A demanda por Silver Eagles dispara com o agravamento do turbilhão político e econômico!

As vendas de moedas U.S. Mint Silver Eagle são um excelente indicador para o apetite dos investidores pela prata física.

Elas aumentaram bastante nos EUA na primeira quinzena de outubro devido ao aumento da turbulência no sistema político e nos mercados financeiros. As vendas foram fortes nos primeiros cinco meses do ano, mas enfraqueceram nos últimos meses devido a vários fatores.

Um fator foi a queda da demanda pelos representantes autorizados (distribuidores) que continuaram a comprar recordes de Silver Eagles na primeira metade de 2016, embora a demanda de investidores no varejo tinha suavizado. O outro fator foi um enfraquecimento da demanda dos investidores como contágio a partir da saída do Reino Unido da União Europeia.

Independentemente disso, as vendas de Silver Eagles voltaram como uma vingança na primeira quinzena de outubro, atingindo 2,925 milhões de onças de acordo com a sua mais recente atualização (18 de outubro). Se olharmos para o gráfico abaixo, podemos ver o quanto a demanda aumentou em relação aos três meses anteriores:

us-silver-eagle-sales-july-oct-est-2016

As vendas de Silver Eagle em 18 de outubro foram 75% maiores do que o total de vendas em setembro, de 1.675.000 de oz. Além disso, elas já ultrapassaram as vendas de 2.837.000 de oz de Junho. Se as vendas de Silver Eagle continuarem a se manter fortes durante o restante do mês, pelo menos 4.000.000 de onças serão vendidas.

E quando nós ouvimos as notícias de que os bancos centrais sauditas e chinenes despejam títulos do tesouro dos EUA, e bancos centrais estrangeiros liquidam um recorde de US$ 346 bilhões em papéis dos EUA, podemos imaginar que isso é apenas o começo, com a situação nos Estados Unidos se definindo após a eleição … independentemente de quem for eleito.

É interessante ainda perceber o quanto a demanda por Silver Eagles aumentou após o colapso dos Bancos de investimento e do Mercado Imobiliário dos EUA em 2008. Com o FED bombeado quantidades maciças de liquidez através de sua política de QE (Quantitative Easing = impressão de dinheiro) para os mercados norte-americanos, as vendas de Silver Eagles atingiram o montante de 325 milhões de onças desde 2008:

total-us-gold-silver-eagle-sales-1986-2016ytd

Enquanto o total histórico acumulado de vendas de Silver Eagles é 483 milhões de onças (MOZ) desde que a Casa da Moeda dos Estados Unidos iniciou o programa em 1986, os investidores compraram impressionantes 325 Moz apenas desde 2008. A demanda por Silver Eagles durante os últimos nove anos responde por 67% das vendas totais, desde 1986.

Olhando de forma diferente, os investidores compraram 325 Moz de Silver Eagles entre 2008 e 2016, contra 158 Moz entre 1986 e 2007.

Nos EUA, parece que os cidadãos estão se preparando para o pior, e não confiam mais em deixar suas economias em papéis ou em bancos.

Quando os mercados finalmente quebrarem no futuro, os investidores que compraram ouro físico e prata estarão segurando as melhores “reservas de riqueza”, com opções muito melhores do que aqueles presos como a maioria em ações, títulos e imóveis.

Proteja suas economias com prata física antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

As vendas de moedas American Silver Eagles tem alta recorde pelo segundo ano consecutivo

Um mês atrás, pouco depois das notícias que as “vendas de moedas de prata na US Mint foram para os níveis mais altos em dois anos“, soubemos que a “US Mint ficou sem Silver Eagles em consequência da enorme demanda.” Isso, no entanto, não impediu a US Mint de vender cerca de 5 milhões de onças no período desde o anúncio, e, como a Reuters informou na semana passada, “a demanda de investidores levantou as vendas de moedas American Silver Eagle a um recorde pelo segundo ano consecutivo, segundo a Casa da Moeda dos EUA. ”

As vendas de moedas de prata atingiram 42,9 milhões de moedas até agora este ano, ante o recorde anterior de 42,7 milhões de moedas no ano passado, disse a Casa da Moeda dos EUA em um comunicado. As vendas de moeda em 08 de dezembro chegaram a 495,5 mil, elevando-os acima do recorde de 2013, disse a Casa da Moeda.

