Os quatro principais Metais Preciosos: quais serão os melhores investimentos para o próximo colapso financeiro

 

Quando o próximo crash financeiro ocorrer, os investidores precisarão saber quais dos quatro principais metais preciosos serão os melhores para investir. Infelizmente, tem havido uma grande quantidade de análise defeituosa que tenta enganar muitos investidores sobre os fundamentos do ouro, platina, paládio e prata.

Enquanto alguns apenas tocaram em aspectos individuais, muito poucos têm feito uma análise em profundidade sobre estes metais para instruir adequadamente os investidores.

 

Os fundamentos importantes dos quatro principais Metais Preciosos

Produção pelas minas: Vamos olhar para a produção da mina anual de prata, ouro, paládio e platina. De acordo com o Gold, Silver & Platinum Group Surveys fornecido pela GFMS (Thomson Reuters), o mundo produziu 877 milhões de onças (Moz) de prata, 101 Moz de ouro, 6,7 Moz de paládio e 6,1 Moz de platina em 2015:

290916a

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como podemos ver, existem 9 vezes mais prata produzida do que o ouro, 15 vezes mais ouro do que o paládio e 16 vezes mais ouro do que a platina. Muitos analistas têm erroneamente afirmado que, devido à raridade da platina ou do paládio, seu valor deve ser muito maior do que o ouro. Além disso, outros analistas acreditam que o valor da prata deve ser muito maior do que a sua atual relação de 69/1 contra o ouro, devido à existência de apenas nove vezes mais prata produzidos do que o ouro.

A relação de produção de prata/ouro pode ter sido mais uma representação do valor de mercado destes dois metais preciosos centenas de anos atrás, ou nos tempos antigos, devido à forma como foram extraídos da terra (pelo trabalho humano e animal). No entanto, isso mudou desde o final de 1800, com as fontes de energia de carvão e de óleo substituindo o trabalho humano e animal.

Custos de produção: Os valores atuais dos quatro principais metais preciosos são baseados em seu custo de produção, e não em sua relação. O gráfico abaixo mostra o custo estimado da produção de ouro, platina e prata. O paládio foi omitido porque os maiores produtores do metal o tem como um subproduto do níquel e da platina. Independentemente disso, os poucos produtores de paládio primário provavelmente o produzem nas margens de custos semelhantes ao ouro, platina e prata, como mostrados abaixo:

290916b

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Podemos ver que o saldo estimada para o ouro (seg. Barrick & Newmont) em 2015 foi de US $ 1.120 por onça. O preço médio do ouro em 2015 foi de US $ 1.160. Assim, estas duas empresas de mineração de ouro fizeram um lucro de US $ 40 por onça. Para a platina, o ponto de equilíbrio estimado foi de US $ 1.130 em 2015, enquanto o preço médio foi de US $ 1.054. Assim, estas duas principais mineradoras de platina tiveram um lucro de US $ 24 por onça.

Agora a prata. Para as duas maiores empresas de mineração de prata primárias o equilíbrio estimado para 2015 foi de US $ 15,00, enquanto o preço  médio foi de US $ 15,68. O que significa que, estas duas mineradoras tiveram um lucro de US $ 0,68 por onça. Na verdade, a Tahoe Resources informou um lucro muito grande, enquanto a Pan American Silver declarou prejuízo em 2015. No entanto, com a média destas duas empresas, nos deparamos com um lucro de US $ 0,68.

Basicamente, as margens de lucro destes três metais foram de 2,2% para a platina, 3,4% para o ouro e 4,5% para a prata. Estas são as margens muito baixas. Esses perfis de custo de produção destes metais são o que os comerciantes e ou algoritmos usam para valorar o ouro, a platina e a prata. O mesmo seria verdadeiro para o paládio, mesom que não tenhamos seus dados em mãos.

