pode ser a preços ruinosos; grandes bancos podem falir. Uma simples pergunta que poderia derrubar a farsa.

E, por isso, o governo e o BuBa tem a “confiança” alemão no Fed de NY com seu ouro inexistente, mesmo quando eles não confiam. Aqueles que desejam compreender a real atitude da Alemanha devem parar de ouvir os políticos e começar a ver suas ações. Por exemplo, em março, Merkel fez um acordo com a China para fazer de Frankfurt um posto de compensação e liquidação para moeda chinesa na Europa. Isto é amplamente visto como um passo para trás a partir do dólar dos EUA. Alemanha está em uma posição de saber com antecipação.

Assim, como os BRICs, também a Alemanha planeja se afastar do petrodolar. E quando isso acontecer, o colapso financeiro mundial finalmente vai se revelar.

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

Fonte

Estariam a Rússia e a China prestes a anunciar o fim da Era do Dólar Norteamericano?

Países de todo o mundo estão reunidos para um fim que lhe diz muito respeito, mesmo que você não seja norte-americano: o desuso do dólar dos EUA.

Desde a eclosão da crise da Ucrânia, o fim do dólar dos EUA parece mais perto do que nunca. Passo a passo, Rússia e China se tornaram aliados mais próximos. Existem inúmeros exemplos disso. Para o bem da brevidade, dois exemplos recentes chamam a atenção. A Gazprom emitiu obrigações em Yuan chinês e a Rússia e a China também assinaram um acordo de gás. Há muitos mais exemplos. 40 bancos centrais mesmo colocado apostas sobre o yuan como moeda de reserva no futuro.

Antes de 2014, estórias de colapso do dólar parecia ser teorias da conspiração, e como geopolítica, refletem apenas vagamente essa realidade aparente. Este ano, tudo mudou. Parece que Estados-nações de todo o mundo estão fazendo movimentos para um mundo pós-Dólar dos EUA. Não é uma questão de “se“, mas “quando“, e se você não entender o que está para vir você vai estar em choque … e admiração.

Uma vez que a Rússia, juntamente com vários aliados, fizer o movimento fatal, você pode ter certeza que muitas nações seguirão. Elas já estão tentando fazê-lo. Por quê? Porque os EUA é a força mais destrutiva do planeta, e o calcanhar de Aquiles é o seu “privilégio exorbitante “, conhecido como o dólar dos EUA pela maioria, e o Federal Reserve Note por aqueles “sabem “.

Isso vai significar hiperinflação, caos social, guerra civil, entre outros distúrbios. Acha que isso é uma hipérbole ? Não é. Para saber que tudo o que precisa fazer basta olhar para a história das repúblicas socialistas das bananas … e então imaginar algo muito, muito pior. Por que muito pior ? Porque nenhuma dessas repúblicas de bananas foram emissores de moeda de reserva do mundo.

E assim grandes estados-nação estão se unindo para ir além do sistema do dólar. Um mundo ” de- dolarizado “, como é chamado na Rússia, vai mudar a vida de milhões de americanos, e a sua também.

Ascensão da Rússia e China

De acordo com a Voz da Rússia, o Ministério das Finanças russo está olhando para aumentar significativamente o papel do rublo russo em operações de exportação, reduzindo a parcela de operações denominadas em dólares. O setor bancário russo, acreditam muitos, está “pronto para lidar com o aumento do número de operações denominadas em rublo”.

A mesma agência de notícias informou que em 24 de abril o governo organizou uma reunião especial dedicada a encontrar uma solução para se livrar do dólar dos EUA em operações de exportação da Rússia. Especialistas de alto nível dos bancos, governo e setor de energia vieram juntas, e uma série de propostas foram apresentadas como resposta para as sanções norte-americanas contra a Rússia.

Esta “reunião de- dolarização” foi presidida pelo Primeiro Vice-Primeiro- Ministro da Federação da Rússia, Igor Shuvalov, demonstrando o quão sério Moscou é quando se trata de ir além do dólar.

A próxima reunião, presidida pelo vice- ministro das Finanças, Alexey Moiseev, analisou como “a quantidade de contratos denominados em rublo será aumentada”. De acordo com Moiseev, nenhum dos especialistas e representantes dos bancos pesquisados ​​encontrou problemas com o plano do governo para aumentar a parcela de pagamentos em rublo.

O dólar, é claro, está em uma queda livre alongada, é claro, desde a criação do FED e da lei do imposto de renda, em 1913.

1-purchasing-power-of-the-us-dollar-1913-to-2013_517962b78ea3c_w1500

Mas o que resta pouco parece estar por um fio .

A Rússia não está sozinha

Rússia não seria tão ousada se não tivesse apoio. Outras nações querem se envolver em uma de- dolarização do mundo. Tanto a China quanto o Irã, por exemplo, tem manifestado seu interesse em avançar com um plano desse tipo. Muitos outros líderes manifestaram esse interesse.

Vladimir Putin está programado para visitar Pequim no dia 20 de maio e a especulação sugere que os contratos de gás e petróleo serão assinados entre a Rússia e a China e denominados em rublos e yuan, não em dólares.

Em apenas uma semana, poderemos estar vivendo em um mundo muito diferente.