A Reuters acrescentou que “as vendas de moedas de prata cairam 40,8 por cento em novembro, para 3,43 milhões onças“, o que, talvez, era de se esperar, considerando que a US Mint acabara de ficar sem Silver Eagles e o atraso associado com a cunhagem extra e para colocá-las no mercado tem impacto nesses números.

Em qualquer caso, desde o anúncio Reuters, outro meio milhão de American Silver Eagles foram vendidas diretamente da US Mint, e o total agora está em um número recorde de 43,3 milhões de onças.

Para os que estão confusos, é claro que mais um ano de demanda recorde para a prata física explica por que o preço da prata caiu 12,5% em 2014, depois de ter baixado 36% no ano passado. Por quê? Porque, “quando se trata de metais preciosos, graças ao BIS e aos bancos centrais, Papel ganha da pedra de cada vez.”

Proteja suas economias em prata física antes que ela fique cara demais!

 

Fonte.

Prepare-se para a escalada da Prata!

   Todo mundo sempre fala sobre o ouro. O ouro isso e o ouro aquilo. É surpreendente. Após ser negociado por  1.525 dólares no final de maio, o ouro explodiu na semana seguinte para quase US $ 100 a mais.

Todos os sinais apontam para essa moeda de reserva final. Possivelmente o ouro vai chegar a 2.000 dólares a onça até o fim do ano.

Mas, como todos os investidores experientes sabem, as melhores oportunidades são normalmente encontradas em locais onde a multidão está prestando menos atenção.

Em outras palavras, não se esqueça do irmão menor do ouro – a prata.

 

A Prata tem um duplo papel

A prata é um metal precioso e um metal industrial. O aumento do uso global de telefones celulares e computadores gerou uma maior demanda por prata. O irmãozinho do ouro tem uma série de outras utilizações industriais, uma vez que tem uma elevada resistência ao calor e a maior condutividade eléctrica de todos os elementos.

Em termos de valor de mercado, a prata é altamente sensível a crises econômicas, onde tende a seguir as commodities como cobre e os preços de outros metais de base.

Durante os últimos anos, como o ouro reafirmou o seu papel como um meio de troca, a prata tem seguido a tendência. Essa é uma das razões de o preço da prata ter aumentado mais de seis vezes nos últimos seis anos.

 

A correção da prata chegou ao fim

Em abril de 2011, o preço da prata começou um período longo e profundo de correção. Depois de negociada a 49,82 dólares no mercado de papel, o preço recuou para uma baixa de cerca de US $ 26. A correção já dura mais de um ano, mas agora está chegando ao fim.

O interessante é que a prata, muito calmamente, quebrou a resistência de curto prazo de US $ 29. O próximo nível de resistência é de R $ 32, e depois disso, o céu é o limite.

Aparentemente, esse limite está para ser quebrado já, como se percebe pelas últimas cotações no mercado de futuro de papéis:

 

 

A relação Prata-Ouro está alta

A razão de ouro-prata reflete a relação entre o valor da prata em relação ao ouro. Dividindo o preço do ouro pelo preço de prata temos o cálculo para esta relação.

Historicamente, essa relação era de 2,5: 1. Quando a prata era negociada a US $ 50 em 1980, a proporção estava em 16: 1. Em seu pico de 2011, a relação era de 32: 1. Hoje em dia, a razão situa-se além de 55: 1. Isso significa que mesmo que o ouro suba, a Prata tem muito mais a recuperar de seu valor, assim que os grandes bancos não conseguirem mais manipular os mercados de papéis de curto prazo. E há sinais que o JPMorgan já está perdendo o fôlego nesse jogo. É preciso imprimir muito papel para manter as cotações assim tão artificialmente baixas. E se os investidores vierem a reclamar sua prata física, não há estoque suficiente no mundo inteiro para cobrir todo esse papel…

Como disse Andrew Jackson, “Se as pessoas ao menos entendessem a tamanha injustiça de nosso dinheiro e sistema bancário, aconteceria uma revolução antes do amanhecer”.

 

Compre Prata, enquanto ainda é barato!

Mas esse não será o caso, por muito mais tempo. A Prata em breve irá se restabelecer-se como um metal precioso. Quando o ouro subir mais, a volatilidade de prata vai ‘pegar’ e os compradores terão mais uma vez que sair da toca.

A melhor maneira de possuir prata própria hoje é comprar moedas e barras físicas.