Assim, o valor de estes metais não se baseia na sua razão de produção, mas sim o seu custo de produção. O que significa que, qualquer analista de metais preciosos que diz: “o ouro é o atvo monetário chave do mercado de metais”, não entende que ele está sendo valorizado como uma mera commodity, tal como a platina, o paládio e a prata.

No entanto, certas análises sugerem que o atual “mecanismo de commodity precificada” do ouro e da prata mudará para um patamar de alta qualidade de valor quando a pior crise financeira da história se passar em um futuro próximo.

A demanda de investimentos em metais preciosos: Enquanto a maioria dos websites de metais preciosos se concentram em promover o investimento em ouro e prata, vários estão divulgando o benefício de possuir platina e paládio. Infelizmente, a maioria das razões indicadas para a platina ou paládio podem vir a serem falsas ou incorretas no futuro. Dito isto, vamos dar uma olhada na percentagem de investimento físico de varejo em relação a demanda total para cada metal em 2015:

290916c

 

 

 

 

 

 

 

 

O ouro foi o vencedor claro com 39% da demanda total no varejo físico e investimento pelos Bancos Centrais. A prata veio no segundo lugar com 23% da demanda total de investimento. Como podemos ver, o investimento em platina foi de 6% da demanda total, enquanto o investimento de paládio foi de apenas 0,5% (meio por cento) do total da procura.

Mesmo que o ouro tenha uma percentagem de investimento muito maior (31%) do total da demanda, num período de cinco anos, a prata é o vencedor claro quando se trata de quantidade total de metal (em onças) investidos pelo público:

290916d

 

 

 

 

 

 

 

 

Os investidores compraram um total de 1.141 Moz (1,14 milhão onças) de prata entre 2011-2015, enquanto que o investimento de ouro foi de 223 Moz, em platina foi de 1,3 Moz e o paládio ficou em um distante quarto lugar em 0.2 Moz.

Estes números revelam uma “mentalidade” muito significativo ou “psicologia” de preferência dos investidores. É claro, a quantidade total em dólares de investimento em ouro dos Moz 223 é muito mais elevada do que os 1.114 Moz de prata, mas o volume de metal comprado, prova que os investidores têm uma verdadeira afinidade pela prata.

 

Porque o ouro e a prata serão os principais metais preciosos durante o próximo colapso financeiro: O ouro e a prata serão os principais ativo durante a próxima crise financeira, não a platina ou o paládio. Enquanto que a platina e o paládio poderiam fornecer ao investidor algum relativo valor de propriedade no futuro, o próximo colapso termodinâmico do petróleo irá destruir a capacidade do mercado de produzir ou consumir platina e paládio próximo dos volumes atuais.

Infelizmente, a maioria do público não tem nenhuma pista sobre investir em platina ou paládio e destes metais como reserva de valor. A maior parte do investimento nesses metais industriais são um hedge ou aposta contra a escassez de oferta futura ou picos de preços. Em vez disso, o ouro e a prata são mais conhecidos pelo público como dinheiro e verdadeiras reservas de valor.

Enquanto a prata é esquecida pela grande mídia e por muitos dos analistas de metais preciosos e considerada apenas como mais um metal industrial, é uma excelente reserva de valor, como o ouro. A única diferença é o seu custo de produção. No entanto, o custo de produção se tornará um indicador menos importante para o valor do ouro e da prata no futuro, quando os US$ 250 trilhões de derivativos em títulos, ações, imóveis e fundos de seguros evaporarem.

Infelizmente, muito poucas pessoas entendem o que está vindo em nossa direção. Em vez disso, eles se agarram a uma noção que, mesmo que um crash financeiro seja difícil, quando a poeira baixar, vamos começar a crescer e expandir nossa economia baseada em dinheiro real. Gente, o crescimento tal como a conhecemos, terá acabado para sempre.

É por isso que é importante entender as ramificações desta penhasco que se avizinha. Os investidores que entendem as implicações desse precipício irão considerar cair fora da maioria das ações, títulos e imóveis e se garantir em ouro e prata físicos.