O Ocidente está fora de controle, com russofobos no controle da política externa dos EUA. Isso significa que os EUA vão antagonizar a Rússia e outras nações. Isso só vai acelerar o abandono do dólar dos EUA pela Rússia, a China e o resto do mundo.

O mundo vai criar uma infra-estrutura econômica e financeira de simplesmente ignorar os Estados Unidos inteiramente. O que podem os EUA fazer sobre isso? Bombardear mais países. Mas eu não estou tão certo de que é perfeitamente possível para os EUA como se fosse apenas uma década atrás. A humanidade acordou e já uma guerra (Síria) foi parada por ultraje público. Haverá mais tais guerras paradas por oposição popular.

A posição comprometida dos EUA significa uma coisa: a China e a Rússia vão fazer os seus movimentos, jogando xadrez, enquanto Obama joga damas.

A China pediu uma nova moeda de reserva em 2013.

Japão e Índia assinaram uma negociação vinculando suas moedas em 2011.

Árabes do Golfo estão planejando – ao lado de China, Rússia, Japão e França – acabar com negócios em dólar para o petróleo, usando uma cesta de moedas, incluindo o iene japonês e o yuan chinês, o euro, ouro e uma nova moeda unificada planejada para as nações do Conselho de Cooperação do Golfo, incluindo Arábia Saudita, Abu Dhabi , Kuwait e Qatar.

O FIM DO SISTEMA MONETÁRIO como o conhecemos 

Estamos à beira de uma mudança de paradigma enorme no sistema monetário mundial e quase ninguém tem consciência disso. Empresários nos EUA estão fazendo planos e gastam o capital como se estivéssemos em uma recuperação. Os americanos continuam a gastar dinheiro e a garudar pouco com as mesmas expectativas. E os investidores continuam a investir como se estivesse tudo perfeitamente bem. Eles têm dificuldade em conceituar a verdade sobre a economia dos EUA, que o país está tão atolado em dívidas, além do que seria possível. Os EUA estão em tanta dívida que os números são chocantes.

1-image006

Trilhões de dólares em capital serão perdidos devido a isso e vai ocorrer no mundo ocidental em algo que pode ser escrito por séculos como um dos períodos mais sombrios da história da humanidade e rotulado como a Grande Depressão.

Aqueles que estão conscientes, no entanto, e que protegeram seus ativos e têm a grande maioria deles em ativos tangíveis, como os metais preciosos, fora do sistema financeiro, tem a melhor chance de sobreviver as mudanças que virão.

Nunca antes foi mais importante desligar sua televisão, fazer sua própria investigação e assumir o controle de seus assuntos financeiros.

Muita coisa vai acontecer e, é claro, nós estamos aqui para lhe antecipar o colapso, e ajudá-lo a proteger suas economias.

Invista em prata física antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

Confisco das poupanças, redistribuição forçada e declínio da economia européia

Bank Cyprus   A poupança de 500 milhões de europeus está em risco de ser roubada pela União Europeia. Por quê? A crise financeira ainda não acabou, de acordo com um documento da UE.

Em outras palavras, o que já aconteceu em Chipre – o roubo do dinheiro dos poupadores – vai se tornar continental e, eventualmente, mundial. Só que mais agressivo do que no exemplo Chipre. A lógica provável é simples: quase não houve resistência popular à confiscação de fundos em Chipre, então por que não expandir o programa?

Muitos acreditam que Chipre foi apenas um tubo de ensaio, para verificar como a população reagiria, e que os governos de todo o mundo vão persistir com o roubo aos poupadores. Como sabemos? Os governos continuam dizendo isso a seu povo. Nós não somos videntes. Nós simplesmente lemos as notícias e fazemos as devidas ligações. O FMI descaradamente afirmou que repressão financeira está sobre a mesa, e em várias partes do mundo já há relatos de aumento de controle de capitais.

É por isso que metais preciosos, como a prata, “debaixo do colchão”, realmente são os últimos recursos para as pessoas preservarem suas economias. Uma coisa é certa, haverá um monte de gente com as costas doloridas devido aos colchões tortos.

Quando chegar a hora, o “uso” (uma forma tão agradável para colocar o “roubo“) de fundos dos depositantes nos bancos da UE não será voluntário, mas a critério da União Europeia. A UE, então, vai fazer investimentos de longo prazo com os fundos roubados “para impulsionar a economia e ajudar a preencher a lacuna deixada pelos bancos desde a crise financeira“, como se isso fosse inspirar confiança em um sistema financeiro tão amado como o comércio de tráfico de pessoas . É claro que todos esses recursos iriam para forrar os bolsos de plutocratas e manter um sistema financeiro falido acima da água por alguns meses extras. Os bancos precisam de tudo o que eles podem obter.

Os EUA já se precaveram, e lá, por lei, tudo o que estiver depositado nos bancos pode ser imediatamente confiscado caso o governo (que é apenas um fantoche dos grandes bancos), assim o desejar, e os clientes recebem em troca promessas em papel, títulos desses mesmos bancos falidos.

Quem viveu no Brasil na era Collor e Zélia Cardoso de Mello sabe bem o que é o confisco de suas suadas economias. Se você acha que esta crise não vai se espalhar da Europa para os EUA, e em seguida para nosso próprio país,  boa sorte.

Proteja suas economias, invista em prata física antes que seja tarde mais!

Fonte.