Preparem-se, pessoal. Quando a prata quebrar o limite desta vez, US$ 50,00 a onça  será uma memória distante. E o uso da prata como um metal industrial irá mais uma vez levar os bancos atrás de seu papel como um metal precioso.

Invista em moedas e barras de prata pura!

 

Afinal, qual o valor da Prata no mercado hoje?

Frequentemente recebo esse questionamento de alguém que está começando a investir em prata, certamente preocupado com o futuro nada promissor da economia mundial. 

Essa dúvida normalmente decorre das cotações da Prata no mercado de commodities, como se pode observar aqui. E essa cotação é obviamente bem mais baixa do que os preços que se encontram por aí para a prata física.

Por quê essa diferença? Essas cotações do mercado de commodities referem-se a títulos, papéis com um certo valor, baseado em certa quantidade (onças troy), de prata. Na verdade é só um pedaço de papel, cujo valor flutua com as ‘regras’ do mercado (oferta e demanda), e teoricamente garantido por quem emitiu o papel. Na verdade, essa prata nem existe. Estima-se que seja emitido em papel uma quantidade de 4 a 10 vezes maior (em onças troy) do que a quantidade de prata física realmente em posse dessas instituições financeiras.

É como nosso dinheiro de papel. Na verdade ele não existe. Quando vamos buscar um crédito numa instituição financeira (ou mesmo usar o limite do cheque especial), é criada uma certa quantidade de dinheiro virtual, eletronicamente, bastando apenas ao gerente apertar alguns botões no computador do banco. Cria-se então dinheiro do nada, fiat money. Os bancos são autorizados a criar até 4 vezes mais dinheiro do nada, em relação ao dinheiro real que os depositantes confiam ao banco. A cada 100 reais que você deposita no banco, ele cria 400, e empresta 500 para outras pessoas. E a medida que estes empréstimos voltam ao banco (com juros exorbitantes), mais fiat money…uma bola de neve… Nos EUA, por exemplo, essa margem pode chegar até a 100 vezes (!).

Por isso que se todos os clientes forem ao banco de uma só vez retirar seu dinheiro ele quebra, vai à falência, por que o dinheiro de verdade já foi para os acionistas, e esse ‘dinheiro’ todo nas contas dos correntistas não existe, foi criado no computador.  E assim os bancos vão sugando a produtividade das nações… nosso trabalho, nossos impostos, nossa riqueza…. com seus lucros bilionários…

E tudo isso com a autorização dos governos. (Adivinhe quem patrocina as eleições de nossos governantes?)

Por isso que todos os mega bancos estão em grandes problemas com a eminente falência dos países da zona do Euro e os EUA. Esse fiat money foi (e continua sendo) emprestado aos governos, além da conta (seria ou não proposital?), além da capacidade de pagamento dos países, e se os países derem calote nos bancos, os bancos quebram (mas não seus donos…), e como tudo isso é dinheiro artificial, os bancos não terão com o que pagar os seus clientes que depositaram suas suadas economias nessas instituições. Por isso que alguns tentam argumentar que esses bancos são ‘grandes demais para quebrar’. Será?

E assim acontece com o mercado de commodities. Se todos os detentores de papéis de prata fossem às instituições exigir seu dinheiro, todos de uma vez, elas quebrariam. E além disso, essas instituições vem manipulando fortemente as cotações da Prata, para tentar segurar o rombo, evitar que as pessoas percebam o valor real desse metal, e adiar esse colapso financeiro, quando os investidores em commodities perceberem que a prata que eles tem no papel não existe. Esses papéis vão valer tanto quanto o Reichsmark após 1948. Talvez sirva para fazer fogo…

Mesmo com toda essa manipulação do mercado, você não encontra prata fisica para vender pelo preço ‘oficial’ das cotações. 

E como é composto esse preço? A diferença se origina, além da oferta e demanda, da percepção local do valor da prata (também chaamdo de prêmio sobre a cotação). Além disso, o Brasil não é um grande produtor deste metal. Assim, a prata tem que ser importada. Então, o preço local é uma combinação da percepção do valor pelo mercado, os custos da importação e a margem do revendedor. Outro componente importante no valor é a origem da peça, a mineradora que a produziu, e sua marca na fundição, o que garante sua pureza e qualidade.