 

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

 

 

Deutsche Bank tenta (e não consegue) explicar porque não pôde entregar quantia em ouro a cliente

 

A notícia sem precedentes envolvendo o fracasso recente do Deutsche Bank em entregar o ouro físico sob demanda a um investidor continua a ressoar.

Um cliente de um fundo de commodity (Xetra) negociado em bolsa alemã, tentou obter acesso ao ouro que a ele tinha sido prometido no papel, levando a muita confusão sobre exatamente onde a falha para entregar o metal tenha ocorrido, seja por parte do fundo ou pelo patrocinador designado pelo fundo, e principal banco do cliente: o Deutsche Bank.

Em seguida, apareceu a estranha resposta fornecida pela Bolsa Alemã (Deutsche Börse), o que soou como se ela estivesse tentando passar a bola para o Deutsche Bank. Isto é o que ela disse:

“O Deutsche Börse Commodities GmbH salienta que os proprietários de unidades de ouro Xetra podem exercer o seu direito de entrega de ouro securitizados a qualquer momento. O ouro é entregue pela agência bancária em que o investidor tem conta – com a condição de que a agência ofereça este serviço , pois o ouro só pode ser entregue através do banco depositário do investidor.”

A resposta levou a ainda mais perguntas e protestos pelo público na Alemanha, o que pode explicar por que momentos atrás ninguém menos que o Deutsche Bank entrou na briga, fazendo algo que nunca foi feito antes: fornecer uma explicação para o motivo da falha em entregar o ouro na demanda do cliente. Ou pelo menos tentar.

Sua resposta:

“Como qualquer uma das instituições financeiras, o Deutsche Bank cumpre as obrigações especificadas no contrato de venda Xetra-Gold como uma questão de disciplina. Isto inclui reclamações para a entrega de ouro físico certificada pela Xetra-Gold. Isso deve ocorrer por meio do banco principal do investidor em conta de valores mobiliários do investidor.

O Deutsche Bank aceita tais ordens para a entrega de seus clientes. O investidor incorre nos custos descritos no contrato de venda, por exemplo, para a formação, a embalagem e o transporte segurado ao local de entrega.

Por este motivo recomendamos, em cada caso específico, uma avaliação individual da eficiência econômica de uma entrega física. Caso o pedido de um investidor para a entrega do ouro físico não sejam cumpridas imediatamente em casos individuais, isso vai ser revisto e uma solução individual será encontrada para o cliente.”

E assim esta foi mais uma não-resposta dada porque no mesmo comunicado de imprensa o Deutsche Bank tanto admite que “tem a obrigação de entregar o ouro“, como uma questão de disciplina, e em seguida, confirma tacitamente que não conseguiu fazê-lo, em primeiro lugar, dizendo que avalia a “eficácia econômica da entrega física”, algo que não deveria ter o direito de fazer, já que o contrato exige explicitamente que deve liberar ouro na demanda, e, em seguida, acrescenta que “caso o pedido de um investidor para a entrega de ouro físico não seja cumprido imediatamente em casos individuais, isso vai ser revisto e uma solução individual será encontrada com o cliente.

Como já sabemos, esta entrega de ouro físico falhou em pelo menos uma ocasião, e ao mesmo tempo somos consolados que o Deutche Bankestá revendo a situação e uma solução será encontrada com o cliente“, ele certamente não explica nem remotamente por que a ocorreu tal situação.

No entanto, o mais notável foi a rapidez com que cada entidade envolvida nessa falta de entrega, da Xetra-Gold, ao Deutsche Börse, e, finalmente, o Deutsche Bank, responderam com uma tentativa de aplacar as preocupações do público sobre a disponibilidade de ouro físico com declarações que, paradoxalmente, só levantaram preocupações sobre se o ouro, na verdade, ainda está lá.

Ainda resta ver se este caso individual se multiplicará, e levará a mais pedidos de resgate ouro, primeiro na Xetra-Gold, bem como em outros papéis semelhantes “lastreados em ouro“. 

 

Proteja suas economias em prata física antes que fique caro demais!

 

Fonte.

 

 

 

 

 

O colapso iminente de produção de prata e seu consequente disparo de preço

O sistema econômico e financeiro mundial está em uma situação bem pior que imaginamos. Novos relatórios indicam que um grande colapso está em vistas de acontecer, com resultados estrondosos.

Isto fará com que a produção de trata física despenque na próxima década.

b1

 

Mais uma vez, será bem pior do que imaginamos. Além disso, dados apontam para uma inevitável queda na indústria energética nos EUA e no resto do mundo.

De acordo com Louis Arnoux, em seu artigo “O Anoitecer da Era do Petróleo”:

“Em apenas 10 anos a estrutura econômica do petróleo estará simplesmente desintegrada”

No mesmo artigo Louis ainda diz, citando o gigane mineirador Hills Group:

“B. W. Hills reconhece que em 10 anos, o número de postos de extração de petróleo nos EUA se reduzirão em 75%”

E tem-se comentado que a produção de prata no mundo aponta para um colapso em um ritmo bem maior do que podemos prever.

Este é um gráfico que mostra a estimativa da produção de prata física no mundo:

b2

 

A produção de prata global vai provavelmente atingir o pico de 28.000 toneladas métricas (ou menos) … apenas 500 toneladas superior ao valor alcançado em 2015. Atualmente, a produção de prata global aumentou ligeiramente nos primeiros cinco meses de 2016 em relação ao mesmo período do ano passado.

Independente disso, o Federal Reserve (FED) e os que ainda tentam segurar o sistema econômico global encontrarão logo um grande muro à sua frente. E esse muro significa “a grande crise energética mundial”.

A noção de que a “elite” vai continuar a controlar o sistema monetário através da intervenção no mercado durante o próximo século é uma besteira completa. Assim, as teorias da conspiração que dizem que a elite terá um governo mundial, são completamente infundadas e carecem de qualquer sentido lógico.

Mais uma vez…. as coisas vão entrar em colapso em um ritmo muito mais rápido do que pensamos.

Assim, o colapso dos EUA e das indústrias mundiais de petróleo irá destruir o PIB global e a atividade econômica num ritmo muito mais rápido. Isso fará com que a desintegração da maioria dos ativos de papel e valores imobiliários aconteça em um ritmo alarmante. A única maneira de proteger a riqueza será em ouro físico e prata.

O relógio de tempo do colapso do sistema financeiro global acelerou consideravelmente.

 

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

 

 

A caminho do fim do dinheiro físico (ao menos assim querem os banqueiros!)

A nota de 500 euros deixará de ser impressa a partir de 2018 e será gradualmente retirada de circulação, para lutar contra as chamadas atividades ilegais – quando você quer matar seu cão, é acusado de ter raiva…

A decisão do BCE não é isolada, já em 2013, o governo de Israel criou uma comissão para estudar a retirada gradual de dinheiro de papel. O governo australiano anunciou oficialmente sua intenção de remover as espécies em 2022, enquanto que a Noruega tem planos para 2020. Esses anúncios não são isolados, e bancos, nesse sentido, como o JP Morgan Chase, por exemplo, já recusam depósitos o dinheiro em seus cofres.

O uso de papel-moeda já é limitado, não se pode pagar em dinheiro compras na França acima de 1.000 euros, e as retiradas dos caixas automáticos estão limitadas a 300 euros. Teme-se que os meios de pagamento digital e porta-moedas eletrônico será imposto à todos.

Teme-se? Sim, porque o dinheiro do indivíduo não será mais seu dinheiro, mas dos bancos, e o governo pode rastrear qualquer transação, e talvez possa aplicar taxas de juros negativas, como já estão ensaiando em alguns lugares. As pequenas economias sob o colchão parece terem terminado.