Por isso lembre-se, deve-se considerar a prata como um investimento de longo prazo, como proteção do colapso financeiro mundial, e como uma grande oportunidade de multiplicar suas reservas quando o cartel não conseguir mais manipular os valores no mercado de commodities.

Aproveite que nossos preços são os melhores que você pode encontrar no mercado de prata física, e proteja suas economias, antes que fique caro demais !

Ouro e prata continuam aumentando e os fantoches de Wall Street ficam encurralados

   As travessuras do FED e os crescentes temores inflacionários estão alimentando um grande aumento nos metais preciosos, mesmo no mercado de papel. E esse aumento vai continuar.

As ações, estão em grande parte estagnadas ao longo dos últimos dias. A notícia real, além do aumento preocupante no petróleo bruto, vem resultando na fuga para os metais preciosos. O ouro e a prata já sairam dos intervalos de dois meses atrás, em grande forma.

A mesma dinâmica que está dirigindo os preços da energia está alimentando o aumento do ouro e da prata: grandes preocupações com a inflação. Com estes preços prestes a piorar, o aumento do metal brilhante deve continuar.

Olhando para o Federal Reserve, o Banco do Japão, o Banco Central Europeu, o Banco Popular da China, o Banco da Inglaterra e o Banco Nacional Suíço, esses bancos centrais injetaram o equivalente a quase US $ 7 trilhões no sistema ao longo da última quatro anos.

Essas alavancas foram puxados. Essa estratégia já foi tentada. Com o mundo rico se afogando em US $ 8 trilhões de dívida em excesso, de acordo com estimativas do Credit Suisse, mais dívida não é a resposta.

Intervenção monetária maciça por parte dos principais bancos centrais do mundo está resultando em pressões inegáveis sobre os preços das matérias-primas. O petróleo fechou acima de 107 dólares o barril hoje pela primeira vez desde maio passado e ficou até mais elevado oito dias seguidos. Estamos muito longe do menos-que-US $ 35 por barril de petróleo, que ajudou a recolocar a economia nos trilhos no início de 2009.

O pior é que essas pressões estão alimentando as chamadas medidas centrais de inflação em coisas como remédios e roupas. O Fed não pode negar o que está acontecendo e descartá-los simplesmente como “transitório” e volatilidade de energia e picos de preços de alimentos – como fizeram no ano passado em seus esforços para defender as suas cada vez mais perigosas políticas de grandes intervenções no dólar.

O ‘mercado’ parece obcecado tanto com a questão  da segunda emissão de liquidez bancária ilimitada de três anos pelo Banco Central Europeu na próxima semana e o potencial para uma terceira rodada de ‘flexibilização quantitativa’ do Fed nos próximos meses. Ambos essencialmente equivaleriam a uma enxurrada de dinheiro ultra-barato nos sistemas financeiros, mesmo que os detalhes e implementações sejam diferentes.

Se você conversar com os especuladores de Wall Street, seu raciocínio é simplista: todos os problemas são irrelevantes, porque o Fed e o BCE só irão bombear mais dinheiro em ações. Nada mais importa.

Mas a situação é essa: os fantoches de Wall Street no Fed foram encurralados. Se eles ainda têm qualquer resquício de honestidade intelectual, o presidente Bernanke vai manter o fogo no QE3 já que a inflação já está acima da nova meta de inflação do Fed e ainda em crescimento. Se não, e o QE3 for lançado na Primavera deste ano, as bolsas podem se elevar inicialmente, mas o benefício marginal decrescente de flexibilização adicional da política monetária só vai piorar a situação.

O mesmo vale para o cabeça do BCE Mario Draghi na Europa, que está prestes a desencadear uma nova rodada de dinheiro de papel ultra-barato por três anos de empréstimos aos bancos da zona euro na próxima semana.

Em outras palavras, em vez de impulsionar a economia, reduzindo os custos dos empréstimos já baixos, um “QE3” do Fed ou um “ORPA 2” do BCE só vai prejudicar a economia aumentando ainda mais as pressões inflacionárias. Deus sabe que muitos tem avisado. Mas com uma abundância de falsa confiança, e o encorajamento dos habitantes financeiros de Manhattan, Londres e Frankfurt, e a falta de supervisão política, eles vão fazê-lo de qualquer maneira.

Isso tudo é uma grande notícia para os investidores de metais preciosos – mesmo que seja terrível para todos os outros…

Invista em barras e moedas de Prata Pura, antes que ela fique cara demais!

Fonte.