Ok, muito bonita a justificativa de isso facilitará o combate à corrupção e ao tráfico, mas você, cidadão de bem, poderá ficar totalmente à merce de um sistema bancário eletrônico baseado em dívida.

E quando as máquinas não quiserem mais liberar o seu dinheiro? Ou se um banco quebrado não puder simplesmente aprovar seu saque, pois não existe dinheiro suficiente para todos?

 

Proteja suas economias em prata física, antes que fique caro demais…

 

caixa indisponivel

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte.

A prata dispara enquanto a China diz “não aos Dólares” para o seu novo Yuan lastreado em ouro!

Yuan golden

A Inteligência da Bloomberg previu que a China lastreiaria parcialmente seu Yuan com ouro e vai “exigir um preço de US $ 64.000 por onça.”

“Se a China lastrear o yuan com ouro seria necessário um preço de US $ 64.000 por onça”, de acordo com um relatório recente da Bloomberg.”

Enquanto a Bloomberg não dá nenhum detalhe de como eles chegaram a este valor, cálculos independentes confirmariam que no seu valor atual em relação ao dólar o yuan realmente necessita que o ouro – cotado em dólares – tenha o preço fixado em dezenas de milhares de dólares.

A Bloomberg conservadoramente estima as reservas de ouro da China em cerca de 3.150 toneladas, embora muitos analistas acreditam que o número seja muito maior.

A fim de lastrear US $ 5,4 trilhões de yuans, com 3,150 toneladas de ouro, o preço do ouro teria de ficar na faixa de US $ 48.600 por onça.

A Bloomberg conclui que, a preços de hoje, seria “basicamente impossível” para a China totalmente lastrear o yuan com ouro. De fato, a US $ 1.200 por onça, seriam necessárias mais de 126.000 toneladas para lastrear $ 5,4 trilhões.

As contas de garantia globais são de apenas 126.000 toneladas métricas de ouro. A Bloomberg, certamente, nunca vai falar sobre isso.

Há poucos dias, a Bloomberg publicou isso “o Credit Suisse Group AG está aconselhando seus clientes a apostar que o dólar vai ganhar contra uma cesta de pares, que inclui o won sul-coreano, dólar Taiwanês, baht tailandês e peso filipino. O UBS Group AG disse que os investidores devem comprar a moeda contra o dólar de Singapura e do iene. O Stamford Gestão Pte, que supervisiona cerca de US $ 250 milhões na Ásia, exorta os clientes a comprar o dólar dos EUA cada vez que ele cair abaixo de $ 1,35.”

Estariam os banqueiros ocidentais antecipando uma grande ofensiva dos BRICS através de anúncio público da China de um Yuan e do Rublo da Rússia lastreados em ouro antes do final deste mês?

O Banco da China anunciou seu plano para liberar o Yuan lastreados em ouro anos atrás …

gold-backed-yuan-announced

Tanto a Rússia quanto a China têm comprado ouro em quantidades recordes ao longo dos últimos anos, e têm sistematicamente despejado títulos do Tesouro dos EUA através de terceiros em muitas ocasiões.

Eles têm o poder de flutuar os preços do ouro e da prata para níveis de livre mercado a qualquer hora que eles quiserem.

Quando isso acontecer, o valor que o ouro e a prata China e a Rússia têm vai disparar.

Seja qual for o caso, o colapso do dinheiro virtual do sistema bancário já está acontecendo…

“Ele está realmente acontecendo em torno de nós agora. Vamos apenas olhar para alguns exemplos das tensões dentro do sistema. O BCE está enfrentando falências de bancos em quase todos os países membros. Um banco austríaco teve que ser socorrido e todo o sistema bancário italiano está à beira do colapso. Os bancos gregos estão já falidos, embora ninguém se atreva a declarar oficialmente. O BCE sabe que eles só têm uma ferramenta para adiar temporariamente um colapso do sistema bancário europeu e que está a aumentar ainda mais seu programa de impressão de dinheiro.

O balanço do BCE explodiu em 45% para 3 trilhões de euros apenas nos últimos 15 meses. O Bundesbank, o banco central alemão, é totalmente consciente da situação dos bancos europeus. Mas eles também sabem que eles vão estar no gancho pelo dinheiro impresso pelo BCE e, portanto, eles teriam dito que iriam processar o BCE se este acelerar a impressão de dinheiro.

… derivativos Norte-Americanos em aberto estão em pelo menos US$ 500 trilhões e a maioria vai simplesmente implodir se as contrapartes falharem. O Fed e o FDIC estão preocupados com isso e é por isso que há pouco emitiram uma advertência aos bancos norte-americanos. Disseram ao JP Morgan, por exemplo, que o banco não está preparado para uma crise e que eles não têm planos para reduzir seus derivados. A exposição à derivados do JP Morgan, devidamente valorado, é provavelmente mais que US$ 100 trilhões.

Outro grande problema é o mercado do Tesouro dos EUA. Há um total de dívida 19 trilhões de US$ devidos pelo Governo do EUA. Desse montante, $ 6,2 trilhões são detidos por estrangeiros. China e Japão mantem cerca de US$ 4,5 trilhões no total. O terceiro maior detentor é a Arábia Saudita, com US$ 750 bilhões. E a Arábia Saudita já ameaçou liquidar suas posições em papéis norte-americanos se seu envolvimento nos ataques de 11 de setembro fosse revelado. Mas a Arábia Saudita não é o único país que poderia causar o caos no mercado dos títulos da dívida dos EUA.

O Japão em breve terá que vender seus títulos da dívida dos EUA para sobreviver um pouco mais. ”

O sistema de dinheiro virtual parece que já está implodindo.

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

 

Segundo o Banco da Escócia, 2016 vai ser ‘cataclísmico’

Royal Bank of Scotland: 2016 será um “ano cataclísmico” e “os investidores devem ter medo”.

img

O Royal Bank of Scotland está dizendo aos seus clientes que 2016 vai ser um “ano catastrófico” e que eles devem “vender tudo”. Isso soa como algo que você pode ouvir de ‘O Blog Colapso Econômico’, mas até recentemente nunca teria esperado obter este tipo de mensagem de um dos vinte maiores bancos em todo o planeta.

Infelizmente, esta é apenas mais uma indicação de que uma grande crise financeira global já começou e que agora estamos entrando em um mercado declinante. O valor de mercado coletivo das empresas listadas no S & P 500 caiu cerca de um trilhão de dólares desde o início de 2016, e pânico está se espalhando como fogo em todo o globo. E, claro, quando o Royal Bank of Scotland sai e abertamente diz que “os investidores devem ter medo”, certamente não vai ajudar nos ânimos.

Espanta que o Royal Bank of Scotland está basicamente dizendo exatamente a mesma coisa muitos analistas independentes dizem há meses. Os mercados globais “estão piscando os mesmos alertas de estresse como fizeram antes da crise Lehman em 2008″ …

Então, qual deve ser a nossa resposta a estes sinais de alerta?

A coisa lógica a fazer é “vender tudo” exceto títulos de alta qualidade …

O maior banco da América, J. P. Morgan Chase, está “incitando os investidores a vender ações a qualquer sinal de balanço” …

Os grandes bancos não agem assim desde a grande crise financeira de 2008/2009. É evidente que algo realmente grande está acontecendo. Trilhões de dólares de riqueza financeira foram aniquilados em todo o mundo durante os últimos seis meses de 2015, e trilhões mais de dólares foram eliminados durante os primeiros 12 dias de 2016.

Você pode estar se perguntando por quê nas duas últimas semanas especialmente a Bovespa disparou. Lembre-se que os preços das ações das empresas e bancos brasileiros estavem em seu nível histórico mais baixo, uma barganha para os investidores estrangeiros. E foram estes investidores que estiveram comprando maciçamente ações nestes últimos 15 dias.

Porém, mesmo analistas brasileiros alertam, os fundamentos de nossa economia não justificam essa escalada

E por quê o dólar está baixando? o Real está ficando mais forte? Não se iluda. Estes mesmos investidores estrangeiros estão trocando seus dólares por reais para essas aquisições maciças na bolsa. E com maior oferta de dólares no mercado nacional, as cotações obviamente caem…

Mas isso não vai se sustentar. Simplesmente por que não há fundamento econômico para esta alta nas bolsas brasileiras. As ações simplesmente estavam muito baixas. E com as péssimas perspectivas nas principais bolsas de valores ao redor do mundo, o Brasil se tornou uma pechincha momentânea.

Mas este lucro vai ser realizado. Na mesma velocidade que as cotações subiram vão descer quando estes investidores estrangeiros (e alguns brasileiros mais antenados), realizarem seus lucros. Vai ficar com o mico quem comprar as ações agora, nessa alta. Não se iluda, a economia brasileira não sustenta essas cotações, nem para as ações dos bancos.

 

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique ainda mais cara !

 

Fonte parcial: link.

 

 

Empresa estoca 3 meses de comida e 10 milhões de US$ em metais preciosos para seus empregados, para o colapso financeiro que se aproxima!

silver-eagle-2012-300x225   A cruzada do CEO da Overstock Patrick Byrne contra vendedores a descoberto em particular, e de Wall Street e do Federal Reserve em geral, tem sido conhecida e amplamente documentada.

Mas pouco sabemos o quanto o presidente da Overstock Jonathan Johnson é um oponente feroz do sistema de dinheiro fiat, e a tendência de Wall Street de criar bolha após bolha, se não mais do que o próprio Byrne. Isso, e que a sua empresa realmente coloca seu dinheiro onde ele é lastreado em ouro e prata em preparação para a próxima crise, tem tomado medidas sem precedentes para se preparar para o que vem a seguir.

No mês passado Johnson, que também é candidato a governador de Utah, discursou na United Precious Metals Association, ou UPMA, que tira proveito de um estatuto especial de Utah permitindo a ela usar o ouro e a prata como moeda de curso legal, oferecendo contas lastreadas em ouro e prata. O UPMA pega notas do FED (ou dólares de papel) que depois troca pordólares de ouro (ou de prata). Eles têm curso legal sob a lei e são protegidas como tal, nos EUA.

O que disse Johnson na UPMA? Aqui estão algumas citações escolhidas:

Nós não somos grandes fãs de Wall Street e nós não confiamos neles. Nós previmos a crise financeira, nós lutamos contra a crise financeira que aconteceu em 2008; nós não confiamos nos bancos e prevemos que com o QE3, e QE4 e QE n, em algum momento vai haver uma outra crise financeira significativa.

Então, o que fazemos como um negócio, para que possamos estar preparados quando isso acontecer. Uma coisa que nós fazemos é bastante singular: nós temos cerca de US $ 10 milhões em metais preciosos, principalmente em pequenas moedas, que guardamos fora do sistema bancário. Esperamos que quando houver uma crise financeira, haverá um feriado bancário. Eu não sei se ele vai ser 2 dias ou 2 semanas ou 2 meses. Nós temos $ 10 milhões em ouro e prata em denominações pequenas o suficiente que podemos usar para a folha de pagamento. Nós queremos ser capazes de manter nossos empregados pagos, seguros e nossa estrutura em funcionamento durante uma crise financeira.

O conteúdo do resto de seu discurso é em grande parte familiar aos defensores de dinheiro sólido: o papel fiat não tem valor, o ouro físico e a prata – tanto como moeda ou ativo – tem um tremendo valor, e deve ser guardado fora dos bancos (uma vez que um colapso sistêmico certamente envolverá o confisco de ouro).

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.